Música & Badalo

“Meus shows são uma experiência muito louca. Estou despida e cheia de amor”, diz Angela Ro Ro

Com 40 anos de carreira, a cantora de muitos sucessos apresenta shows intimistas com um repertório que vai desde o seu primeiro disco até um rock metido a jazz

Publicado em 07/06/2019 | Por Heloisa Tolipan

A cantora Angela Ro Ro completa 40 anos de carreira emocionando o público (Foto: Bob Wolfenson)

*Por Rafael Moura

‘Amor, meu grande amor’ sem dúvida é um dos maiores sucessos nos 40 anos de carreira de Angela Ro Ro. Em parceria com a letrista Ana Terra, a música já foi gravada por Frejat, Barão Vermelho, Ney Matogrosso, Lucas Santtana, etc, é um verdadeiro hino a paixão. Angela está repleta de motivos para comemorar tanto amor à música e à plateia, que são a razão para o seu trabalho, por isso faz três apresentações resgatando canções que marcaram sua vida. A primeira “Pilotando o piano” na quarta-feira (dia 6), no Teatro Rival Petrobras, a artista pilotou o piano e o público embarcou nessa viagem. E duas com o show Angela Ro Ro: 40 anos de amor à música, em parceria com o produtor João Luiz Azevedo, no Teatro João Caetano (17 de junho) e na Sala Baden Powell (20 de junho). Em conversa com o site HT, a cantora disse que o amor rege a sua vida. “Fazer 40 anos de carreira é uma delícia. São 40 anos emocionando o público”.

Os dois projetos trazem um clima totalmente intimista, Ro Ro, uma das vozes mais passionais da música brasileira, faz um passeio por suas canções desde o início da carreira. E se ela canta as dores de amores que ardem na fogueira das paixões, aproveita sua habitual irreverência para fazer o contraponto. É uma experiência única assisti-la com um piano de cauda, seu instrumento e companheiro da vida inteira, alinhavando sucessos como “Amor, meu grande amor”, “Tola foi você”, “A mim e a mais ninguém” e “Só nos resta viver”. Ro Ro também vai interpretar repertório de artistas estrangeiros – Janis Joplin, Rolling Stones e Gershwin, entre outros.

Instrumentista espontânea e dona de um canto raro e emocionante, Ro Ro caminha por esses 40 anos de profissão pisando em trilhas diversas que vão de bossa nova ao rock. “Eu adoro esse rock metido a jazz”. Nos dias 13 e 20, ela estará acompanhada apenas pelo piano de Ricardo Mac Cord, mostrando clássicos cultuados desde o início de sua carreira, um repertório que é uma viagem do passado ao futuro que se estampa em seu otimismo e humor. “Esse show tem um repertório que tenta reunir 40 anos de carreira. Um apanhado de tudo o que já fiz e gravei, canções de amigos e ídolos e, principalmente, minhas. Acho que quando alguém consegue fazer um sucesso é maravilhoso, e eu, graças a Deus, tenho vários. Também por isso esse show é tão especial, tanto para mim quanto para o público que me acompanha”, ressalta a cantora.

Perguntamos para essa grande musa da MPB como é subir ao palco com 40 anos de aplausos. “Antes de subir ao palco, sabemos o que vamos tocar. Mas também podemos tocar o que não sabemos. Depende do momento, da loucura de qualquer um, da plateia ou da gente mesmo. Cada apresentação é uma experiência única.”, frisa. O Brasil passa por um momento de muitos ‘escândalos’, que também é o nome do seu terceiro álbum de estúdio, lançado em 1981 pela PolyGram, e sucesso uma das faixas, compostas por Caetano Veloso. “Escândalo é a falta de amor, a falta de respeito com o próximo, com a fauna e a flora, com a vida humana”, enfatiza.

Angela Ro Ro (Foto: Bob Wolfenson)

Angela Ro Ro para campanha da Ray Ban (Foto: Bob Wolfenson)

Como autora e compositora, a artista desenvolveu uma obra de peso que se constitui de vários clássicos da MPB. Com uma personalidade bem humorada, inteligente, Ro Ro tem o tempo a seu favor e está sempre se reinventando, mas sem perder, nunca, sua espontaneidade nos shows, seu carisma e seu amor à música. “Sempre aconteceu do meu trabalho ir despertando o interesse de novas gerações. Isso aconteceu com Simone, Maria Bethânia, depois com Cazuza e Barão Vermelho, e hoje com essa coletânea gravada por artistas que estão no cenário atual. É muito legal ser admirada por várias gerações, mesmo em momentos em que eu não estava tão bem na minha vida pessoal, passando por vários problemas. Mas minha música se manteve íntegra. Pertenço à música, e hoje entendi que a arte nos salva de qualquer coisa”, admite.

Ela lembrou que levou muito tempo para decidir investir na carreira musical. A cantora recusou diversos convites, incluindo uma proposta de gravar um compacto feita por Malcolm McLaren, empresário da banda Sex Pistols e uma das personalidades mais importantes do rock. “Era intuição. Sou um gato intuitivo. Tive proposta para começar a gravar aos 19 anos. Tinha um medo terrível, achava que não ia dar certo, e não deu”, brincou.

DJ Zé Pedro está escrevendo uma biografia sobre a vida de Angela Ro Ro, que vai dos primeiros anos da artista até a gravação de seu álbum de estreia em 1979. “Ele vai comentar umas partes da minha vida”. Além dessa biografia, a artista quer se lançar como escritora. “Eu tenho muito material guardado para editar. Tenho uma compulsão por escrever. O primeiro livro deve sair no próximo ano”. pontua. E completa: “Eu escrevo desde os quatro anos. Depois que aprendi, não parei mais. Escrevo tudo. É compulsivo. Se faltar papel, escrevo na parede. Depois, na hora em que eu bem entender, vou procurar alguém com paciência, uma editora, para fazer um ou dois ou três ou 15 livros”, explica.

Serviço:
Projeto 15 PRAS 7
Teatro João Caetano – Praça Tiradentes
Dia 13 de Junho de 2019 – Quinta Feira 18:45
Preço dos Ingressos: R$ 50,00 / R$ 25,00 ( meia entrada para estudantes, jovens até 21 anos e acima de 60 anos)

Sala Municipal Baden Powell
Dia 20 de Junho de 2019 – Quinta-feira às 20:30
Av Nossa Senhora de Copacabana 360 – Copacabana
Preço dos ingressos: R$ 70,00 / R$ 35,00 (meia para estudantes, jovens até 21 anos e a partir dos 60 anos).

Pesquisas relacionadas