Gente & Comportamento

Retrospectiva site HT: De Thiago Fragoso a Marcelo Serrado, relembre os galãs que estamparam os editoriais de 2018

No total, 23 editoriais preencheram o nosso site trazendo fortes opiniões políticas das celebridades sobre os acontecimentos da época. Desde música até o audiovisual, tudo foi assunto por aqui em ensaios que revelaram artistas vibrantes e uma equipe de peso

Publicado em 28/12/2018 | Por Ana Clara Xavier

Produzir cada vez mais editoriais com badaladas celebs da música, cinema, televisão e teatro. Este é um dos principais objetivos do site HT. E o resultado é maravilhoso. Não só aumentamos em 35% o número de ensaios de moda em relação ao ano passado como também levamos matérias repletas de conteúdo com famosos que se sentem à vontade para falar sobre assuntos dos mais variados. O que começou como uma proposta tímida, hoje, ganhou o coração dos nossos artistas e leitores. Para 2018, resolvemos inovar cada vez mais trazendo um elenco cada vez mais plural que esbanje representatividade e opiniões fortes.

Para fechar 2018 com chave de ouro, resolvemos relembrar todo o caminho que percorremos até aqui. Dessa vez, precisamos dividir em duas matérias já que publicamos um total de 23 editoriais. Resultado de um trabalho de equipe, esta união de forças encontrou grandes parceiros seja na maquiagem, no styling, nas fotos e textos. Chegou a hora de relembrar toda a nossa trajetória ao longo deste ano difícil e repleto de altos e baixos. Conseguimos! E vamos garantir: não vão faltar ideias para o ano que vem. Promessa é dívida! Prontos para relembrar quais foram os galãs que passaram pelas nossas mídias? Vem!

Thiago Fragoso (19/01)

Thiago Fragoso é um lorde. O galã foi o primeiro artista a estampar os editoriais do site HT de 2018. Em um papo super leve e, ao mesmo tempo, cheio de opiniões, ele falou sobre o sucesso de sua atuação em O Outro Lado do Paraíso e ainda se mostrou um cara empático. Com cliques especialíssimos feitos por Patrick Sister no Rio Othon Palace, o styling marcante de Tracy Rato e a beleza natural da dupla Ewerton Pacheco e Marcelo Matos, o ator encarnou o modelo por um dia. De papel coadjuvante a protagonista, o artista conseguiu o feito de ganhar a cena na trama e acabar terminando com a personagem principal. “Acho que esta mudança de roteiro tem tudo a ver com uma obra aberta, ou seja, com os pontos de vista e a energia do ator, a história pode mesmo mudar de rumo. Isto acontece, principalmente, se o autor é generoso e está ligado na repercussão. Quanto ao meu papel, não existe uma preparação para ser protagonista”, sugeriu. O rapaz ainda falou sobre o privilégio de trabalhar ao lado de grandes feras da televisão como Fernanda Montenegro e Lima Duarte.

Conjunto de blazer e gravata Ricardo Almeida I Camisa Damyller I Sapato Mr. Cat (Foto: Patrick Sister)

A verdade é que 2018 foi um ano cheio para Thiago. Semanas depois que o editorial foi publicado, o ator precisou finalizar às pressas a sua participação em O Outro Lado do Paraíso por ter sido diagnosticado com uma doença grave. Agora, tudo já está melhor. Durante a entrevista, ele ainda comentou sobre a experiência de quase morte que teve quando se apresentava no espetáculo Xanadu. “Fiquei com medo. Não apaguei em momento nenhum, lembro de tudo o que aconteceu, o que foi ainda pior”, lamentou. Para completar, criticou a educação das escolas brasileiras que – adivinhe- continua exatamente da mesma maneira que ele pontuou. Na sequência, ele aproveitou para soltar o verbo sobre as divergências socioculturais que perduram no Brasil. “Sou tijucano, eu voltava andando para casa vendo a balas perdidas voando pelo céu do Morro dos Macacos. Nada mudou desde a minha infância, na verdade piorou. O estado está politicamente falido e está sendo depredado há muito tempo”, analisou.

Micael (04/05)

Com uma bagagem de vida gigante frente a pouca idade, Micael é o artista que começou no Nós do Morro e, de mansinho, dominou a cena artística nacional. Agenciado por Anitta, o cantor é dono do hit A Noite Toda e mostrou toda a sua versatilidade através dos looks cleans e minimalistas deste editorial. Sob as lentes de Alex Santana tendo a suíte do Rio Othon Palace como pano de fundo, o artista multifacetado provou que não lhe faltam cartas na manga. Com beleza de Vivi Gonzo e styling certeiro de Rafael Ourives, o nosso galã revelou que carrega a música como o seu amuleto da sorte e as experiências de sua trajetória como ensinamentos. De Nós do Morro para cá, o rapaz já atuou em Malhação, Cidade de Deus, Rebelde e O Tempo Não Para, mas, mesmo assim, acredita que precisa ralar muito para conseguir o seu lugar ao sol. “Eu acho que toda essa busca que tenho na minha carreira é para um dia ser uma pessoa relevante no mercado da música e da atuação. E é isso, estou em busca dessa evolução”, afirmou.

Casaco Renner/ Tshirt Foxton/ Calça Renner/ Bota Levi’s (Foto: Alex Santana/ Grooming: Vivi Gonzo/ Styling: Rafael Ourives)

No papo que acompanha o editorial, Micael revelou o passo a passo de sua carreira até atingir o estrelato como cantor, compositor e ator. Inclusive, a parte na qual ele acabou sendo apadrinhado por Anitta. “Ser empresariado por ela é um gancho muito forte e uma responsabilidade enorme. As pessoas ficam muito mais ligadas querendo saber porque ela está apostando em um novo artista”, garantiu. E mesmo sendo constantemente relacionado à poderosa, ele garantiu que adora a associação. “Não me incomoda em nenhum momento. Eu estou aí para mostrar o meu trabalho e, até que eu consiga fazer isso, acho super normal. Mesmo assim, acho tudo isso muito positivo porque eu acabo sendo ligado a um nome forte e que está se destacando cada vez mais. A gente vê tanta coisa boa dela, que isso é bom para mim também”, afirmou.

Caco Ciocler (29/08)

Dos holofotes de Segundo Sol para o sucesso de Simonal, Caco Ciocler dominou o espaço do audiovisual em 2018, como mostramos aqui. Através do olhar de Alexandro Adds, o styling de Milton Castanheira e a beleza de Everson Rocha, o ator listou os diversos trabalhos que exerceu ao longo do ano. Tratando de temas polêmicos como machismo e racismo em Segundo Sol, o galã não teve papas na língua no momento de externar tudo o que pensa com relação às atrocidades que enxerga no cenário social e político brasileiro.As pessoas estão cada vez mais fechadas e violentamente resistentes ao diferente. Não querem saber o que a gente pensa, perguntam para qual time torcemos e em quem vamos votar para saber se vai ou não iniciar uma conversa. Não faço mais, porque é um desserviço”, afirmou.

Foto: Alexandro Adds/ Styling: Milton Castanheira/ Grooming: Everson Rocha/ Créditos: Camisa: Hugo Boss/ Calça: Ricardo Almeida

Dono de uma carreira no audiovisual promissor, o artista já trabalhou diversas vezes como diretor e pretende aprofundar cada vez mais os seus desafios. “Não dá para achar que entretenimento é cultura. São duas coisas diferentes. As pessoas querem muito se distrair de suas vidas e pouco mergulhar em suas realidade, que é o papel da arte. Sem cultura, sem educação e sem dinheiro no bolso leva a população não querer se estressar e pensar. O ser humano está ficando cada vez mais superficial. A arte está sendo muito castigada, porque a humanidade está caminhando para outro lugar e, paradoxalmente, somente ela pode nos salvar. Espero que daqui a pouco o povo volte a sentir falta desta união e da reflexão”, analisou

Fabrício Boliveira (03/09)

No mínimo inspirador. É assim que podemos resumir o editorial de Fabrício Boliveira. À frente da luta contra o racismo e sendo um ícone de representatividade, o ator é tudo isso e muito mais. Dono de um talento incrível e de uma beleza inegável, o galã se mostrou confiante e um exímio modelo em um editorial super artsy através dos olhos de Alex Santana. Colorido, alegre e pungente, ele deu ainda mais vida para os parágrafos que acompanharam cada fotografia. Com styling de Anderson Vescah e beleza de Everson Rocha, vimos um Fabrício dedicado à labuta e apaixonado pela vida. “Acho que tem um pouco dessa minha relação com o outro que eu carrego de Salvador. As pessoas na Bahia são muito abertas e têm interesse pelas pessoas, são realmente ávidas por ajudar. Tive que dosar isto um pouco, inclusive, ao trabalhar fora da Bahia, porque são culturas diferentes, mas não deixei de ser assim. Não tenho medo de ser quem sou”, enfatizou.

Foto: Alex Santana/ Styling: Anderson Vescah/ Beleza: Everson Rocha/ Crédito: Blazer Handred

Tendo enfrentado preconceitos e dedicado a sua vida a expandir cada vez mais o poder de fala dos negros, o ator ainda soltou o verbo sobre a falta de espaço que ainda perdura na sociedade. “De algum jeito, existe uma falta de comunicação. Acabei de fazer um curta no qual a equipe inteira era negra e uma amiga minha do GNT quer montar uma equipe fixa só com negros. Falei com vários conhecidos sobre isso e recebi uma lista de mais de 150 nomes. Existe esta mão de obra, mas tem algum buraco que nos impede de encontrar. Eu funcionei como um canal para esta minha amiga, mas, de algum jeito, precisamos de uma forma que consiga passar e ser esta fonte de integração. De facilitar os dois lados: oferta e demanda. Estamos na batalha, mas acho que temos poucas modificações. Temos que abrir esta discussão em todos os ambientes de trabalho”, lamentou. Mesmo tendo consciência disso, o ator comemorou o fato de ser um ícone de representatividade para meninos e meninas que desejam atingir o estrelato da classe artística.

Juliano Laham (17/10)

Dono de uma simpatia ímpar, Juliano Laham é o gentleman que estampou mais um editorial do site HT em 2018. Com uma bagagem repleta de experiências internacionais de passou a vida se mudando entre países como Brasil, Líbano e Inglaterra, o ator tem um currículo recheado de papéis marcantes que incluem o seu personagem em Orgulho e Paixão, onde protagonizou mais uma quebra de preconceitos ao beijar o ator Pedro Henrique Müller. Assumidamente a favor da causa, o ator, claro, foi vítima de preconceito nas redes sociais pela demonstração de carinho em cena. Mas quer saber? Quem disse que ele ligou muito? “Com toda a certeza, este personagem foi um grande presente na minha vida. Foi incrível poder falar sobre este preconceito. Acompanhei de perto a transição dele e encarei todas as dificuldades que teve para se aceitar e contar para a família sobre a sua condição”, relembrou. Sob as lentes de Marcio Farias, com beleza de Stephanie Farah e styling de A-Produção, o rapaz ainda falou sobre família, xenofobia, carreira e eleições 2018.

(Foto: Marcio Farias/ Beleza: Stephanie Farah/ Styling: A-Produção/ Créditos: Jaqueta Levi’s, Jeans Docthos, Regata Reserva)

Entre tantos assuntos polêmicos que tratamos nesta entrevista, um dos mais tocantes para o ator foi a xenofobia, afinal, é algo que o rapaz não consegue compreender. E não é por mal. Juliano pode ser considerado um cidadão do mundo por ter morado em vários países diferentes. No entanto, basta abrir o jornal que a verdade nua e crua fica exposta na sua frente. “Falar sobre isto é sempre muito delicado. Obviamente, nós, brasileiros, temos os nossos ancestrais índios, negros e portugueses. Precisamos defender isto com unhas e dentes. No entanto, tudo se aprende com o próximo. Sendo assim, se hoje o país é uma potência, é porque houve uma grande miscigenação. Temos antepassados italianos, portugueses, japoneses, entre outros. Chega a ser hipocrisia pensar o contrário e ser contra a imigração contemporânea. Temos que nos questionar quem somos e de onde viemos. Sou completamente contra este preconceito contra outros povos se refugiarem aqui. Precisamos urgentemente respeitar o próximo. Nós ganhamos muito mais do que perdemos com esta mescla”, criticou.

Marcelo Serrado (16/11)

Ele acredita, faz e acontece. Assim é Marcelo Serrado. Atuando em vários papéis emblemáticos, o ator está no ar em O Sétimo Guardião, em que interpreta um homem machista que promete incomodar muito o público, abrindo feridas da sociedade. “É um cara misógino, ao ponto de criticar o fato das mulheres trabalharem na sociedade atual. Manda a esposa transar com ele com a justificativa de querer fazer um filho homem, ‘porque o meu nasceu com defeito’. O papel é muito real e bem forte”, salientou. No mais, ele falou sobre os diversos trabalhos que desempenhou ao longo do ano como duas novelas, Pega Pega, escrito por Claudia Souto, e O Sétimo Guardião, de Aguinaldo Silva, e ainda marcou presença em seis longas, como Albatroz, dirigido por Daniel Augusto, Crô em Família, de Cininha de Paula, e Chacrinha – o Velho Guerreiro, de Andrucha Waddington. Além disso, apresentou o programa de reality e decoração da GNT, Reforma Para Dois, ao lado de Mariana Santos. O ator também apostou nos seriados ao atuar em Sob Pressão, de Andrucha Waddington, e em Amores Roubados. Com beleza de Stephanie Farah, cliques de Pedro Garrido e styling de A-produção, o artista posou para um editorial belíssimo sob o plano de fundo da praia de Copacabana, no Rio Othon Palace.

(Foto: Pedro Garrido / Styling: A-produção / Make: Stephanie Farah/ Créditos: Blazer Docthos, T-Shirt e calça Reserva, Tênis New Balance)

Saindo de suas ocupações profissionais e entrando no campo político, o ator falou ainda sobre o forte envolvimento com a política. Quem vê de fora nem imagina, mas a verdade é que Marcelo Serrado está cada vez mais engajado politicamente. Ele chegou a se reunir com o deputado Marcelo Freixo, Odilon Wagner, a deputada federal Jandira Feghali, o diplomata e agora deputado Marcelo Calero e o deputado federal Alessandro Molon para discutir o futuro cultural do Brasil. “O povo está criticando muito os artistas, mas acho importantíssimo se informar sobre isto. Nós, atores, geramos muitos empregos. Somos uma indústria e o Brasil é muito grande. Trabalhamos muito e não nos aproveitamos da Lei Rouanet”, adiantou.

Pesquisas relacionadas