Cinema & TV

Em abril, estreia “A Força do Querer”, próxima novela das 21h da Globo, que traz a transexualidade e o vício como temas. Fique por dentro!

No elenco, Juliana Paes, Isis Valverde, Paolla Oliveira, Edson Celulari, Rodrigo Lombardi e diversos outros grandes nomes têm a missão de contar sobre os desejos e vontades de seus personagens. Na pele de Ruy na trama, Fiuk destacou a importância da temática na teledramaturgia. "Eu acredito que temos que resgatar os nossos quereres porque o ser humano é feito essencialmente disso"

Publicado em 27/03/2017 | Por Julia Pimentel

O ser humano é feito de vontades. Sejam elas corretas, éticas ou dentro dos padrões, os quereres ditam a vida de uma pessoa e, de forma comunitária, de uma sociedade. E é justamente esse embate de vontades pessoas que Gloria Perez irá retratar em sua próxima trama da Globo. Batizada de “A Força do Querer”, a novela traz para o horário nobre da emissora, a partir do próximo dia 3, as consequências dos desejos da vida moderna. Entre as temáticas abordadas por Gloria Perez estão a transexualidade, o vício e o machismo. Sempre atenta a assuntos polêmicos e contemporâneos, a autora carrega em sua trajetória tramas de grande sucesso que tinham questões sérias como enredo. E em “A Força do Querer” não é diferente.

Isis Valverde, Paolla Oliveira e Juliana Paes estão no elenco de “A Força do Querer” (Foto: AgNews)

Segundo Gloria Perez, essas temáticas são reflexos de assuntos que estão em voga na sociedade e que despertam interesse na autora. Com uma carreira consagrada, Gloria garantiu que não sai em busca de temáticas fortes que resultariam em uma novela de sucesso. “Eu não saio caçando temas para pôr nos meus trabalhos. A partir de um olhar global, eu vejo o que me interessa e desperta curiosidade. E, a questão do transgênero, por exemplo, é o que está a nossa volta. O mundo passou a falar muito disso”, disse Gloria Perez.

Gloria Perez é conhecida por trazer temas polêmicos e atuais para as novelas da Globo (Foto: Divulgação/Globo)

Para dar vida às questões destacadas pela autora, “A Força do Querer” traz um elenco estelar e que atravessa gerações. Na pele da mãe da personagem trans, que será interpretara por Carol Duarte, Maria Fernanda Cândido viverá Joyce. Dedicada à família, a personagem terá uma ligação muito forte, principalmente emocional, com o marido Eugênio (Dan Stulbach). Sobre a temática de gênero na qual estará intensamente inserida, Maria Fernanda destacou a importância de o assunto ser tratado na teledramaturgia. “Eu acho que novela é uma mistura de entretenimento e discussão. A meu ver, um folhetim não tem a missão de fornecer nenhuma resposta, e, sim, de abrir debates sobre novos assuntos. Para mim, a novela precisa levantar questões. E, sendo a teledramaturgia parte da cultura brasileira, isso é muito positivo”, analisou.

Maria Fernanda Cândido será Joyce em “A Força do Querer” (Foto: Divulgação/Globo)

Quem também fará parte intimamente do núcleo da identidade de gênero será Juliana Paiva. Prima de Ivana (Carol Duarte), a personagem será a primeira a descobrir a decisão da transexual. No entanto, Juliana contou que conseguiu achar um viés cômico na vida de Simone, sua personagem em “A Força do Querer”. Apesar de não querer ser rotulada como uma atriz de humor, ela contou que gosta de seguir essa linha mais leve em sua carreira. “Ela é uma personagem voluntariosa e muito amiga. Na trama, a Simone está muito inserida na questão da prima que se descobre transexual e do vício em jogos da mãe. Embora ela tenha toda uma carga dramática, a personagem também traz boas cenas de comédia também”, contou Juliana, que nunca procurou desenvolver essa habilidade artística. “Eu acho que aconteceu de forma muito natural. Eu não conhecia essa minha veia cômica, mas, com as oportunidades, eu fui trabalhando e estimulando cada vez mais”, explicou.

No destaque da novela, um trio luxuoso brilha no elenco. Em “A Força do Querer” a trinca de beldades e ícones da nossa teledramaturgia ganham os papeis principais. Juliana Paes, Paolla Oliveira e Isis Valverde viverão mulheres fortes e determinadas, cada uma em seu núcleo, e irão costurar as histórias da trama. Paolla Oliveira, por exemplo, será Jeiza, uma policial que sonha em se tornar lutadora de MMA. No entanto, apesar da dedicação intensa às atividades tachadas como masculinas pela sociedade, a atriz contou que mantém seu lado doce e feminino na trama. “Eu descobri que a gente pode ter humor, feminilidade, doçura e bom caráter sendo uma lutadora e uma policial. Mais que tudo isso. A Jeiza vem mostrar que não importa os rótulos que deem para ela, ela continua sendo uma mulher. Então, a personagem traz muito a ideia de que nós podemos ser quem nós quisermos, independentes de nossas atividades, vocações ou interesses”, destacou.

Paolla Oliveira será Jeiza em “A Força do Querer” (Foto: AgNews)

Já Isis Valverde trará outra temática super atual para a nova novela da Globo. Na trama, a Ritinha, sua personagem, será adepta aos costumes e ideologias do sereísmo. Apaixonada pela natureza, a personagem irá usar caudas para nadar e longas madeixas, à la Ariel. “Eu comecei a pesquisar sobre essas mulheres que emulam as sereias. Com a novela, eu acabei descobrindo uma ideologia muito interessante. Mas a Ritinha não emula uma sereia. Na verdade, ela é apaixonada pela água, independente se é mar ou rio”, explicou Isis, que contou que prefere não levar as experiências aquáticas para sua vida pessoal. “Eu sempre deixo o personagem bem distante de mim. Às vezes, eu acabo usando uma frase ou colocando uma roupa mais fluida que trazem essa ideologia. Porém, gosto sempre de manter a distância para não atrapalhar a construção da personagem”, contou.

Isis Valverde na festa de lançamento de “A Força do Querer” (Foto: AgNews)

Outra mulher com ideologias fortes em “A Força do Querer” será Irene, personagem de Débora Falabella. No entanto, a atriz adiantou que ela não terá muito boa índole. Pelo fato de não gostar do rotulo de vilã, Débora definiu sua personagem como uma mulher de caráter duvidoso. “Ela é uma pessoa que não mede esforços para conseguir o que quer. Mesmo que isso seja passar por cima de sonhos e de uma família, ela não vai pensar duas vezes e vai priorizar os seus objetivos”, adiantou.

Débora Falabella viverá uma mulher de caráter duvidoso em “A Força do Querer” (Foto: AgNews)

Com tantas estrelas femininas no elenco, “A Força do Querer” também se destaca pela seleção de atores. Entre eles, Edson Celulari, Rodrigo Lombardi, Humberto Martins e Marcos Pigossi são alguns nomes de peso que prometem agitar a trama de Gloria Perez. Inclusive, Marcos Pigossi adiantou que seu personagem, o Zeca, trará emoções plurais para a novela. Intenso, ele irá passear entre a bondade e o machismo extremo em suas relações. “Ele é um personagem muito amplo. Ao mesmo tempo que ele é super do bem, tem um coração enorme e se preocupa em ajudar os outros, também foi criado de forma muito machista e traz isso para a vida. Para ele, mulher tem que estar dentro da cozinha e cuidando da casa. Porém, ele também tem humor e brinca com os amigos, sem deixar de ser turrão”, contou.

Marcos Pigossi na festa de lançamento de “A Força do Querer” (Foto: Divulgação/Globo)

Em uma mistura de realização com sonho, Fiuk não escondeu a emoção em estrelar uma novela do horário nobre da Globo e escrita por Gloria Perez, um dos principais nomes da atual geração. Sobre a experiência de interpretar o jovem Ruy na trama, o ator apropriou-se do título da novela. Para ele, essa foi a realização de um “querer antigo” de sua carreira. Embalado nesse assunto, Fiuk destacou a necessidade de trazer esta temática para o entretenimento de hoje. “Eu acho que a gente precisa falar disso. Ao mesmo tempo que nós somos feitos de quereres, estamos vivendo em uma geração que é o oposto do desejo. Os jovens só pensam em dinheiro, vaidade e necessidades. Eu acredito que temos que resgatar os nossos quereres porque o ser humano é feito essencialmente disso”, argumentou Fiuk.

Pesquisas relacionadas