Moda & Beleza

Inspiramais 2019_II: Projeto ”Preview do Couro” mergulha nos movimentos artísticos para criação de novas texturas

Por meio da exposição de quatro estúdios, o projeto, apoiado na palavra ‘’Play’’, que será responsável por nortear as produções do ano que vem, traduziu as criações por meio de inspirações como colagem, reconstrução e expressionismo, criando uma relação entre Van Gogh e o mundo contemporâneo

Publicado em 23/07/2018 | Por Thaissa Barzellai

Preview do Couro deu o que falar durante a nova edição do Inspiramais 2019 _ II – Salão de Design e Inovação de Materiais, promovida pela Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), ByBrasil – Components and Chemicals, ABIT, TexBrasil, CICB, Brazilian Leather e Apex-Brasil, realizada nos dias 17 e 18 de julho no Centro de eventos Pro Magno, em São Paulo. Com a participação de 12 curtumes e exposição de 10 protótipos, entre eles calçados e acessórios, o projeto se destacou ao trazer um olhar disruptivo inspirado na palavra ‘’Play’’ para as confecções, que já adiantam as principais novidades para o Inspiramais 2020 _ I, a fim de interpretar os desejos do consumidor pós-moderno cuja busca pela reconfiguração do estilo de vida e da sua identidade cada vez mais incansável por inovações. ‘’A ideia é de que play seja o ‘’restartar’’ o processo, sair dessa inércia que nós estamos vivendo de reclamação e problemas e realmente ir para a frente, tendo alguma forma uma brincadeira mais lúdica para ficar mais alegre e dinâmico dentro disso tudo’’, conta o consultor do Núcleo de Design da Assintecal Marnei Carminatti, que assume a coordenação do projeto, cuja ação é promovida e realizada pelo Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX-Brasil), que pretende estimular o setor coureiro brasileiro.

Marnei Carminatti, consultor do Núcleo de Design da Assintecal e coordenador do projeto Preview do Couro (Foto: Henrique Fonseca)

Marnei Carminatti, consultor do Núcleo de Design da Assintecal e coordenador do projeto Preview do Couro (Foto: Henrique Fonseca)

Leia: Inspiramais 2019_II: Projeto Referências Brasileiras se destaca ao transformar papel em produtos de moda

Baseado na palavra principal da próxima temporada, Play, a fim de provocar uma inovação na criação de texturas, cores, formas, acabamentos e volumes para os couros, Preview do Couro 2020_I dividiu o processo de confecção das texturas do couro entre os conceitos de Reconfiguração, Colagem e Expressionismo, que foram aplicados nas criações dos estúdios NUU Shoes (protótipos de calçados) Cupcakes Shoes (protótipos de calçados) Volta Atelier (protótipos de bolsas) Estúdio Cusco Rebel (customização de jaquetas, bolsas e calçados) e Black Bull (disponibilização de jaquetas para customização). Como fonte principal de inspiração para a produção voltada para essa temática, o projeto voltou ao passado por meio de pesquisas sobre movimentos artísticos e grandes personalidades que influenciam até hoje não só a cultura geral como também o mundo da moda, relacionando com as características atuais do mundo contemporâneo. ‘’Na reconfiguração, nós vamos trabalhar olhando muito para a textura do universo urbano, como cimento, papel, telas pintadas, umas texturas mais engessadas. Se a gente olha para o processo e para a palavra colagem, nós já vamos observar muito mais para a arte, para a arte aplicada dessas texturas. Então, vamos falar de Basquiat e da influência urbana de colagem aleatória. No processo do expressionismo na palavra, vamos olhar para a arte de Van Gogh e as pinceladas dos quadros aplicadas sobre os couros’’, explica.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leia também: Inspiramais 2019_II: ”Projeto +Estampa 2020_I” transforma brasilidade em produto internacional 

Segundo Carminatti, a principal intenção do projeto nesta edição ao impor um olhar mais desafiador ao processo de produção de cada estúdio baseado nesses três conceitos era construir um espaço capaz de romper barreiras do mundo da moda, onde designers de todas as áreas de produtos têm a oportunidade de encontrar materiais e experiências que se transformarão em confecções de sucesso e sem data de validade. ‘’No preview desse semestre, nós tentamos ser mais disruptivos, construir um espaço que toda a estrutura pudesse voltar para a natureza dentro de um universo de uma economia circular’’, afirma. O espaço criado não só durante o evento como também durante todo o ano de produção criativa permite também que haja, além da rotatividade dos produtos finais, uma expansão dos mesmos, de modo que outras marcas menos conhecidas possam entrar no mercado e pensar os ideais transgressores do projeto. ‘’ Essas marcas criam um ecossistema de relações diferentes do Preview do Couro com o mercado. Se antes a gente trabalhava só com marcas que eram reconhecidas no mercado, agora a cada semestre vamos trazer um universo de marcas de novos talentos. Na realidade, são marcas de espírito start-up, são marcas que pensam o produto de maneira diferente que o mercado vinha construindo’’, completa.

Leia mais: Inspiramais 2019_II: Projeto ”Espaço da Inovação” une high tech e sustentabilidade em produção de materiais

Quem esteve presente nos dois dias de Inspiramais 2019_II, pôde ver de pertinho como esse pensamento se transpôs nos materiais já finalizados. Entre os produtos exibidos, o que mais chamou a atenção foi a escolha das cores da coleção: off white, azul claro e leve e um laranja forte e iluminado, um trio colorido que sempre é a receita do sucesso. ‘’Essas três cores juntas ou independentes funcionam muito bem. É algo que lembra bem Van Gogh de alguma forma. Além disso, trabalhando também laranjas e azuis, nós fomos foi muito influenciados por uma cartela de cores do Rick Owens, que também é linda. Fomos muito influenciados por esta turma que está dentro dos contextos, sabe? Então, o Preview dá um start muito bacana nessa edição, reconstrói a ideia do projeto, reconstrói a ideia dos curtumes e a ideia dentro do universo das marcas que podem trabalhar com esses produtos’’, diz.

As texturas e a aplicação nos couros foram responsáveis por gerar um novo mundo repleto de possibilidades criativas que vão desde a escolha de materiais até a customização dos produtos finais. ‘’Os estúdios trabalharam com couro que foi produzido no Preview, então acabou que conseguimos completar um ciclo. O mais bacana talvez tenha sido a ideia de handmade, a aplicação de elementos de pintura, principalmente de respingos, que é um trabalho muito autoral que valoriza cada peça em cima de, por exemplo, pitons e vacum.  Outro trabalho incrível foi flertar com texturas que não são convencionais no mercado do couro, como papel e cimento, adaptando esse visual a essa matéria prima que é maravilhosa e se adequar a tudo que é o couro, criando um novo momento de possibilidades para esses elementos serem trabalhados nos calçados, nos acessórios ou até mesmo na confecção’’, reflete.

Relembre: Inspiramais 2019_II: A Alquimia no Salão de Design e Inovação de Materiais com projeção internacional

É com essa responsabilidade que cada estúdio participante explorou os três conceitos base da edição e desenvolveu produtos que encantaram o Inspiramais. Criada por Fernanda Daudt e radicada em Nova York, o Volta Atelier, que trabalhou com todos os couros produzidos pelo projeto desde a primeira edição e já tem mercado consumidor nos Estados Unidos e Europa, levou o processo de upcycle para o espaço no evento, relacionando esta cultura de reutilização dos couros ao teor social que a moda possui por meio do trabalho de costura realizado por refugiadas haitianas presentes no Brasil. ‘’Esse estúdio traz a cultura de fazer com que couros que são de descarte ou que não estão sendo utilizados voltem para o mercado com uma nova roupagem numa estrutura de produtos que não tem metais. Então, é um produto que se for desmontado pode ser separado e novamente reutilizado. Além de tudo, claro, agregando o universo social na costura, agregando valor nesse processo todo e exportando isso na realidade’’, diz. Na criação dos produtos que foram exibidos, como bolsas, mochilas, carteiras e cintos, Daudt brincou bastante com elementos que estavam relacionados principalmente com o urbanismo. ‘’O estúdio trabalhou principalmente com stencil, spray e com aplicações recortadas do universo urbano, que são características do trabalho deles, gerando valor a partir dos elementos que são ícones e muito parecidos com os de Basquiat, que é a nossa referência na ideia de colagem’’, explica.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Cusco Rebel chegou carregado na palavra colagem, que pode ser vista por meio das customizações produzidas pelo estúdio para as outras três marcas. Nelas, foram criadas uma linguagem irônica e artística que valorizava a visão do próprio artista. ‘’Cusco customizou as peças de todos os estúdios que estão aqui dentro da sua linguagem de arte, algo urbano e com elementos muito carregados, mas principalmente com um teor de ironia muito forte. Então, nós acabamos valorizando as peças com o trabalho do artista’’, diz. Assim como Fernanda, Custo cria uma relação bem próxima com o trabalho de Basquiat, principalmente na questão estrutural e dinâmica da arte. ‘’O Cusco, que é um artista local, entra no tema colagem justamente por ser muito parecido com o Basquiat em estrutura e na dinâmica de arte dele. Ele customizou peças de cada um dos estúdios que está aqui dentro, gerando um valor entre o couro, a arte e o produto final’’, afirma.

Com um olhar bem contemporâneo voltado para o comportamento do indivíduo feminino, o estúdio Nuu Shoes, uma marca dinâmica e jovem de calçados, trouxe diretamente de Belo Horizonte a força da palavra reconfiguração para o mundo da moda e, claro, para os corredores de um dos maiores salões de design e inovação de materiais da América Latina. ‘’Eles trabalharam essencialmente com a ideia de mulher urbana que de alguma forma transita por um universo muito mais disruptivo, que não procura os seus sapatos em coleções de grandes marcas, mas que buscam por coleções independentes com menos produtos, com saltos e desenhos disruptivos, com solados incríveis e montagens de estrutura de sapato de maneira muito mais criativa e inovadora. Nuu Shoes tem um recorte muito pontual no mercado com sapatos, formas, picos e saltos muito contemporâneos que se encaixam diretamente na reconfiguração’’, explica.

Seguindo a linha de calçados, o Cupcake Shoes decidiu focar todo o seu trabalho na produção de espadrilhes com o uso do couro inspirado no Preview do Couro a partir da metodologia presente nos 10%, criando, portanto, produtos autorais. ‘’Cupcake Shoes amarrou o projeto deles a partir das espadrilhes, só que o desafio foi reconstruir a marca que tinha solados muito básicos a partir da ideia de colagem, então ele têm ilhamentos de borracha, que são feitos de forma manual, e utilizando o couro para fazer botas, tênis e sandálias’’, conta.

Mais uma vez, o projeto Preview do Couro provou que o mercado coureiro brasileiro tem sempre uma novidade que será o norte das próximas coleções, de modo que tornou-se hoje uma das principais referências deste âmbito da moda no mercado mundo afora. ‘’Esse couro, além de ser distribuído pelo Brasil, principalmente esse couro do preview, vai atravessar o mundo, vai para exposições em Paris, Nova York, em Hong Kong, ou seja, estamos levando couro brasileiro, ideias criativas dos curtumes e dos designers e pulverizando isso em todas as partes do mundo onde se produz calçados e têm as principais feiras ou salões de design, como a Prèmiere Vision’’, diz. Para Marnei, esse sucesso todo não seria possível sem a parceria entre o projeto e o Inspiramais, que possibilitou uma rede criativa entre os dois que vai além das fronteiras tecnológicas e geográficas. ‘’Nós respiramos o Inspiramais, que é o grande motor de criatividade para toda essa cadeia. Então, somos uma pequena parte dentro de um processo muito maior. O fomento do Inspiramais reflete absolutamente o Preview do Couro, o que faz com que nós façamos as empresas correrem através de empreender’’, declara! Vida longa à essa parceria de sucesso!

Quem faz: O salão é promovido pela Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e Programa de Internacionalização da Indústria Têxtil e de Moda Brasileira (Texbrasil), Brazilian Leather, By Brasil Components, Machinery and Chemicals e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Tem patrocínio da Cipatex, Altero, Bertex, York, Grupo Lunelli, Sappi Dinaco, Wolfstore, Caimi & Liason, Brisa, Intexco, Tecnoblu, Britânnia Têxtil, Cofrag, Colorgraf, Endutex, Componarte, Branyl, Berlan, e Suntex. Conta com o apoio da ABEST, ABICAV, Abicalçados, IBGM, Instituto By Brasil (IBB), In-Mod, ABV-Tex, Ápice, Abimóvel e Guia JeansWear by Style WF.

Pesquisas relacionadas

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,