Música & Badalo

Copa do Mundo 2014: enumeramos os 10 pontos mais irritantes dentro e fora do campo

O dramaturgo e jornalista Junior de Paula fala sobre os ex-militantes, sobre a torcida e a obsessão do brasileiro de ser aceito

Publicado em 19/06/2014 | Por Heloisa Tolipan

*Por Junior de Paula

A Copa vai muito bem, tudo muito lindo dentro do campo, nem tanto fora dele, jogos memoráveis, torcidas internacionais fazendo a festa e ensinando ao torcedor brasileiro como se empurra um time, gringos enfeitando as ruas das cidades-sede, confraternização, união dos povos e tudo o que se espera de uma Copa no Brasil. Mas nem tudo são flores e algumas coisas andam me irritando. Para quem não sabe, sou tipo intestino e sofro de irritação crônica eventual. Grandes momentos como esse, por exemplo, são tiro e queda: síndrome do intestino irritado. Por isso, resolvi dividir com vocês alguns pontos que tem me tirado do sério. Pegue sua coxinha de ossobuco e vem com a gente.

1 – Os ex-militantes. Nada mais irritante do que gente que gritava, quebrava vidros e xingava a mãe de todo mundo que não participava ativamente das manifestações do ano passado contra a Copa cantando sou brasileiro com muito orgulho com muito amor, comprando ingressos para a Copa e financiando a indústria sobre a qual se levantou contra. Nenhum problema em mudar de opinião, que fique claro, mas fingir que nada aconteceu em um passado recente é bem deprimente.

2- A repetição à exaustão de qualquer notícia nas redes sociais. O vídeo do garoto que Messi não cumprimentou, por exemplo, como se estivesse num contrato que ele deve dar a mão para qualquer pentelho que resolva encher o saco. Ou todo mundo ter uma opinião sobre o episódio das vaias e ofensas à presidenta Dilma.

3 – As mulheres e os gays falando sobre os gatos da Copa. Os homens e as lésbicas falando sobre as musas das arquibancadas. Porque tudo nessa vida, no fim das contas, gira em torno de sexo.

4 – Álbum de figurinhas da Copa. Figurinhas. 2014. Fim.

5 – As ironias trocadas entre a “elite branca paulistana” e a esquerda caviar das redes sociais (de novo elas). É todo mundo se achando melhor que todo mundo e esvaziando a discussão com discursos cheios de preconceitos, rancores e generalizações. Essa história na verdade nem me irrita, me dá mesmo é pena. Dos dois lados.

6 – A obsessão do brasileiro em ser aceito. É só um jornalista gringo dizer algo positivo sobre o Brasil que as redes sociais (sempre elas) se enchem de citações aos comentários.

7 – Os amadores. Gente que não entende nada de futebol querendo dar opiniões profundas sobre o tema. Nas redes sociais, claro.

8 – A torcida brasileira com seu canto fúnebre repetido à exaustão de “Eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”. Pode ser o Brasil em campo, o Irã ou a Alemanha, que os brasileiros, sempre egóicos, vão estar cantando essa música.

9 – A irritação de Felipão quando é questionado sobre qualquer coisa. Nas coletivas, ele está sempre pronto para dar coices e ironizar qualquer pergunta que não seja favorável ao seu pretenso brilhantismo. Uma colherada de autoironia, duas a menos de pretensão vão lhe fazer bem.

10 – Listas. Listas. Listas. Todo mundo quer fazer uma lista sobre temas relacionados à Copa para causar polêmica e gerar compartilhamentos. Quer coisa mais irritante do que isso?

Copa-do-Mundo-do-Brasil-2014

* Junior de Paula é jornalista, trabalhou com alguns dos maiores nomes do jornalismo de moda e cultura do Brasil, como Joyce Pascowitch e Erika Palomino, e foi editor da coluna de Heloisa Tolipan, no Jornal do Brasil. Apaixonado por viagens, é dono do site Viajante Aleatório, e, mais recentemente, vem se dedicando à dramaturgia teatral e à literatura

Pesquisas relacionadas