Cinema & TV

Em uma mistura de entretenimento e aprendizagem, Gabriel Leone destaca importância de trazer a ditadura para os mais novos: “Essa é uma ferida do nosso país”

Para o trabalho na supersérie, o ator disse que ele e o elenco fizeram um mergulho profundo na temática. No caso de Gabriel, além de contar sobre os anos de chumbo, ele ainda interpretou a tortura da época. "Conhecemos historiadores que estudam os anos, viúvas, vítimas e militantes da ditadura"

Publicado em 18/09/2017 | Por Julia Pimentel

Gabriel Leone está brilhando em “Os Dias Eram Assim”. Na verdade, mais que isso. De fato, ele está mergulhado na história da Ditadura Militar no Brasil. Na ficção, o ator interpreta Gustavo, um jovem militante que sofreu com o pior lado dos anos de chumbo no país. Fora dos sets, com seu estilo discreto, ele também dá voz aos dramas políticos da atualidade e se insere em movimentos que lutam, por exemplo, pela valorização da cultura brasileira. Aliás, com essa experiência tão latente com o que foi a ditadura, Gabriel Leone acredita que esteja mais engajado com os discursos contemporâneos. “Tudo o que a gente vive na série mexe muito com a gente e com as nossas opiniões como cidadão. É muito louco pensar que estamos gritando por ‘Diretas Já’ na ficção em um contexto de décadas atrás e ver que esse é um discurso presente nas passeatas de hoje em dia também. Ou seja, é uma mistura de sentimentos”, disse.

Mistura, aliás, que ganhou ainda mais força com o passar dos episódios. No começo, através de uma pesquisa, a Globo constatou que o público da supersérie não conhecia a fundo a história da ditadura no país. Por isso, “Os Dias Eram Assim” também foi ganhando a missão de ensinar sobre os anos recentes que marcaram o Brasil. E essa foi uma proposta que, inclusive, contagiou os personagens da narrativa, como contou Gabriel Leone. “Nós estamos falando da história do Brasil que, muitas vezes, parece que ficou só nos livros da escola. Não é uma série de época, porque, na verdade, tem pouquíssimo tempo. Se a gente parar para pensar, muitas das pessoas que sofreram naquele período estão vivas ainda”, destacou o ator que traçou um paralelo dos anos de chumbo com os tempos modernos. “Foi um período tão conturbado como o que estamos vivendo agora. Por isso, é extremamente importante a gente lembrar o que foram esses anos de ditadura, por pior que essa experiência possa ser. Essa é uma ferida do nosso país, mas que não pode ser cicatrizada jamais. É fundamental que as novas gerações saibam o que as anteriores passaram”, disse o ator de 24 anos.

Gabriel Leone em “Os Dias Eram Assim” (Foto: Reprodução)

Para isso, Gabriel Leone e o elenco da supersérie precisaram, de fato, mergulhar neste período histórico do Brasil. No caso dele, por exemplo, o ator contou que precisou mergulhar na teoria que envolve as torturas da época, já que seu personagem da trama sofreu na pele os decretos do AI5. “A gente teve uma série de palestras com pessoas que viveram a ditadura de diferentes maneiras. Conhecemos historiadores que estudam os anos, viúvas, vítimas e militantes da época. Porém, algo que frisamos neste processo é que tivéssemos um frescor ao contar essas histórias. Esse contexto é muito pesado e, por isso, nós nos permitimos dosar a dor da ditadura”, explicou Gabriel que não escondeu a dificuldade e a intensidade que é dar voz a essa época hoje em dia e na televisão aberta. “É muito doído para nós que estamos revirando todos os dias as feridas conviver com essa história. Para nós, é como se sentíssemos uma pontinha da unha do sofrimento de quem viveu a ditadura da forma que contamos na série. Porém, ao mesmo tempo, a gente se sente honrado de estar podendo recontar a narrativa”, completou.

De todo modo, com a entrega e o talento de Gabriel Leone e seus companheiros de série, “Os Dias Eram Assim” vem ganhando elogios do público e um aumento na audiência. Desde que estreou, a produção já registrou o maior índice das novelas desta faixa da emissora. Sobre a experiência, Gabriel destacou que “Os Dias Eram Assim” tem acrescentado em sua vida pessoal e profissional. “Além do resultado estar sendo muito bacana, o nosso processo está sendo importante para nós que estamos vivenciando. É um trabalho que se destaca pela temática, intensidade e pelas trocas que temos tido em cena com a equipe”, disse.

Mais que a satisfação como ator,Gabriel também destacou a relação nos bastidores da supersérie (Foto: Reprodução)

Nesta crescente, o ator contou que já está escalado também para a próxima série da Globo de José Luiz Villamarin, “Onde Nascem os Fortes”. Com previsão de estreia para o primeiro semestre do ano que vem, Gabriel Leone disse que a produção ainda está na fila de suas dedicações profissionais. “Nós ainda não temos nada muito definido. Fora que, neste momento, estou focado em ‘Os Dias Eram Assim’ e só depois irei me dedicar ao próximo trabalho”, completou o ator Gabriel Leone.

Pesquisas relacionadas