Música & Badalo

Detonautas lança música inédita que dá start em novos caminhos musicais

Para 2019, o vocalista Tico Santa Cruz, o guitarrista Renato Rocha, o baterista Fábio Brasil, o percussionista e programador DJ Cleston, o guitarrista Phil e o baixista André Macca vão misturar o rock com outros gêneros musicais, como o rap

Publicado em 28/12/2018 | Por Ana Clara Xavier

Fechando o ano de 2018 com chave de ouro, Detonautas Roque Clube  lançou single que representa a vontade da banda de desbravar novos universos musicais. Depois de um ano apostando em releituras de canções do último álbum ao lado de grandes fenômenos como Alcione e Lucas Lucco, o grupo encerra o ciclo de comemorações dos 20 anos de carreira, completados em 2017, com um produto inédito: O Que Será de Nós?. Com um título que pode gerar inúmeras interpretações, a letra relata um conflito amoroso que vai contra as canções românticas sobre bons momentos de um relacionamento que o vocalista e compositor Tico Santa Cruz costumava escrever. “Está na hora de embarcar em novas empreitadas, afinal, já somos maiores de idade”, brincou Tico fazendo referência aos 21 anos recém completados do grupo.  Ao mesmo tempo, O Que Será de Nós? também coloca um ponto final no estilo de baladas românticas que o Detonautas investiu ao longo deste ano, sendo o pontapé para projetos que vão abordar outros gêneros como o rap. Vem muita coisa boa por aí, prepare-se!

“Quando o sol se for a luz indicará você para mim”. Esta letra que marcou uma geração e, de quebra, a história de muitos relacionamentos pertence à canção Quando O Sol Se For do Detonautas, mas em O Que Será de Nós?, o tema foi o oposto desta atmosfera. “Escrevi esta canção no final de 2017 – e até mostrei rapidamente em uma live no Facebook – para fazer um desabafo. É confessional, embora eu já tenha conseguido resolver a situação pessoal que envolvia este depoimento. Foi uma fase que acabou virando uma música tempos depois”, comentou o vocalista. Responsável por compor a maioria dos hits da banda, Tico se baseia em momentos que viveu no âmbito particular para escrever cada canção. Devido a carga de sentimento que injeta em cada palavra, o resultado acaba sendo a identificação do público. “Já recebi muitas mensagens de pessoas dizendo que estão passando por aquele problema também. Quem não enfrentou estas questões com certeza ainda vai passar ou está passando”, garantiu.

Lançada nas últimas semanas de dezembro, o título da canção acaba gerando diversas interpretações, até porque, estamos falando de uma banda que sempre fez questão de mostrar a sua voz, seja socialmente ou politicamente. “O nome carrega uma pergunta que acho que todos estão fazendo com relação ao que está acontecendo no nosso país, seja na política ou nas nossas vidas pessoais. É uma questão bem emblemática que resolvemos colocar dentro do contexto desta música”, analisou Tico. Mas as aparências enganam. A canção é sobre um momento turbulento em um relacionamento. “Cada um pode entender esta canção de uma forma diferente a partir de sua visão de mundo. A linguagem desta música abre inúmeros precedentes para pensar politicamente e socialmente, mas esta nunca foi a minha intenção. Se eu estivesse em um governo militar, poderia me expressar através desta letra, mas não é isso que quero. Estou falando sobre amor, porém como fui eu quem escrevi já acham que há algo por trás. Quero deixar claro que estou me afastando de questões políticas por motivos de sanidade”, garantiu Tico. A questão ‘o que será de nós?’ se repete inúmeras vezes ao longo das estrofes, o que comprova a afirmação do vocalista de que a letra não é uma crítica velada.

Detonautas lançam música inédita antes do ano terminar (Foto: Fabiano Santos)

Detonautas sempre carregou em suas estrofes a rebeldia clássica dos jovens com relação a diversas questões intrínsecas da sociedade, desde as mais banais até as turbulentas. Sendo assim, já que estamos falando sobre suposições políticas que a música pode sugerir, o site HT perguntou a Tico Santa Cruz o que será de nós no ano que se segue a resposta foi bastante crítica: “Espero que cada indivíduo assuma a sua responsabilidade com relação ao que pode acontecer com este país em 2019. Temos que parar de terceirizar as ideias e encarar a realidade de cada governante que votamos. Cada escolha tomada para o ano que vem foi decidida a partir de uma consciência que dominou a política nos últimos meses. Não vou torcer contra o Brasil. Espero que a maioria tenha acertado, caso o contrário todos seremos prejudicados. Sei que não somos baseados unicamente pelo nosso presidente, afinal, não somos uma monarquia. Não concordo com o resultado do pleito, mas, como democrata, tenho que aceitar, diferentemente do que fizeram nos últimos anos”. O cantor adiantou ainda que está optando por se afastar de assuntos políticos de forma pública.

2018 foi um ano de parceiras para o vocalista Tico Santa Cruz, o guitarrista Renato Rocha, o baterista Fábio Brasil, o percussionista e programador DJ Cleston, o guitarrista Phil e o baixista André Macca, que integram o grupo Detonautas. A banda apostou em releituras de canções do sexto álbum –que comemorava os 20 anos do conjunto- com a presença de fenômenos da música brasileira: Alcione e Lucas Lucco. No caso de Alcione, eles apostaram no bolero Você Vai Lembrar de Mim para avançar em um caminho do diálogo com grandes entidades do cancioneiro nacional. “Este encontro foi promovido pela nossa admiração por ela, que é uma diva da música brasileira. Vê-la cantando algo que pertence ao Detonautas é um privilégio gigantesco. Uma experiência de vida. Algo histórico”, comentou Tico.

A banda Detonautas regravou duas músicas com Lucas Lucco e Alcione em 2018(Foto: Fabiano Santos)

Em contrapartida, a presença de Lucas Lucco na balada romântica Por Onde Você Anda? se deu a partir de um encontro promovido pelo próprio cantor de sertanejo. A ideia era trazer toda a jovialidade do rapaz. “O resultado foi impressionante, porque a música obteve uma versão surpreendente para nós que abriu novos leques e oportunidades”, comentou. Através da participação de novos nomes do cenário musica, como o sertanejo, o Detonautas atrai, cada vez mais, um público mais jovem. “Quando começamos, nós falávamos diretamente com a galera de 14 e 15 anos. Conforme a geração foi crescendo, fomos expandindo o nosso público mais velho. Estou falando com pessoas mais velhas, indo de 18 a 44. A nossa ideia é voltar a nos comunicar com os adolescentes trazendo a linguagem deles e se mantendo atualizado”, explicou. E parece que está dando certo! A banda mantém a marca de mais de 1 milhão de audições mensais em plataformas digitais. “Manter uma audiência alta depois de 21 anos é um desafio para qualquer artista”, garantiu.

Para 2019, os desafios musicais de Detonautas são outros. Atualmente, a banda está trabalhando em um single que será lançado ainda no primeiro semestre. “Fizemos parceria com um DJ que conheci neste ano e já virou um amigo meu. Ele trabalha dentro da música eletrônica e produz projetos interessantíssimos. Além disso, teremos um rapper cantando conosco”, comentou Tico. Os nomes ainda não podem ser divulgados, mas a ideia é desbravar novos universos levando o rock para caminhar por novas praias mantendo a voz do grupo no topo. “A nossa ideia é unir o nosso som com novos ritmos como o rap. Trouxemos as baladas em 2018 e, agora, queremos investir em outros caminhos que sempre estiveram conosco, mas não temos explorado nos últimos discos”, salientou. Quem aí já está ansioso?

Detonautas para o ano que vem a promessa é desbravar caminhos inusitados como o do rap(Foto: Fabiano Santos)

Pesquisas relacionadas