Música & Badalo

Camarote da BOA: Juliana Paes diva, Tisci se rende à Sabrina e Chace Crawford descobre que só charme não garante uma gossip girl!

Ator estrangeiro bem que tentou, mas a morena jogou charme e não caiu na rede. Ele quase saiu de mãos abanando, enquanto perto dali Juliana Paes prova que o samba brota pela pele!

Publicado em 16/02/2015 | Por Alexandre Schnabl

Um caleidoscópio de tipos humanos, mas nunca uma babel, já que a linguagem ali é uma só: a da alegria! Essa pode ser a definição do Camarote da BOA, na Sapucaí, que movimentou esse domingo de carnaval (15/2), no Rio, durante o desfile das escolas de samba do grupo especial. Uma diversidade de famosos circulou pelo espaço e, entre todas as celebridades, se destacou Juliana Paes – a musa desse ano –, junto com Sabrina Sato, que foi a de 2014 no mesmo camarote, mas sob a chancela da Brahma, também do grupo Ambev. Foi a própria Juliana quem deu a tônica do que representa o samba nessa época do ano, em palinha rápida com o HT: “Quando ele entra de vez pelos poros, o carnaval não sai nunca mais de você. E aí a Avenida passa a ser mais do que uma obsessão, é uma necessidade de vida, como comer e dormir. Eu amo!”.

Juliana Paes: volúpia carnavalesca na medida exata (Foto: Agenews / Divulgação)

Juliana Paes entre decote e fenda: volúpia carnavalesca na medida exata (Foto: Vinícius Pereira)

Entre as presenças internacionais, o estilista Riccardo Tisci (leia-se Givenchy) foi ver de pertinho Sabrina Sato sambar. O fashion designer, que é profissional de mão cheia e brother de gente como Madonna, assumiu logo de cara sua tietagem pela voluptuosa morena-japa, confessando: “Vim aqui só para ver a minha rainha”. Riccardo estava na companhia do amigo modelo brasileiro Diogo de Castro Gomes, nascido em Campos (RJ) e que se mudou pra Nova York ano retrasado, depois de anos tendo Ipanema como quartel-general. Diogo, todo tatuado e do tipo deus grego, estudou psicologia, mas ama moda e resolveu investir na carreira de modelo, saindo do Brasil para tentar a vida na Big Apple. Fez inclusive o desfile masculino da Givenchy em Paris, mês passado.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sabrina causou como convém a uma diva. Ou prima donna. Assistiu aos desfiles sentada com as famosas pernas em evidência, conversou, amou, distribuiu sorrisos, posou para selfies, deu selinho em Thaila Ayala quando esta passou em frente evoluindo e ainda arrumou tempo pra dar uma escapada e incorporar o cisne negro no desfile da Vila Isabel que homenagenava a dança.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Outro famoso de fora caiu de amores pelo Rio foi Christopher Chace Crawford, o Nate de “Gossip Girl”. Astro do camarote neste domingo, o ator se esbaldou feito pinto no lixo e fez de tudo para azarar o time feminino, mas acabou descobrindo que, em uma cidade que foi capital do Brasil Colônia, do Império e da República como o Rio – e que tem seu próprio star system, proveniente da Globo –, ser celebridade de sucesso na TV norte-americana não significa ter necessariamente o passaporte carimbado para se dar bem com o mulherio local. O rapaz foi arrastar asa logo para quem? O furacão Bruna Marquezine. Ela, óbvio, cada vez mais descobrindo o mundo à sua volta, adorou a corte, dançou, ensaiou uns passinhos com o moço, ensinou a criatura a sambar e até flertou, mas é preciso bem mais toneladas de areia no caminhão para conseguir arrebatar a menina, que anda de amores pelo top Marlon Teixeira. No final, ela acabou esnobando o galã. HT lamenta, Chace, mas o romance ficou mesmo só no gossip. Mas, claro, a noite não foi inteiramente perdida. No final, o ator acabou se entendendo com a cantora e atriz Manu Gavassi.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A noite teve celebridade para todos os gostos. Paulinho Vilhena circulava para lá e para cá, comemorando as boas críticas que tem recebido sobre sua participação em “Império. HT perguntou na lata o que ele achava de algumas pessoas estarem se referindo à sua elogiada interpretação de Domingos Salvador, o esquizofrênico com habilidades artísticas, como um trabalho com um forte pé na atuação de Brad Pitt no clássico sci-fi “Os Doze Macacos” (Twelve Monkeys, de Terry Gilliam, Universal Pictures, 1995): “Não vejo nenhum problema, até porque o Brad, ali ainda em certa consolidação de carreira, mostrou nesse filme que era bem mais do que um rosto bonito de Hollywood. Ao fazer o louco ativista ambiental, ele acabou concorrendo ao Oscar de ‘Melhor Ator Coadjuvante’ e levando para a casa o Globo de Ouro nessa mesma categoria. Ele se desfez completamente da imagem de mero galã para cair de cabeça no personagem. Também não tenho o menor medo de desconstruir minha persona e incorporar tipos, e estou muito grato ao Aguinaldo (Silva) pela oportunidade”.

Vilhena: de doidão na novela a maluco beleza do samba (Foto: Vinícius Pereira)

Vilhena: de doidão na novela a maluco beleza do samba (Foto: Vinícius Pereira)

Pouco depois, Paulinho já estava no palco, dando uma canja no show de Thiago Martins. Esse lotou a boate do terceiro andar, assim como Marcelo D2, que cantou de Ben Jor a Zeca Pagodinho. No final, o músico declarou ao HT: “Esssa mistureba do carnaval carioca é maravilhosa!”

Na ribalta: Vilhena e Thiago Martins brilham no palco (Foto: Agnews / Divulgação)

Na ribalta: Vilhena e Thiago Martins brilham no palco (Foto: Agnews / Divulgação)

Fernanda Abreu estavam maravilhada com o desfile da Mocidade, que trouxe o enfant terrible atual da folia, Paulo Barros, como carnavalesco. Apesar da chuva, ela achou que a escola veio bem: “Claro que a chuva pesa as fantasias, as plumas ficam molhadas e até o asfalto fica mais cinza, mas acho que a escola veio bem. Apesar de em alguns momentos parecer atravancada”, ressaltou. Sobre o rumo das coreografias nas escolas de samba de hoje, inclusive nas alas e carros com movimentação bem marcada, a cantora – que sempre primou pelo trabalho de corpo em seus clipes e shows – é categórica: “É preciso haver uma adequação, um equilíbrio. Claro que um certo número de alas marcadinhas vai bem, assim como na Comissão de Frente. Isso demonstra inovação na Avenida, empenho, profissionalismo e trabalho bem feito, mas é necessário haver também uma coisa mais solta para o desfile não perder a espontaneidade. Sou a favor do mezzo a mezzo”.

Fernandinha Abreu analisando com garra o desempenho das escolas (Foto: Agnews / Divulgação)

Fernandinha Abreu (Foto: Agnews / Divulgação)

Perto dali, Andrea Natal, a gerente geral do Copacabana Palace, já destituída de sua caracterização de melindrosa loura usada no Baile do Copa neste último sábado (14/2) se disse extasiada com o resultado da festa: “Fiquei feliz com a turma que circulou por lá, um pessoal elegante, mas de várias tribos, de todas as idades. Meu filho de 20 anos, por exemplo, ama o badalo. E é bom agradar a gente como o queridíssimo William Vorhees, que me mandou mensagem linda no Facebook agradecendo o clima da festa”, contou, se referindo ao consultor de carioquice e ferrenho defensor do estilo no samba.

O modelo Raphael Lacchine e a atriz e repórter Carol Nakamura, que assumiram namoro há pouco tempo, eram só felicidade. “Nos conhecemos há cinco meses e já estamos morando juntos na casa da Carol, no Recreio”, conta Rapha, que completa: “A gente já se conhecia há anos. Aí ela me chamou para fazer umas fotos com ela e a fila andou. Estamos felizes”. Carol, que trabalhou anos no Domingão do Faustão, disse que está ensaiando uma peça, “Antes só do que mal acompanhada”, que estrearia depois do carnaval, mas precisou adiar para março por conta do convite para apresentar um quadro no Luciano Huck: “Tô adorando!”, revelou, poucos meses depois de sua saída abrupta da atração de Fausto Silva,o qual, por coincidência, assistia ao desfile das escolas de samba quase ali do lado.

Nakamura, em um dos raros momentos em que desgrudou do modelo Raphael Lacchine: o amor é lindo! (Foto: Vinícius Pereira)

Nakamura, em um dos raros momentos em que desgrudou do modelo Raphael Lacchine: o amor é lindo! (Foto: Vinícius Pereira)

Em meio ao badalo, Paloma Bernardi causou, Josie Pessoa ofereceu sua ruivice gratuitamente para quem quisesse desfrutar de seu visual exótico, enquanto a louraça Vanessa Bueno mostrou que nada como uns aninhos pós-maternidade para revelar o quanto uma mulher bonita pode ficar ainda mais linda: “Estou vivendo um momento especial em vários aspectos e isso deve se refletir na minha aparência. Paulo Gustavo, Cacau Protásio e Fabiana Karla foram bem assediadíssimos e Rafaella Lemes, a Rainha Rio450 (que estrela o editorial de Carnaval daqui do HT), era pura felicidade, ao lado do namorado Ipojucan Ìcaro: “A ficha de tudo que está acontecendo comigo ainda não caiu direito. Estou maravilhada de poder conferir essa belezura que são os desfiles das escolas daqui do camarote”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E, entre o panteão de celebrities que circulavam para cima e para baixo nos três andares de camarote, as gêmeas do nado sincronizado, Bia e Branca Feres, cada qual ao lado do seu amado, contaram o quanto tem sido árdua a jornada para se preparar para a Olimpíada da Rio, em 2016: “Estamos caindo de cabeça. Estamos agora com 27 anos, mais mulheres, mas firmes como nunca. Nossa treinadora canadense Julie Sauvé está tirando o nosso couro, mas ela é boa demais e o time está afinadíssimo”. Sim, o Rio é isso, começa evento, acaba evento, veio carnaval, Copa, Reveillon, carnaval de novo, daqui a pouco a Cidade Maravilha já é sede do maior evento esportivo do mundo. Um agito atrás do outro, sem parar, essa festa é o Rio!

Preparação árdua para a Olimpíada: Bia e Branca devidamente sincronizadas no nado, no amor e na folia (Foto: Vinícius Pereira)

Preparação árdua para a Olimpíada: Bia e Branca devidamente sincronizadas no nado, no amor e na folia (Foto: Vinícius Pereira)

Confira que passou pelo Camarote da BOA (Fotos: Vinícius Pereira):

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pesquisas relacionadas