Cinema & TV

Com trabalhos na TV, cinema e teatro, Eduardo Sterblitch conta que estará na bancada da próxima temporada do “Amor & Sexo”: “Saí do mais machista e fui para o mais feminista”

Depois de quatro anos no elenco do "Pânico na TV!", o ator contou que não tem como apagar o seu passado. E engana-se quem pensa que ele queira: "Por mais que eu saia do programa, o que eu fiz lá nunca vai sair de mim. Foi a minha faculdade e vai estar sempre no meu currículo"

Publicado em 13/01/2017 | Por Julia Pimentel

Considerado um dos maiores nomes da nova geração do humor, Eduardo Sterblitch está com diversos novos projetos na carreira artística. Depois de sair do “Pânico na TV!”, programa do qual participou por quatro anos e foi o principal responsável pela popularização do ator, o humorista agora é do grupo Globo. Na televisão, Eduardo Sterblitch será o novo convidado fixo da bancada do “Amor & Sexo” e também assinará roteiros da atração. Quando o assunto são os palcos brasileiros, o ator contou que está viajando o país com a sua peça “Eduardo Sterblitch não tem um talk-show”. Já nas telonas, o humorista estreia o longa “Os Penetras 2 – Quem dá mais?” no próximo dia 19.

Leia também: Depois do sucesso do primeiro filme, o longa “Os Penetras” volta aos cinemas com noves golpes e aventuras: “Muito mais ação”, adianta Mariana Ximenes

Sobre o filme que é a continuação do longa que foi sucesso em 2012, Eduardo definiu o trabalho como uma “delícia”. Ao lado dele, o elenco ainda tem Mariana Ximenes, Marcelo Adnet, Stepan Nercessian e Danton Mello. Na trama, Eduardo Sterblitch é Beto, um golpista atrapalhado que não costuma ter muito êxito em suas trapaças. “Os personagens são péssimos golpistas. Na verdade, até são bons em certo nível. O problema é que eles querem dar um passo maior que a perna. E isso acaba dando errado na história deles e super certo na graça do filme”, contou o ator, que não escondeu a animação em resgatar o personagem que foi sucesso anos atrás. “É uma delícia porque a gente consegue regurgitar uma ideia que já tínhamos na cabeça e evoluir e criar mais em cima dos personagens. Por isso, foi mais prazeroso do que difícil. Fora que quando a gente já conhece os atores e a equipe técnica fica bem mais fácil. Não tem aquela sensação de primeiro dia de aula. Mas eu confesso que existe um nervosismo tradicional”, completou.

Dalton Mello, Mariana Ximenes, Eduardo Sterblitch e Stepan Nercessian na pré-estreia de "Os Penetras 2 - Quem dá mais?" (Foto: AgNews)

Dalton Mello, Mariana Ximenes, Eduardo Sterblitch e Stepan Nercessian na pré-estreia de “Os Penetras 2 – Quem dá mais?” (Foto: AgNews)

Nas telinhas, a empolgação não é diferente. Depois de quatro anos na Rede TV!, Eduardo Esterblitch agora é contratado da Rede Globo. Este ano, o humorista estreia como roteirista e convidado a próxima temporada do “Amor & Sexo”. Por lá, Eduardo vai precisar traçar uma nova maneira fazer humor. “Eu acho que eu saí do programa mais machista e fui para o mais feminista. Eu estou precisando me desconstruir para estar no ‘Amor & Sexo’ e aprender muitas questões. Afinal, é um programa muito interessante e que levanta vários assuntos que, para muitas pessoas, ainda são tabus”, apontou o ator que não está encontrando grandes dificuldades no novo trabalho. “É um programa que já tem uma linha de pensamento parecida com a minha. Então, ali eu estou sendo eu. O difícil é só lidar com a expectativa”, completou.

Bancada de jurados do "Amor & Sexo" na temporada deste ano (Foto: Divulgação Gshow)

Bancada de jurados do “Amor & Sexo” na temporada deste ano (Foto: Divulgação Gshow)

Presente na televisão e no cinema, Eduardo Sterblitch não poderia deixar o teatro de fora deste momento de sua carreira. Na arte que lhe revelou para o “Pânico na TV!”, o ator está viajando o Brasil com o espetáculo “Eduardo Sterblitch não tem um talk-show”. Nesta peça, o humorista cria novos roteiros de acordo com a cidade em que vai se apresentar. “Eu viajo o país fazendo um talk-show especial para a cidade que eu vou estar. Então, em Salvador, onde eu vou me apresentar nesta semana, eu vou criar um texto em cima dos costumes, das pessoas e das minhas conversas lá. É como se fosse uma homenagem àquele povo”, explicou. Ah, e se você achou a ideia ousada e trabalhosa, Eduardo garante que é aí que está o diferencial de seu espetáculo. “É difícil, mas essa é a graça. O resultado é muito legal”, contou.

Além do desafio de criar novos textos a cada cidade visitada, Eduardo Sterblitch também enfrenta o período de crise no país. No momento em que a economia está mais enxuta, o ator reconheceu que a cultura passa a ser menos procurada. No entanto, Eduardo Sterblitch acredita que este momento seja um ciclo: ora bom, ora ruim. “Está mais difícil porque as pessoas estão escolhendo mais economicamente o que assistir. Hoje em dia, não está tão simples conseguir gente para te ver no teatro. Mas isso não prejudica o objetivo final”, analisou o humorista que acredita que a visibilidade fora dos palcos ajude na popularização do espetáculo. “Quando eu estava fazendo o Pânico e peças com os personagens do programa, existia um chamariz muito forte. Mas tudo é fase”, disse.

No teatro, o humorista está viajando pelo Brasil com o espetáculo "Eduardo Sterblitch não tem um talk-show" (Foto: Reprodução)

No teatro, o humorista está viajando pelo Brasil com o espetáculo “Eduardo Sterblitch não tem um talk-show” (Foto: Reprodução)

Por falar nos famosos personagens do “Pânico na TV!”, Eduardo Sterblitch reconhece que não tem como se dissociar de seu passado. Ele, que no programa humorístico interpretou os inesquecíveis Ursinho Gente Fina, Freddie Mercury Prateado, Melhor Melhor do Mundo e muitos outros, considera o Pânico a sua faculdade artística. “Eu acredito que a minha imagem ainda é muito presa ao programa por ser uma situação recente. Mas mesmo assim, não tem como contestar que o Pânico é um fenômeno. Por mais que eu saia do programa, o que eu fiz lá nunca vai sair de mim. Foi a minha faculdade e vai estar sempre no meu currículo. E eu não tenho nenhum problema quanto a isso, é natural”, disse.

Com tantos projetos humorísticos na carreira recente, passada e futura, Eduardo Sterblitch comentou como é fazer piada em tempos de cólera. Para ele, todos os assuntos são permitidos, basta ter bom senso. “Depende do cenário. Eu acredito que são bons sensos diferentes para o teatro, televisão, cinema, entrevista… Nós continuamos podendo falar sobre tudo, desde que haja um sentido naquele contexto. Eu acho que a piada polêmica pode ser feita tranquilamente, desde que ela seja mais engraçada do que controversa”, analisou o ator e humorista Eduardo Sterblitch.

Pesquisas relacionadas