Gente & Comportamento

Dr. Gabriel Basílio tira todas as dúvidas sobre a cirurgia de rejuvenescimento genital feminino

O órgão sexual feminino tem características especiais e tem despertado uma preocupação no sentido de manter uma aparência mais rejuvenescida, porque, assim como todo o corpo, existe o envelhecimento desse órgão e alterações morfológicas de anatomia

Publicado em 21/11/2018 | Por Junior de Paula

*Por Dr. Gabriel Basílio

O tema da coluna de hoje é a Cirurgia íntima, também conhecida como ninfoplastia ou rejuvenescimento genital. Estes são alguns dos termos que geralmente usamos para a cirurgia de órgãos genitais femininos, apesar de que, agora, existe, também, uma demanda por algumas cirurgias para órgãos genitais masculinos de forma mais regular.

Ao se tratar de mulheres, a vulva tem características especiais e são órgãos que tem despertado uma preocupação no sentido de manter uma aparência mais rejuvenescida, porque, assim como todo o corpo, existe o envelhecimento desse órgão e alterações morfológicas de anatomia que acontecem durante o decorrer das fases da vida. A vulva de uma pessoa mais jovem, por exemplo, é mais gordinha, preenchida e tem maior conteúdo do coxim gorduroso e não tem tanta alteração de coloração ainda.

Com o passar do tempo, pode acontecer algumas transformações na região vulvar como a hipertrofia dos pequenos lábios, e, quando isso acontece, eles saem pelos grandes lábios e, às vezes, se tornam proeminentes e pendulares. Quando isso decorre, pode tanto incomodar na vestimenta, como dificultar higiene e trazer problemas e traumas durante o ato sexual, podendo machucar, causar dor e acabar sendo um desestímulo para o ato sexual para a mulher que é acometida por isso.

Leia Mais: Dr. Gabriel Basílio explica o que é curoplastia, cirurgia muito procurada por mulheres

Outras alterações que demandam a cirurgia íntima são a presença de uma quantidade maior de pele sobre o clitóris, o chamado capucho, além disso, alterações como pouca gordura nos grandes lábios ou ressecamento vaginal. Para tudo isso, nós temos procedimentos em que podemos além de tratar a hipertrofia dos pequenos lábios, de uma maneira bem simples com anestesia local e sedação e a paciente faz os cuidados no pós operatório. Rapidamente, em 7 dias, ela está quase plenamente recuperada. As cicatrizes são discretas, não ficam evidentes e as pessoas não ficam sabendo que a paciente operou.

Leia Mais: Dr. Gabriel Basílio fala sobre a lipoaspiração na papada e nos braços

Dr. Gabriel Basílio (Foto: Marcio Farias)

Outro procedimento que se pode fazer é a lipoenxertia, que é o preenchimento dos grandes lábios com a própria gordura da paciente ou até com ácido hialurônico, da mesma forma que são feitos os preenchimentos faciais. E para o clitóris faz-se uma plastia dessa pele que pode aparecer sobre ele, onde você faz um remodelamento, de forma que não altere nem a libido nem a sensibilidade, trazendo um resultado muito natural, seguro, sem estigmas, que desenvolve a satisfação e pode elevar a autoestima dessa mulher que procurou a cirurgia.

Leia também: Focado em exaltar o lado humano da cirurgia plástica, dr. Gabriel Basílio é focado em operação craniofacial e acredita na experiência da profissão: “Uma carreira precisa ser construída”

Leia Também: Dr. Gabriel Basílio fala sobre a cirurgia de correção das “orelhas de abano”, a otoplastia

Contato: dr. Gabriel Basílio

Telefone: (21) 2286-1692
Facebook: clique aqui
Instagram: @drgabrielbasilio

Pesquisas relacionadas