Música & Badalo

29º Prêmio da Música Brasileira celebra Luiz Melodia e tem divergências políticas no Municipal

A noite de premiação contou com divergências políticas, Luiz Melodia sendo reverenciado e Alcione vencendo novamente. Além disso, tivemos apresentações históricas de Caetano e Bethânia e Zezé Motta e Sandra de Sá

Publicado em 16/08/2018 | Por Ana Clara Xavier

Na noite desta quarta-feira, as luzes do Theatro Municipal do Rio de Janeiro se acenderam para dar passagem a grandes nomes e personalidades do mundo da música. Em uma cerimônia curta e direto ao ponto, o 29º Prêmio da Música Brasileira deu voz a duas manifestações políticas potentes e acaloradas nos últimos minutos da cerimônia. Enquanto uma pedia a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a outra exaltava a negritude brasileira ao som da canção ‘Negro Gato’, de Luiz Melodia, o homenageado da vez. Além disso, o público aplaudiu de pé a musa Alcione e a dupla As Galvão que se emocionou ao subir no palco. Para completar, os espectadores ainda acompanharam de perto o show inédito que reuniu Maria Bethânia, Caetano Veloso e os filhos Tom, Zeca e Moreno e a apresentação poderosa de Sandra de Sá e Zezé Motta.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quando tudo indicava que o Prêmio da Música Brasileira não teria polêmica, o jogo mudou nos últimos 20 minutos. No anúncio dos ganhadores da última categoria, a atriz e mestre de cerimônia Débora Bloch chamou ao palco o grupo Moacyr Luz e o Samba do Trabalhador para receber o troféu de Melhor Grupo de Samba e Melhor Álbum. Em meio às comemorações, alguns integrantes da equipe exibiam o formato da letra ‘L’ em suas mãos. Logo na sequência, Leci Brandão, que ganhou Melhor Cantora de Samba, repediu o sinal. Com isso, a platéia começou a bater palmas e a entoar um coro de ‘Lula Livre’. Apesar desta manifestação, outra parte do Theatro Municipal se mostrou contrária à colocação através de vaias e símbolos gestuais que reafirmavam a condenação do ex-presidente.

Grupo Moacyr Luz e o Samba do Trabalhador faz L de Lula (foto: Divulgação)

Logo depois que os ânimos acalmaram, foi a vez de acompanhar mais uma manifestação que valorizava a cultura e a etnia negra no Brasil. Sendo assim, os cantores Iza, Liniker e Lazzo Matumbi subiram ao palco com roupas pretas para cantar a música Negro Gato, eternizada na voz de Luiz Melodia. A letra icônica ajudou encerrar a noite de premiações com uma mensagem poética contra o racismo. A canção ainda ganhou uma batida de funk e vários dançarinos negros que ajudaram a compor esta homenagem à comunidade afrodescendente e ao artista Luiz Melodia. Todos brilharam juntos em um show histórico de representatividade e protagonismo.

Outro ponto alto da noite foi a dobradinha histórica de Maria Bethânia e Caetano Veloso. Os dois homenagearam Luiz Melodia ao cantar uma das canções mais icônicas do artista: Pérola Negra. Ambos soltaram a voz neste momento irreverente em uma performance extremamente intimista que transbordava calmaria e talento. A dupla, acompanhada dos filhos de Caê, Tom, Zeca e Moreno, foi aplaudida de pé pelo Theatro Muncipal.

Sandra de Sá e Zezé Motta também arrepiaram o público da cabeça aos pés com a singular voz de ambas, dando o que falar entre os convidados. A atriz foi convidada por ser uma grande amiga de Luiz Melodia e considerada uma de suas principais intérpretes. Na época, os dois chegaram a gravar juntos a canção Dores de Amores e, por isso, esta foi a música escolhida para estas duas artistas.

Alcione foi outra personalidade reverenciada nesta noite de premiação. A cantora emanou luz, literalmente, não apenas por soltar a voz daquele jeito empoderador de sempre, mas também por aparecer usando um vestido cheio de brilhos digno de todo o seu poder. A intérprete já é figurinha repetida nesta premiação, mas isso não deixou de lado as palmas do público. A vitória já era esperada e, novamente, ela ganhou o destaque merecido como Melhor Cantora na categoria Canção Popular.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Engana-se em quem pensa que a noite parou por ai. As irmãs Galvão Meire e Marilene ganharam na categoria Melhor Dupla Regional pela primeira vez na história do Prêmio da Música Brasileira. A emoção das duas ao subir no palco foi tamanha que elas não conseguiram conter as lágrimas. A resposta do público foi imediata e as duas ganharam uma salva de palmas que durou alguns bons segundos.

Dupla As Galvão emocionam a plateia (Foto: AGNEWS)

Polêmico e histórico, o 29º Prêmio da Música Brasileira homenageou Luiz Melodia, falecido no ano passado, contando a sua história e trazendo grandes artistas da atualidade para reverenciar a sua obra. Com ‘L de Lula’ e cantores negros em evidencia, a cerimônia segue a tradição irreverente e questionadora.

Confira a lista completa, em negrito, dos vencedores da premiação de 2018:

CATEGORIA ARRANJADOR

  • Flávio Mendes por ‘Danilo Caymmi – canta Tom Jobim’, de Danilo Caymmi
  • Mario Adnet por ‘Saudade Maravilhosa’, de Mario Adnet
  • Mario Adnet por ‘Jobim Orquestra e Convidados’, de Paulo Jobim e Mario Adnet

CATEGORIA MELHOR CANÇÃO

  • ‘As Caravanas’, de Chico Buarque, intérprete Chico Buarque (CD ‘As Caravanas’)
  • ‘Massarandupió’, de Chico Brown e Chico Buarque, intérprete Chico Buarque (CD ‘As Caravanas’)
  • ‘Tua Cantiga’, de Cristóvão Bastos e Chico Buarque, intérprete Chico Buarque (CD ‘As Caravanas’)

CATEGORIA REVELAÇÃO PETROBRAS

  • Almério (‘Desempena’)
  • Pedro Franco (‘Pedro Franco’)
  • Tim Bernardes (‘Recomeçar’)

CATEGORIA PROJETO VISUAL

  • LAStudio por ‘Tribalistas’, de Tribalistas
  • Felipe Taborda por ‘Campos Neutrais’, de Vitor Ramil
  • Flávia Pedras Soares por ‘Invento’, de Zélia Duncan e Jaques Morelenbaum

CATEGORIA CANÇÃO POPULAR

ÁLBUM

  • ‘Canções de Roberto e Erasmo’, de Angela Maria, produtor Thiago Marques Luiz
  • ‘BIXA’, de As Bahias e A Cozinha Mineira, produtores Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral
  • ‘Coração’, de Johnny Hooker, produtor Leo D

CANTOR

  • Leo Russo (‘Canto do Leo’)
  • Roberto Carlos (‘Roberto Carlos’)
  • Tibério Azul (‘Líquido’)

CANTORA

  • Alcione (‘Boleros’)
  • Amelinha (‘De primeira grandeza, as canções de Belchior’)
  • Angela Maria (‘Canções de Roberto e Erasmo’)

DUPLA

  • Chitãozinho e Xororó (‘Elas em Evidência’)
  • Lourenço e Lourival (‘Caipira da Gema’)
  • Zezé di Camargo e Luciano (‘Dois Tempos parte 2’)

GRUPO

  • As Bahias e A Cozinha Mineira (‘BIXA’)
  • Psirico (‘Nada Nos Separa’)
  • Trio Parada Dura (‘Chalana, Churrasco e Viola’)

CATEGORIAS ESPECIAIS

ÁLBUM ELETRÔNICO

  • ‘Frevotron’, de Spok, Dj Dolores e Yuri Queiroga, produtores Dj Dolores, Spok e Yuri Queiroga
  • ‘Sintetizamor’, de João Donato e Donatinho, produtor Donatinho

ÁLBUM EM LÍNGUA ESTRANGEIRA

  • ‘Ay Amor!’, de Fabiana Cozza, produtores Pepe Cisneros
  • ‘Lessons in love’, de Indiana Nomma, produtores Raymundo Bittencourt e Indiana Nomma
  • ‘Walkin’ In White Shoes’, de David Kerr e Canastra Trio, produtores Davis Kerr e Canastra Trio

ÁLBUM ERUDITO

  • ‘Brahms’, de Nelson Freire, interpretado por Nelson Freire, produtor Dominc Fyfe
  • ‘Heitor Villa-Lobos, Sinfonias nº 8, 9 e 11’, de Villa-Lobos, interpretado pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, produtor OSESP
  • ‘Villa-Lobos, Quartetos e Cordas’, de Villa-Lobos, interpretado pelo Quarteto Bessler-Reis e Quarteto Amazônia, produtor Mario de Aratanha

ÁLBUM INFANTIL

  • ‘Deu Bicho Na Casa’, de Sula Kossatz, produtores Chico Batera e Fernando Brandão
  • ‘Música de Brinquedo 2’ de Pato Fu, produtor John Ulhoa
  • ‘Sem Você Não A’, de Tom Zé, produtores Paulo Lepetit e Daniel Maia

ÁLBUM PROJETO ESPECIAL

  • ‘O Auto do Reino do Sol’, de Barca dos Corações Partidos, produtores Alfredo Del-Penho e Beto Lemos
  • ‘Jobim Orquestra e Convidados’, de Paulo Jobim e Mario Adnet, produtores Mario, Joana e Antonia Adnet
  • ‘Tatanaguê’, de Theo de Barros e Renato Braz, produtor Theo de Barros

MELHOR DVD

  • ‘Do Tamanho Certo Para o Meu Sorisso- Ao Vivo’, de Fafá de Belém, direção Murilo Alvesso
  • ‘Histórias e Canções’, de Bibi Ferreira, direção de Alexis Parrot
  • ‘Jobim Orquestra e Convidados’, de Paulo Jobim e Mario Adnet, direção de Nelsinho Faria

VIDEOCLIPE

  • ‘Maracutaia’, de Karol Conka, direção Brendo e Gonfiantini (Paranoid)
  • ‘Culpa’, de O Terno, direção de Breno Moreira e Bruno Shintate
  • ‘A Volta Pra Casa’, de Rincon Sapiência, direção de Kill The Buddha

CATEGORIA INSTRUMENTAL

ÁLBUM

  • ‘Casa de Bituca’, de Hamilton de Holanda Quinteto, produtores Hamilton de Holanda e Marcos Portinari
  • ‘No Mundo Dos Sons’, de Hermeto Pascoal e Grupo, produtor Hermeto Pascoal
  • ‘Quebranto’, de Yamandu Costa e Alessandro Penezzi, produtores Yamandú Costa e Alessandro Penezzi

GRUPO

  • Alessandro Kramer Quarteto (‘Alessandro Kramer Quarteto’)
  • Hamilton de Holanda Quinteto (‘Casa de Bituca’)
  • Hermeto Pascoal e Grupo (‘Mundo dos Sons’)

SOLISTA

  • Hamilton de Holanda (‘Casa de Bituca’, de Hamilton de Holanda Quinteto)
  • Hermeto Pascoal (‘No Mundo Dos Sons’ de Hermeto Pascoal e Grupo)
  • Yamandú Costa (‘Quebranto’ de Yamandú Costa e Alessandro Penezzi)

CATEGORIA MPB

ÁLBUM

  • ‘As Caravanas’, de Chico Buarque, produtor Luiz Claudio Ramos
  • ‘Voz de Mágoa’ de Dori Caymmi, produtor Dori Caymmi
  • ‘Mano Que Zuera’, de João Bosco, produtores João Bosco, João Mario Linhares, Marcello Gonçalves e Francisco Bosco

CANTOR

  • Dori Caymmi (‘Voz de Mágoa’)
  • João Bosco (‘Mano Que Zuera’)
  • Zé Renato (‘Bebedouro´)

CANTORA

  • Joyce Moreno (‘Palavra e Som’)
  • Zélia Duncan (‘Invento’)
  • Zizi Possi (‘Faltavam Seus Olhos’)

GRUPO

  • Equale (‘Na Praia de Caymmi’)
  • Ordinarius (‘Notável’)
  • Quarteto do Rio (‘Mr. Bossa Nova’)

CATEGORIA POP / ROCK / REGGAE / HIPHOP / FUNK

ÁLBUM

  • ‘Acabou Chorare, Novos Baianos se encontram’, de Novos Baianos, produtores Moraes Moreira e Pepeu Gomes
  • ‘Estado de Poesia, Ao Vivo’, de Chico César, produtores Michi Ruzitschka e Chico César
  • ‘Estratosférica, Ao Vivo’, de Gal Costa, produtor Marcus Preto e Pupillo

CANTOR

  • Almério (‘Desempena’)
  • Chico César (‘Estado de Poesia, Ao Vivo’)
  • Lulu Santos (‘Baby Baby!’)

CANTORA

  • Gal Costa (‘Estratosférica, Ao Vivo’)
  • Simone Mazzer (‘Simone Mazzer e Cotonete’)
  • Tulipa Ruiz (‘TU’)

GRUPO

  • Nação Zumbi (‘Radiola NZ Volume 1’)
  • Novos Baianos (‘Acabou Chorare, Novos Baianos se encontram’)
  • Tribalistas (Tribalistas’)

CATEGORIA REGIONAL

ÁLBUM

  • ‘Caipira’, de Mônica Salmaso, produtor Teco Cardoso
  • ‘É Tempo pra Viver’, de Mestrinho, produtor Mestrinho
  • ‘Terra dos Sonhos’, de Renato Teixeira e Orquestra do Estado do Mato Grosso, produtor Leandro Carvalho

CANTOR

  • Mestrinho (‘É Tempo pra Viver’)
  • Renato Teixeira (‘Renato Teixeira e Orquestra do Estado do Mato Grosso – Terra dos Sonhos’)
  • Vitoru Kinjo (‘Kinjo’)

CANTORA

  • Andrezza Formiga (‘E tome Forró, Meu Bem!’)
  • Lia Sophia (‘Não Me Provoca’)
  • Mônica Salmaso (‘Caipira’)

DUPLA

  • As Galvão (‘Soberanas’)
  • Duo Balangulá (‘Certos Tipos e Suas Canções’)
  • Kleber Albuquerque e Rubi (‘Contraveneno’)

GRUPO

  • Quinteto Violado (‘Quinteto Violado, 46 anos’)
  • Sertanilia (‘Gratia’)
  • Trio Nordestino (‘Canta o Nordeste’)

CATEGORIA SAMBA

ÁLBUM

  • ‘Ao Vivo, no Bar Pirajá’, de Moacyr Luz e Samba do Trabalhador, produtor Max Pierre
  • ‘Espiral de Ilusão’, de Criolo, produtor Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral
  • ‘Munduê, de Diogo Nogueira, produtor Rafael dos Anjos e Alessandro Cardoso

CANTOR

  • Criolo (‘Espiral de Ilusão’)
  • Diogo Nogueira (‘Munduê’)
  • Thiago Miranda (‘Samba pra Elas’)

CANTORA

  • Ana Costa (‘Do Começo ao Infinito’)
  • Leci Brandão (‘Simples Assim’)
  • Sandra Portella (‘Banho de Fé’)

GRUPO

  • Épreta (‘Épreta’)
  • Moacyr Luz e Samba do Trabalhador (‘Moacyr Luz e Samba do Trabalhador, Ao Vivo no Bar Pirajá’)
  • Tempero Carioca (‘Se o Samba Me Chamar’)

Pesquisas relacionadas