Música & Badalo

“Quem faz todo o meu corre sou eu”, conta Duda Beat que sobe, hoje, ao palco do Circo Voador com sold out!

A cantora recifense, radicada no Rio de Janeiro apresenta um show na lona histórica da Lapa, com show de abertura de Mateus Carrilho e participação de Lucas Santtana e transmissão ao vivo no Canal Bis

Publicado em 20/09/2019 | Por Heloisa Tolipan

A cantora Duda Beat sobe ao palco do Circo Voador com ingressos esgotados (Foto: Fernando Tomaz)

*Por Rafael Moura

Atenção, bixinhxs! A Rainha da Sofrência Pop, linda, loura e cheia de hits ocupa hoje o Circo Voador, para mais uma noite catártica, na Lapa com direito a sold out! Duda Beat faz seu primeiro show com ingressos esgotados, na histórica lona da Lapa com direito a participações super especiais: Lucas Santtana e Mateus Carrilho, seu BFF. “Vai ser uma noite muito especial, eu estou felicíssima ainda mais com ingressos esgotadíssimo, pela primeira vez em um show meu. Isso é de uma emoção imensa, esse abraço caloroso com cheiro da brisa do mar carioca”, comemora. E para quem não conseguiu garantir seu passaporte para essa noite mágica, a novidade é que o canal Bis, irá transmitir o show, ao vivo. “As pessoas estão em polvorosa e eu estou super feliz. Ele vai ser transmitido, isso vai ser tão especial. Vai ser uma grande festa. Meus amigos vão, minha banda completa, o Lucas Santana vai como meu convidado e Mateus Carrilho vai abrir. Não poderia estar mais feliz”, celebra Duda.

O ano de 2019 tem sido massa para Eduarda Bittencourt, que começou com a energia lá nos ares, literalmente, pois, foi a convidada, especial, de Ivete Sangalo, no Carnaval da Bahia. Lotou um palco gigante no Lollapalooza, além de duas indicações ao Prêmio Multishow, nas categorias: Revelação do ano e Experimente. “Não consigo me conter de tamanha emoção. São tantas coisas lindas acontecendo que eu só tenho a agradecer”, destaca. Duda coleciona parcerias de sucesso, como o hit ‘Chega’, com Jaloo e Mateus Carrilho, ‘Só Eu e Você na Pista’, com Illy, ‘Meu Jeito de Amar’, com Omulu e Lux & Tróia, ‘Corpo em Brasa’, com seu conterrâneo Romero Ferro, ‘A Graça’, com Izenzêê, ‘Meu Primeiro Amor’, com Lucas Santtana e ‘Tangerina’, com Tiago Iorc. “Eu acredito muito nessa troca, nesse feat. A gente acaba trocando muitas experiências. A nossa vida é feita de trocas. Até mesmo no lugar de fã, eu adoro ver meus artistas preferidos lançando parcerias, vendo essa troca, união, forças dos tons e arranjos, quanto mais troca melhor”, explica. Perguntamos a Duda com que  mais ela gostaria de fazer um feat, e ela respondeu, automaticamente, Ivete Sangalo (Alô Mainha). E internacionalmente Kendrick Lamar e a rapper Lizzo. “Somos muito parecidas no estilo, gostamos de laços, volumes”, define.

Leia Mais – Romero Ferro e Duda Beat lançam ‘Corpo em Brasa’, um brega pop com perfume latino tropical

Duda lançou seu último álbum em 2018, ‘Sinto Muito’, de forma independente. “Eu sou uma artista totalmente independente, não tenho gravadora, por isso, preciso me relacionar de maneira intensa com as minhas redes. Quem faz todo o meu corre sou eu, junto com a minha equipe. Me dedico muito as minhas plataformas digitais, assim como, em todas as etapas da minha carreira”, conta Duda. Com pouco tempo de estrada, mas uma enorme bagagem, já fez muito check in. Porém, para a artista, esse é só o começo: “Ainda não me percebi famosa do jeito que as pessoas dizem. Ainda me acho uma cantora que não está muito grande. Tenho alguns bons seguidores no Instagram, mas ainda dá para chegar muito mais longe”, explica.

Aos 31 anos Duda Beat ganhou o título de ‘Rainha da Sofrência Pop’ (Foto: Fernando Tomaz)

Seu grande sonho era estudar medicina. Por iso, com 17 anos se mudou para o Rio de Janeiro e, após sete tentativas, acabou optando por ciências políticas. A música entrou na sua vida durante um retiro espiritual. “Eu gostava de cantar, mas nada profissional, nem pensava nisso, na verdade. Cantava na igreja, fiz uma banda no colégio. Nada muito sério. No meio da faculdade, eu fui para esse retiro. Passei dez dias em silêncio e, quando voltei, decidi que queria mesmo era a música”, ressalta. Duda revela seu amor pelas duas cidades, Rio e Recife. “Os cariocas me abraçam, o público aqui tem um carinho enorme pelo meu trabalho. Eu sou muito verdadeira do que faço. Já no Recife é um match total, porque sempre tenho minha família e meus amigos na plateia. Uma delícia”, pontua.

Duda Beat revela que gostaria de fazer um feat com Ivete Sangalo (Foto: Fernando Tomaz)

Junto com o álbum, ‘Sinto muito’ veio o título de ‘rainha da sofrência pop’, apelido o qual a cantora ama e até comemora: “Eu adoro isso! Transformo minhas tristezas em músicas, mas de uma maneira animada. As músicas podem estar com uma letra triste, mas a batida é mais alegre. É assim também que eu tento levar a vida, mesmo em um momento triste, tirar algo bom disso”, e completa: “Se a Marília Mendonça é a rainha da sofrência sertaneja, eu sou a rainha da sofrência pop”, brinca. Já é quase ‘Natal na Leader Magazine’, mas a artista revela que ainda vem muita coisa nesse final de 2019 e início de 2020. “Vem muitos feats, disco novo, shows e dia 30 vou para a Europa: faço cinco shows em Portugal, Espanha e estamos prospectando Berlim”, conclui.

Pesquisas relacionadas