Cinema & TV

Premiado em Cannes, o longa “Bacurau” é o escolhido para abrir a 47ª edição do Festival de Cinema de Gramado

"Reiteramos também nosso compromisso assumido ao longo dos últimos anos, de maior inclusão nas salas de cinema e produção do audiovisual. Este ano, teremos mais de 20 atividades acessíveis a pessoas com deficiência, que vão contar com a tradução em libras, audiodescrição e legenda descritiva closed caption”, garante Edson Néspolo, presidente da Gramadotur

Publicado em 25/07/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Karina Kuperman

Em menos de um mês, a charmosa Gramado, na Serra Gaúcha, será tomada por tapete vermelho, Kikitos, astros e estrelas nacionais, muitas exibições de filmes e bastante glamour. Enquanto o dia 16 de agosto não chega, o site HT descolou algumas informações sobre o que acontecerá na próxima edição do Festival de Cinema de Gramado. O longa escolhido para abrir a 47ª edição do evento foi “Bacurau”, que conta uma emocionante história, que se passa em um futuro próximo, de um povoado isolado no sertão brasileiro, que depois da morte de dona Carmelita, aos 94 anos, mulher forte, querida e principal liderança da localidade, descobre que a comunidade não consta mais no mapa.

Festival de Cinema de Gramado, filmes concorrentes e homenageados (Foto: Edison Vara | Pressphoto)

Dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, o longa foi vencedor do Prêmio do Júri no Festival de Cannes, ao lado de nada menos que “Les Misérables”, de Ladj Ly. Diretores e grande parte do elenco de “Bacurau”, que será exibido no Palácio dos Festivais na sexta-feira, primeiro dia do evento, estarão em Gramado.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No dia 18, é “Legalidade”, de Zeca Brito, que terá vez em uma sessão especial, fora da competição. No longa, o ator Leonardo Machado, morto precocemente em setembro do ano passado, interpreta uma das mais emblemáticas figuras políticas que o Brasil já teve: Leonel Brizola, que liderou a Campanha da Legalidade, em 1961. O movimento foi uma mobilização civil para garantir a posse do vice-presidente João Goulart após a renúncia do presidente Jânio Quadros, a fim de assegurar que a Constituição Federal fosse respeitada e impedir o golpe militar. O Palácio Piratini e a Praça da Matriz, em Porto Alegre, cenários da história real, são, também algumas das locações do filme. No longa, em meio ao golpe iminente, uma misteriosa jornalista vivida por Cléo Pires pode mudar os rumos do país.

Leonardo Machado interpreta Brizola em “Legalidade” (Foto: Joba Migliorin/Divulgação)

O elenco ainda conta com as presenças de Letícia Sabatella, Fernando Alves Pinto, José Henrique Ligabue, Fábio Rangel e Sapiran Brito. Vale destacar que a sessão especial é uma homenagem a Leonardo Machado. O protagonista da história chegou a ser o apresentador oficial do Festival de Gramado por oito edições, e, em 2009, recebeu o Kikito de “Melhor Ator” por viver Boni no filme “Em teu nome”, de Paulo Nascimento.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Falando em homenageados, os desta edição são uma verdadeira seleção das artes. Dos gibis para a sala de cinema do Palácio dos Festivais, Maurício de Sousa, o “pai” da “Turma da Mônica”, receberá o Troféu Cidade de Gramado. “Muito feliz por saber que estarei sendo homenageado. Fico muito orgulhoso, estamos com o filme ‘Laços com Turma da Mônica’ em cartaz no Brasil todo e tem sido enorme sucesso, vamos exibi-lo no Festival e eu estarei presente para assistir com vocês”, comemorou. Além dele, completam o time de homenagens o ator, roteirista e escritor Lázaro Ramos, que ganha o Troféu Oscarito, o ator argentino Leonardo Sbaraglia, que leva o Kikito de Cristal e a cineasta Carla Camurati, que recebe o Troféu Eduardo Abelin. “Adorei receber essa homenagem, fiquei muito feliz mesmo. Gramado é um festival muito importante na minha vida, passei momentos emocionantes aí. Vai ser um prazer voltar”, disse ela.

Diversidade de produções, mescla de filmes autorais com títulos de maior apelo comercial, resistência em meio a uma conjuntura adversa – já que o evento mantém a tradição de nunca ter sido interrompido, acompanhando todas as fases do cinema nacional -, e investimentos superiores à edição passada marcam a nova edição. Dezenove longas-metragens em competição, 34 curtas, entre Mostra Gaúcha e Nacional, mostras paralelas, exibições especiais, debates e discussões sobre o mercado audiovisual movimentarão os oito dias de evento.

“Ainda que o cenário do país não seja favorável, com festivais importantes transferidos ou até cancelados e que tenhamos tido perdas irreparáveis, o Festival de Cinema de Gramado se mantém firme e chega em 2019 preparado para enfrentar as adversidades. Com o orçamento de R$ 4 milhões, similar ao do ano passado, incluindo recursos que serão captados através das Leis Rouanet e LIC –  Federal e Estadual – de incentivo à cultura, verbas diretas de patrocinadores e do aporte de recursos diretos da Gramadotur, foi possível manter a estrutura e garantir o padrão e qualidade que já são tradição no nosso Festival, patrimônio de valor imensurável para a cidade, para os gramadenses e para o país, e que muito nos orgulha”, disse Edson Néspolo, presidente da Gramadotur, autarquia municipal responsável pela realização do evento.

Os vencedores da Mostra Gaúcha em 2018 (Foto: Reprodução/Facebook)

“Reiteramos também nosso compromisso assumido ao longo dos últimos anos, de maior inclusão nas salas de cinema e produção do audiovisual. Este ano, teremos mais de 20 atividades acessíveis a pessoas com deficiência, que vão contar com a tradução em libras, audiodescrição e legenda descritiva closed caption”, destacou Néspolo. A sessão de cinema inclusivo reunirá de 300 a 400 cegos e surdos no primeiro sábado do festival. Além disso, o Educavídeo, que oferece capacitação em técnicas de audiovisual para estudantes da rede municipal de ensino de Gramado, também é uma das ações especiais do evento. O projeto, que nasceu como laboratório experimental, é, atualmente, um programa assegurado por decreto municipal. “O festival tem que ser vanguarda na acessibilidade. E o Educavídeo é o nosso berçário de cinema”, explicou Néspolo.

A turma do Educavídeo em Gramado (Foto: Reprodução/Facebook)

Registrando recorde de inscrições, o interesse crescente revela a importância e o prestígio que é ter a obra projetada na tela do Palácio dos Festivais. Os números impressionam: 195 longas-metragens brasileiros inscritos (foram 111 no ano anteior), 95 longas estrangeiros (foram 78 em 2018) e filmes de sete países distintos: Argentina, Bolívia, Chile, Costa Rica, México, Equador e Uruguai. Pensa que acabou? Pois a categoria de curtas-metragens brasileiros contou com 777 inscrições, mais do que o dobro da edição passada, e 12 selecionados. Os curtas-metragens gaúchos receberam 95 inscrições e terão 20 títulos em competição.  A novidade deste ano, aliás, é a mostra competitiva de longas-metragens gaúchos. “Onde esses filmes teriam espaço e poderiam ser exibidos?”, questionou Néspolo. “Gramado é uma ilha”, disse, referindo-se ao fôlego, alcance e representatividade do festival.

O Festival firmou Gramado como um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil(Foto: Reprodução/Facebook)

Desde a primeira edição, em 1973, o Festival de Cinema de Gramado fez os olhares do Brasil e do mundo se voltarem para a Serra Gaúcha, firmando Gramado como um dos destinos turísticos mais procurados de todo o Brasil. Além da celebração da produção brasileira e gaúcha, o evento ainda inclui em sua programação uma mostra competitiva de filmes ibero-americanos desde 1992.

Pesquisas relacionadas