Cinema & TV

No ar em 190 países na série “Ninguém tá olhando”, da Netflix, Kéfera Buchmann diz: “Já vi em várias línguas”

Co-protagonista da série, a atriz fala com empolgação sobre o projeto, a paixão pelo ofício e da relação com a internet: “A vida real mesmo acontece offline, e para isso, é sempre bom momentos de detox digital”, diz

Publicado em 26/11/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Brunna Condini

Kéfera Buchmann realizou mais um sonho como atriz. A influenciadora digital, que ficou conhecida do público através do seu canal 5inco minutos”, com 10 milhões de inscritos no YouTube, estreou na última sexta-feira, como uma das protagonistas de Ninguém Tá Olhando, na Netflix. Criada e dirigida por Daniel Rezende, a comédia pretende explorar questões complexas da humanidade com muito humor. Na história, Kéfera é Miriam: Ela é uma mulher de opinião e personalidade fortes, que acredita veemente em suas próprias crenças, diz, sobre a personagem da série que conta a história de Ulisses, o Uli, vivido por Victor Lamoglia, um anjo da guarda irreverente, que infringe as regras de proteção aos humanos.

Kéfera é Miriam na série “Ninguém tá olhando” (Foto: Divulgação)

A atriz se apaixonou pelo projeto e revelou que se reconhece muito na personagem. Me identifico com o lado empoderado da Miriam. Ela é idealista, deseja que o mundo seja um lugar melhor e diferente. Miriam se importa em ajudar os outros e odeia injustiças. Se ela se depara com alguma situação em que acha absurda, é capaz de parar tudo que está fazendo para ajudar o outro. Ela abre mão dela mesma em prol do bem dos outros. É ponta firme e acredita ter suas próprias respostas e construções da sua verdade”, detalha. “Me identifiquei muito com ela desde o começo, mas acho que o que nos difere é que eu já consigo mudar mais facilmente de ideia se alguém me apresentar um bom argumento. Acho que eu sou mais maleável para uma conversa, dependendo do assunto, mas não me importo em substituir minhas premissas se me apresentarem outras melhores”, diz ela.

Na trama, que tem oito episódios em sua primeira temporada, Ulisses se apaixona por Miriam, que namora Richard, vivido pelo rapper Projota. Kéfera, aliás, é fã de carteirinha do músico. “Durante os ensaios comentei que já ouvi muito ele durante uma fase específica da minha vida, em que uma letra de uma música específica traduzia muito do que eu estava sentindo na época, revela. O Projota se doou para a série e foi muito comprometido na construção do Richard. Estivemos juntos desde o começo batendo texto, pensando nesse elo de relação que precisaria ser construído e logo quebrado. Sem dar muito spoiler, mas todos já sabem que Miriam acaba se apaixonando por Uli. Então, logo no começo da série, eles já se apresentam como um casal em crise. Mas cuidamos muito para que tivesse uma liga forte entre os dois, para que quando fosse rolar o término, fosse convincente para o público e, principalmente, para ele, já que o personagem sofre com isso”.

Kéfera, Daniel Rezende e Projota no set da série (Foto: Divulgação)

Ela salienta ainda o desafio da composição para a série: Minhas personagens até hoje tinham o lado cômico e, dessa vez, eu tive que construir alguém do zero que foi diferente de tudo. Além do que, Miriam é uma personagem nada expansiva. Ela reage muito sobre tudo através de olhares e pequenas expressões. Foi muito legal o trabalho com o Dani (Daniel Rezende, o diretor), em que ele ia me dirigindo para fazê-la num tom mais contido.

Em seu instragram com quase 13 milhões de seguidores, Kéfera dividiu com os fãs, que não param de “maratonar a série e marcá-la nas redes sociais, seu entusiasmo com a repercussão do trabalho. Em um dos vídeos, a atriz brinca e marca a Netflix, mencionando o pedido de uma segunda temporada. Mas afinal, vai rolar? Não sei! Mas estou muito chocada com a interação das pessoas e o interesse de vários tipos de público pela série. Elas têm feito elogios e pedido muito por uma segunda temporada. Estou torcendo para que role. Mas parece que não é só seu público que está curtindo. A atriz confessou que já assistiu todos os episódios, algumas vezes. Já assisti três vezes em português. Estou terminando a primeira em inglês, o que é muito divertido. Ver o trabalho que a gente fez em outra língua é incrível e me deixa mais extasiada ainda. A série estreou em 190 países, ainda não caiu a ficha. Assim que eu terminar em inglês, vou começar a ver dublada em espanhol. É tudo muito surreal!, vibra.

Victor Lamoglia e Kéfera são Uli e Miriam (Foto: Divulgação)

A atriz exalta a temática de Ninguém Tá Olhando, que pretende fazer rir, mas também propõe uma reflexão sobre a existência. “Sou muito questionadora. Sobre tudo, o tempo todo. Acho que é daí que aprendemos e evoluímos muito. E tem como levar a ideia de ser questionadora para um lado positivo. Acho bom eu não me manter em um marasmo em relação a mim mesma. Tudo que me acontece é motivo para eu me questionar e questionar a atitude do outro também, filosofa Kéfera, que não acredita em anjo da guarda: “Acreditava mais quando era mais nova, hoje acredito muito em energia e na minha intuição”.

Aos 26 anos, a atriz, apresentadora e vlogueira, vem consolidando a carreira como atriz na TV e no cinema. Ano passado estreou em sua primeira novela, “Espelho da vida”, e contabiliza sete filmes. Ela não para e quer mais. Lancei o filme ‘Eu Sou Mais Eu’ em janeiro, terminei a novela em março, tive três dias de férias e já comecei a filmar a série. Foi tudo intenso e uma coisa atrás da outra. Gosto quando a vida anda bem movimentada. Eu amo trabalhar. Não gosto de ficar parada. Descansar demais me irrita, até, conta. Atuar é meu sonho desde criança e estar realizando é um grande privilégio e que me deixa muito feliz. Mas ainda quero fazer muito mais e ser desafiada com várias personagens diferentes.

Kéfera e Victor Lamoglia (Foto: Divulgação)

Com foco na carreira, Kéfera anunciou em outubro deste ano que daria um tempo nos vídeos do seu canal. Estar tão conectada sempre pede um detox em alguns momentos? “Continuo ativa no instagram, produzindo muito conteúdo para o IGTV. Isso tem me deixado muito feliz e mais livre para criar o tipo de conteúdo que eu sentir vontade. Mas a vida real mesmo acontece off-line e para isso, é sempre bom momentos de detox digital”, desabafa. E faz planos: “Quero atuar mais e mais. Lançarei um livro também de poesias. Sonho em fazer personagens diferentes e quem sabe até alguma que fale só inglês ou só espanhol”

Pesquisas relacionadas