Cinema & TV

Bruno Bevan, de “A Dona do Pedaço”, fala sobre diferenças de idade em relacionamentos: “Realidade de muitos casais”

O ator que interpreta o Zé Hélio, na trama de Walcyr Carrasco, também ressaltou a importância da parceria com Natália do Vale para contar a história: "Criamos uma relação de muito companheirismo e amizade também fora de cena"

Publicado em 21/11/2019 | Por Heloisa Tolipan

Terno Hugo Boss | camisa Armani | camiseta transparente Mara Mac (Foto: Robert Schwenck / Produção: Ale Duprat / Beleza: Edilson Ferreira com produtos Dior e L’Oréal / Assistente de produção: Beto Peixoto / Assistente de fotografia: Carlos Peixoto)

*Por Karina Kuperman

Bruno Bevan tem feito muito sucesso na pele de Zé Hélio em “A Dona do Pedaço”, trama que chega ao fim nessa sexta-feira e ao que tudo parece, seu personagem terá final feliz ao lado da amada Beatriz, vivida por Natália do Vale. A diferença de idade do casal rendeu o que falar ao longo da história de Walcyr Carrasco. “Acho muito interessante e pertinente abordar esse tema, pois essa é a realidade de muitos casais no Brasil e no mundo. Bacana mostrar que o amor existe em todas as formas, livre de diferenças de idade, gênero, raça”, destaca o ator, que só tem elogios para a parceira de cena: “A Natália é uma das mais belas e talentosas atrizes que eu já tive a oportunidade de contracenar, sempre conduziu de forma brilhante as nossas cenas. Criamos uma relação de muito companheirismo e amizade. Isso ajudou bastante para que pudéssemos construir de forma linda e verdadeira esse casal que encantou o Brasil. Espero estar com ela em futuros trabalhos e que possa cada vez mais contribuir. Virou uma amiga, conselheira e referência na vida e na arte”, comemora.

Terno Versace | camisa gola alta Ricardo Almeida (Foto: Robert Schwenck / Produção: Ale Duprat / Beleza: Edilson Ferreira com produtos Dior e L’Oréal / Assistente de produção: Beto Peixoto / Assistente de fotografia: Carlos Peixoto)

E será que viver essa história fez as cantadas aumentarem? “Na verdade, eu sinto que há uma identificação com a história do Zé Hélio e da Beatriz. Pude perceber que muitas pessoas vivem situações semelhantes, um amor com grande diferença de idade e que sofrem ou já sofreram preconceitos por conta disso”, analisa ele, que acredita que o assédio por parte de mulheres mais experientes tenha um motivo especial. “O tal ‘sucesso’ vem de uma admiração pelas atitudes e carinho do Zé Hélio com a Beatriz”, arrisca o novo galã do pedaço. “Esse rótulo de galã me surpreendeu, afinal, trabalho ao lado de atores como Caio Castro, Reynaldo Gianecchini e Malvino Salvador“, pondera ele. “Mas fico feliz com o reconhecimento e carinho por parte do público. Embora não seja o foco do meu personagem, encaro de forma positiva o rótulo”.

Casaco Docthos | Moletom Ellus | Boot Ricardo Almeida (Foto: Robert Schwenck / Produção: Ale Duprat / Beleza: Edilson Ferreira com produtos Dior e L’Oréal / Assistente de produção: Beto Peixoto / Assistente de fotografia: Carlos Peixoto)

Bruno, que já havia estreado na televisão, em uma participação especial em “O outro lado do paraíso”, também de Walcyr Carrasco, conta como conseguiu o papel na trama das 21h. “Na época que surgiu o convite eu estava morando no México e um produtor de elenco entrou em contato para eu fazer o teste. Foi uma loucura, muito corrido, porque eu tinha que estar no Brasil em dois dias. Comprei a passagem, larguei tudo e fui atrás desse sonho. Passei a viagem toda passando o texto para o teste”, lembra. “Mas o empenho e o trabalho são os mesmos em uma participação especial ou estando na história completa. Uma cena pode ser tão importante para um personagem quanto uma obra inteira, em apenas uma fala toda sua trajetória pode ser mudada. A preparação e construção passam pelo mesmo processo”, destaca.

Jaqueta Ellus | Calça Levi’s | Camisa Neoprene Decathlon | Boot Levi’s (Foto: Robert Schwenck / Produção: Ale Duprat / Beleza: Edilson Ferreira com produtos Dior e L’Oréal / Assistente de produção: Beto Peixoto / Assistente de fotografia: Carlos Peixoto)

Com a história chegando ao fim, Bruno só tem o que comemorar: “Foi muito positivo. Zé Hélio me fez evoluir como ator e também como ser humano, acredito que a cada trabalho realizado podemos trazer muitas coisas boas. Me enxergo cada vez mais preparado para enfrentar novas e maiores responsabilidades como ator. Sem contar que o personagem transitou sobre um assunto importante da nossa sociedade, mostrando a cada capítulo que o amor está acima de tudo. O Zé Hélio me mostrou um amor livre de qualquer preconceito, foi um personagem que procurou respeitar e entender as questões individuais de cada um, deixando um legado importante para todos”, diz. Os planos para agora? “Pretendo continuar fazendo novelas, de repente uma de época, que sempre tive vontade. O importante é que seja um papel que me tire da zona de conforto e que me faça evoluir como ator. Tenho projetos para o cinema e canais de streaming”. O ano de 2020 promete.

(Foto: Robert Schwenck / Produção: Ale Duprat / Beleza: Edilson Ferreira com produtos Dior e L’Óreal / Assistente de produção: Beto Peixoto / Assistente de fotografia: Carlos Peixoto)

Pesquisas relacionadas