Cinema & TV

Astros de Hollywood Henry Cavill e Armie Hammer lançam “O Agente da U.N.C.L.E” no Cine Odeon, clássico do Rio de Janeiro

Os atores estão há dois dias na cidade e passaram pelo tapete vermelho para divulgar o filme que mistura ação, espionagem e comédia

Publicado em 25/08/2015 | Por Karina Kuperman

Henry Cavill e Armie Hammer chegaram ao Brasil ainda no fim de semana para aproveitar os dias de folga antes da maratona que os esperava para para divulgar o filme “O Agente da U.N.C.L.E”, em que interpretam os inimigos Napoleon Solo, norteamericano e agente da CIA, e Illyia Kuriakin, um espião russo da KGB, respectivamente. Inspirado em uma série de televisão americana que foi ao ar entre 1964 e 1968, “O Agente da U.N.C.L.E” se passa no período pós-Guerra Fria, quando os Estados Unidos e a Rússia disputavam a soberania mundial e conta a história da dupla de agentes, que se veem obrigados a cooperar em uma missão para deter uma organização internacional criminosa, a T.H.R.U.S.H, que desenvolve armas nucleares. Dirigido por Guy Ritchie, responsável pelo sucesso “Sherlock Holmes”, o filme mistura ação, aventura e espionagem com comédia e tem nomes como Alicia Wikander, Elizabeth Debecki e Hugh Grant. Pois bem: às vésperas de chegar aos telões brasileiros – a estreia oficial é dia 3 de setembro – uma grande operação foi armada no Rio para a divulgação do longa, com a participação dos atores.

IMG_1621

Henry Cavill e Armie Hammer posam na pré-estreia de “O Agente da U.N.C.L.E” no Cine Odeon (Foto: AgNews)

Armie Hammer, conhecido por seus papéis em filmes como “A Rede Social” e “Espelho, espelho meu”, trouxe a mulher, Elizabeth Chambers, para a viagem e tem postado diversas fotos em suas redes sociais. O casal e Henry Cavill, o Super-Homem de “O Homem de Aço” estão encantados pela cidade maravilhosa. Não é para menos. O trio visitou diversos pontos turísticos da capital carioca, como o Pão de Açúcar, na Urca, o Cristo Redentor e o restaurante Aprazível, em Santa Teresa. Armie fez questão de declarar seu amor pelo Rio de Janeiro em legendas como “Não quero ir embora” e “Felicidade é tomar uma caipirinha dentro de uma casa na árvore”. Já Henry, que não está nas redes sociais, demonstrou sua admiração ao vestir a camisa da seleção brasileira durante a visita ao Cristo Redentor.

11925581_901414813276280_2049619317_n

Henry Cavill posa com camisa personalizada da seleção brasileira durante visita ao Cristo Redentor (Foto: Reprodução/Instagram)

Na tarde dessa segunda (24/08), os astros conversaram com a imprensa em uma coletiva no Copacabana Palace, hotel em que estão hospedados. Em seguida, foram à pré-estreia do filme, que aconteceu no Cine Odeon, no centro da cidade. Com um terno branco, o protagonista Henry Cavill chegou arrancando suspiros dos fãs, que lotavam os arredores da Cinelândia. O ator foi recepcionado calorosamente pelos presentes e por Rafa Brittes, mestre de cerimônias do evento e fez questão de agradecer ao Brasil durante todas as entrevistas. Cavill declarou que o elenco e a produção se tornaram muito próximos durante as filmagens. “Foi tão divertido fazer o filme quanto é assisti-lo. Filmar com essas pessoas foi ótimo, eu fiz verdadeiros amigos”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Durante a coletiva de imprensa, Henry Cavill já havia analisado seu personagem e explicou que Napoleon é um ladrão que aceita trabalhar como espião para se livrar da cadeia. Perguntado se é ele quem interpreta as cenas de ação, o ator contou que prefere fazer, mas que muitas vezes a produção opta por um dublê. “Eu gostaria de fazer todas, mas quando a cena é filmada de longe não dá nem para ver o nosso rosto. Nessas cenas, a produção coloca o dublê porque se a gente se machucar as filmagens param e isso custa dinheiro. Mas sempre que me permitem eu mesmo faço”. O ator, que já havia declarado nunca ter assistido um episódio da série que originou o filme, disse que construiu seu personagem com total liberdade. “Não quis me influenciar, só o nome é igual”, contou.

Armie chegou antes e passou pelo tapete vermelho com Elizabeth Chambers. O ator parou para posar para fotos com todos que o aguardavam e afirmou que foi a melhor recepção que já teve. “Essa é a melhor multidão de todas”. Armie contou que a primeira coisa que passou em sua cabeça ao aceitar o papel foi o nome do diretor Guy Ritchie. “Saber que ele estaria na produção era o que eu precisava para pegar o papel. Guy Ritchie é o melhor”. Perguntado sobre a diferença de seu personagem para o espião da série original, o ator declarou que nunca havia assistido “The Man of U.N.C.L.E” antes, mas que se tornou fã. “Eu não sabia da existência da série de televisão e quando eu fui contratado para o filme eu fiz questão de assistir todos os capítulos desde o início e amei. É uma história incrível”. Armie Hammer contou que o sotaque russo foi o maior desafio ao interpretar o personagem. “Mais do que lutar contra o Super-Homem”, brincou, fazendo referência ao outro personagem famoso do colega de cena.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Elizabeth Chambers estava elegante a bordo de um vestido preto e era simpatia pura ao ver o sucesso do namorado. “É estranho ver o assédio em cima dele, mas eu gosto muito, porque significa que as pessoas admiram seu trabalho e isso é incrível”. Elizabeth, que é apresentadora, também se declarou apaixonada pelo país e elegeu a vista do Pão de Açúcar como sua preferida. “Estava um pôr-do-sol lindo quando fomos. A gente amou o Brasil. Só estamos há dois dias e não queremos mais ir embora”, disse.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O evento contou com a presença de famosos como o jogador de vôlei Giba, a bailarina Carol Nakamura, a atriz Maytê Piragibe e outros, ansiosos para assistir às aventuras da dupla de espiões. Durante a passagem dos famosos pelo tapete vermelho, o DJ animava os atores e seus convidados com uma trilha sonora charmosa baseada no filme. Em seguida, todos entraram para conferir o longa em uma das salas do Cine Odeon, que é considerado um dos patrimônios arquitetônicos e culturais mais conhecidos da cidade do Rio de Janeiro. Não podia ter recepção melhor.

Pesquisas relacionadas