Música & Badalo

Novo show-crônica de Fausto Fawcett e Robôs Efêmeros questiona as relações humanas: “as redes sociais nos controlam”

Os três atos de “Cachorrada Doentia” terão única apresentação amanhã aqui no Rio

Publicado em 29/11/2018 | Por Bárbara Tenório

“Cachorrada Doentia” o projeto musical do músico e poeta Fausto Fawcett e da banda Robôs Efêmeros será apresentado em um show-crônica nesta sexta-feira no Manouche, no Jardim Botânico. Mesclando funk-rock com música clássica, a maquinaria vocais-teclado-guitarra-programação-surdo estará carregada de calor musical e cinematográfico, intitulada de crônica musical. E tudo isso para questionar o clima de insatisfação social, em que as pessoas se fecharam em ciclos de carência, fúria, desespero e radicalismos. Tudo definição de Fausto.

Assim como o termo Cachorrada doentia, que, de acordo com ele, deriva de transtornos variados, mas apesar disso, uma cachorrada festiva. Trazer essa reflexão acerca da humanidade deve ser o principal objetivo da arte, segundo Fausto. “O ser humano não tem cura, não tem paz. É sempre insatisfação e falar sobre essas insatisfações é a principal tarefa de qualquer artista”, conta Fausto, em uma conversa com o site HT.

Fausto Fawcett e Os Robos Efêmeros – Capa

Neste novo show, Fausto criou uma história que será dividida em três atos. O primeiro com cinco músicas do repertório foi intitulado pelo artista de ‘Pequeno concerto para cinco personagens gnósticos’ e faz referência a essas pessoas que tinham convicções sobre a criação do mundo por um Deus mau em que só o conhecimento nos tiraria daqui. “Eu coloquei esse nome porque lemos notícias todos os dias de pessoas que ficam perdidas e tomam atitudes extravagantes e criminosas para dar um sentido para a vida e furar toda a mediocridade que ela acredita que esteja sufocando a todos”, afirma.

Já o segundo ato, “Catacumba de Vitrais – Cinco minutos de Bach e projeções”, é uma ponte de ligação entre o primeiro e o último. Serão projetadas imagens sobre amor, dança e arte. “Cachorrada Doentia – Pentagrama Musical” é o terceiro e último ato e será um pentagrama musical, que, segundo Fausto, as músicas escolhidas serão uma crônica sobre esse caos humano. A apresentação de uma hora de duração terá uma postura teatral, usando e abusando dos recursos cinematográficos. “É como cinema falado, é música cinematográfica. Como se fosse uma grande história sendo contada em fragmentos, em que cada música seja um elemento dessa historia”, completa o cantor.

Fausto Fawcett

Todas as músicas são de autoria dos Robôs Efêmeros. Além do vocal de Fausto Fawcett, Laufer comanda o surdo e também é sócio fundador da banda. O músico Fabio Caldeira comanda as guitarras e Gabriela Camilo, os teclados. Jodele Larcher é responsável pela programação audiovisual e pelas projeções que darão um toque especial no show de amanhã. E no repertório dançante canções como “As Fúrias” sobre as iras que atormentam a população; “Patricinhas Vorazes”, com base rock-eletrônica – sobre as novas Marias Antonietas, consumidoras de modernos luxos sustentáveis; “Cachorrada Doentia (O amor em tempos de cólera)”, “Nuvens de James Brown”, um funk clássico que conta as peripécias de uma rapaziada favelada que se intitula Michelangelos da Robótica, e “A Dançarina Fugitiva”.

Político e irônico como lhe é peculiar, Fausto acredita que não há tempo ruim para se fazer arte e que ela é emocional, além de ser política. “A gente tem mais é de estar fazendo arte e fazer um retrato, gerar uma visão exagerada, extravagante, crítica das coisas que acontecem com o ser humano independente de situação do país”, afirma. Para o músico, política é apenas uma das vertentes das paixões e das emoções humanas, em que todas as relações estão caóticas e invasivas. “Se você for pensar em algum empecilho ideológico e social são as redes sociais, elas são o que nos controlam. Pessoas incomodando umas as outras, uma vigilância constante. Não é uma questão apenas de governo”, finaliza. Vamos lá?

Serviço

Show: – Fausto Fawcett – Cachorrada Doentia

Local: Manouche/Casa Camolese (Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico, Tel. 3514-8200)

Data: 30 de novembro, sexta-feira, a partir das 21h

Ingressos: R$ 60,00 (inteira), R$ 40,00 (com 1 kg de alimento não perecível) e R$ 30,00 (meia) www.eventim.com.br

Duração: 65 minutos

Classificação: 18 anos

Pesquisas relacionadas