Teatro & Pensata

100 anos de Nelson Gonçalves: espetáculo imerge na dualidade do subconsciente do cantor

Em Nelson Gonçalves – O Amor e O Tempo, os atores Guilherme Logullo e Jullie mergulham na mente de um dos maiores ícones da música brasileira, revelando os maiores anseios do Rei do Rádio

Publicado em 04/01/2019 | Por Ana Clara Xavier

Cem anos de Nelson Gonçalves. Um centenário que o icônico Rei do Rádio chegou a este mundo para ganhar o coração do público. E, para comemorar , o Teatro Clara Nunes abre as suas portas no dia 04 de janeiro para o musical ‘Nelson Gonçalves – O Amor e O Tempo’.  “O Nelson costumava dizer que os brasileiros não tinham memória, portanto esta peça é fundamental para manter viva a chama da música deste homem tão importante. Ao mesmo tempo, o texto traz uma reflexão profunda do ser humano a partir das nossas escolhas e erros. Ele nunca desistiu, embora tenha caído diversas vezes. É um respiro que a população está precisando para se desligar um pouco da polarização e do ódio, de forma a entender melhor as próprias escolhas”, garantiu o idealizador, produtor e ator do espetáculo, Guilherme Logullo. Sob direção de Tânia Nardini e direção musical de Tony Lucchesi, a trama conta com um elenco enxuto de apenas dois atores em cena, sendo Guilherme Logullo e Jullie. Vem embarcar neste universo de Nelson Gonçalves!

Os atores Jullie e Guilherme Logullo interpretam Nelson Gonçalves, ao mesmo tempo. Enquanto, ela vive a razão do cantor, ele é o lado mais sentimental (Foto: Divulgação)

Foi Elis Regina que deu o start para a montagem deste espetáculo. Não está entendendo nada, né? Foi a partir de Elis, O Musical, que o ator Guilherme Logullo conheceu mais de perto a história de Nelson Gonçalves. A partir deste encontro, ele teve a ideia de montar uma peça que traçasse toda a incrível trajetória do cantor e de outros ícones da era do rádio. Mas somente em 2018 o projeto tomou forma. Depois de dar a Gabriel Chalita o ofício de roteirizar esta história, o escritor optou por focar na vida de Nelson em comemoração aos seus 100 anos.  “O mais interessante de todo este processo é que não quisemos fazer uma peça biográfica tradicional. A nossa ideia era sair do comum e criar um texto autêntico”, comentou. Apesar de carregar o nome de Nelson Gonçalves, a peça traz algumas pinceladas de realidade, mas carrega o espaço subjetivo. Dessa forma, o texto embarca em uma viagem pela cabeça do próprio cantor, vivenciando de perto todas as suas dualidades.

O ator Guilherme Logullo foi o responsável por idealizar e produzir o espetáculo. O trabalho deu start alguns anos atrás quando ele integrava o elenco de Elis, O Musical (Foto: Divulgação)

Neste espetáculo, Nelson Gonçalves é divido em dois, ou seja, não veremos unicamente um artista interpretando o ícone. O cantor aparece em duas representações personificadas de seu subconsciente, o amor e a razão. A ideia é justamente mostrar a dualidade que acreditava-se existir dentro do Rei do Rádio. “É completamente diferente do que o público está acostumado quando falamos de textos biográficos. Em todos os momentos, eu e Jullie estamos fazendo uma verdadeira homenagem ao Nelson”, garantiu. As pitadas de realidade aparecem quando o ator estaria no palco. É neste momento onde o público consegue se localizar no espaço e entender qual fase da vida do músico está sendo retratada. Enquanto isso, quando ele para de se apresentar, os dois atores voltam a significar o imaginário dele, trazendo reflexões sórdidas sobre o amor e o tempo.

Entrar na cabeça, literalmente, de Nelson Gonçalves acabou representando um desafio a mais. Estamos falando de não apenas mostrar a vida deste músico como também revelar os seus sentimentos mais íntimos. Esta tarefa, portanto, não é para qualquer um. Para tornar isto uma realidade, a equipe precisou ir atrás de documentários, entrevistas, textos e músicas do artista para entender cada vez mais quem era este homem consagrado. O resultado final parece, dessa forma, uma conversa do próprio famoso com o espelho. Super intimista e revelador. “A maneira como o Gabriel conta a história no texto é muito poética, o que é bacana. As pessoas vão se identificar de cara, porque o raciocínio que traçamos é muito parecido ao que todo mundo faz ao refletir sobre momentos da vida”, informou o idealizador. Para fechar com chave de ouro, os organizadores mantiveram contato com os familiares de Nelson o que ajudou fundamentalmente a compor o imaginário.

A peça não é uma biografia velada, a ideia é dar mais asas a imaginação do público e entrar de cabeça nos pensamentos do cantor (Foto: Divulgação)

‘E as músicas?’, você deve estar se perguntando. Bem, digamos que o que não falta são canções de sucesso neste musical. Estamos falando de 33 faixas que dominaram o cenário nacional no século passado. “É uma caixinha de música que não para”, adiantou o ator. São letras que marcaram gerações e contribuem para interligar o texto, deixando tudo ainda mais palatável.  “Inicialmente, nós tínhamos poucas canções, variava entre 15 e 20. No entanto, o nosso diretor musical agregou diversas outras letras. A partir disso, o nosso repertório foi muito baseado no sentimento de cada personagem a cada cena, costurando o texto. Nenhuma canção está ali gratuitamente, estamos contando uma história”, informou. É claro que com um repertório tão vasto, como era o caso de Nelson, fica difícil incluir tudo, mas Logullo garantiu que os maiores sucessos estão  bem representados.

A peça estreia neste final de semana no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)

Principalmente, em tempos de crise econômica, empreender em qualquer seara no Brasil está bem complicado. E no campo das artes não é diferente. “As pessoas pensam que é só conseguir participar de um edital da Lei Rouanet que está tudo certo. Este é só o primeiro passo. É preciso captar depois. Sendo um produtor, este é o trabalho mais difícil, porque temos que conseguir verba em tempos de incerteza”, explicou.

 

FICHA TÉCNICA:

NELSON GONÇALVES – O AMOR E O TEMPO

Um musical idealizado por Guilherme Logullo e Gabriel Chalita

Direção e coreografia: Tânia Nardini

Roteiro: Gabriel Chalita

Elenco: Guilherme Logullo e Jullie

Coordenação Artística: Guilherme Logullo

Cenografia: Doris Rollemberg

Figurinos: Fause Haten

Direção Musical: Tony Lucchesi

Direção de Produção: Jenny Mezencio

Assistência de direção e movimento: Nadia Nardini

Visagista: Diego Nardes

Design de Som: Gabriel D’Angelo

Design de Luz: Renato Machado

SERVIÇO:

NELSON GONÇALVES – O AMOR E O TEMPO

Pré-estreia: 4, 5 e 6 de janeiro de 2019.

Estreia oficial: 11 de janeiro de 2019.

Temporada: De 4 de janeiro a 24 de fevereiro de 2019.

Horários: sextas e sábados, às 21h. Domingos, às 19h30.

Local: Teatro Clara Nunes

Endereço: Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea.

Duração: 70 minutos.

Bilheteria online: www.tudus.com.br

Bilheteria oficial: Teatro Clara Nunes – De segunda a sábado, das 10h às 22h. Domingos, das 15h às 22h.

Telefone: 2274-9696

Valores: Sexta: R$80 (plateia) e R$50 (balcão). Sábado e domingo: R$100 (plateia) e R$70 (balcão).

700 lugares.

Livre.

Pesquisas relacionadas