Gente & Comportamento

“O futuro é a internet, a televisão já era”, afirmou o comediante Eduardo Sterblitch

O ator está atuando na série da Globo Play Shippados, cujas gravações ainda estão rolando. Na trama, ele interpreta o par romântico de Tatá Werneck como um sociopata

Publicado em 09/01/2019 | Por Ana Clara Xavier

Eduardo Sterblitch e Tatá Werneck juntos só podem significar uma coisa: sucesso em forma de risada. O atores estão contracenando lado a lado na nova série da Globo Play, Shippados, que ainda está em processo de filmagem. “O futuro é a internet, a televisão já era! É um caminho natural, mas, ao mesmo tempo, homeopático porque muita gente ainda não tem acesso. Esta será mais uma trama produzida direto para o aplicativo, assim como Ilha de Ferro. A emissora está investindo muito nisto, o que significa ainda mais trabalhos para os artistas nacionais”, comentou Eduardo Sterblitch, que acabou assinando um contrato fixo com a Globo há dois meses por conta desta trama. Escrita por Fernanda Young e Alexandre Machado e dirigida por Patrícia Pedrosa, a história conta com personagens bem inusitados indo desde sociopatas até naturistas que estão sendo interpretados por Luis Lobianco, Clarice Falcão, Rafael Queiroga e Julia Rabelo.

Leia: Atriz e empresária, Giovanna Antonelli reclama de crise econômica no Brasil: “Tudo poderia ser mais fácil”

Eduardo Sterblitch venceu na categoria Comédia do Troféu Domingão – Melhores do Ano (Foto: Artur Meninea / Gshow)

Em Shippados, Eduardo interpreta um homem sociopata que não consegue se relacionar com as pessoas ao redor por ser muito excêntrico, assim como o papel de Tatá Werneck. “A primeira cena que gravamos foi de sexo, o que aumentou a nossa intimidade”, garantiu. Os dois acabam se conhecendo através de um aplicativo de relacionamentos, porém o encontro resulta em um desastre. A partir disso, eles decidem processar a plataforma e, no meio do caminho, acabam sendo estimulados a tentar ficar juntos. “Está sendo muito divertido de fazer e, quando isto acontece, acabo ganhando mais confiança. Tenho certeza que o público vai gostar”, afirmou o comediante.

Leia: Sérgio Guizé deixa o suspense da lado e comenta relacionamento com Bianca Bin: “A vida de casado mudou tudo”

Eduardo Sterblitch e Tatá Werneck são um par romântico na série que ficará disponível unicamente na Globo Play (Foto: Divulgação)

Eduardo Sterblitch já era figurinha carimbada na Globo, com os programas  Tá No Ar e Amor & Sexo. O ator, aliás, foi um dos famosos bombardeados nas redes sociais por conta de polêmicas que envolveram o talk show comandado por Fernanda Lima. Em vários quadros, os artistas faziam questão de discutir tabus e levantar as bandeiras do feminismo e da igualdade. “Eu adoro poder provocar as pessoas. Já trabalhei no Pânico que era um programa que tinha este caráter de incomodar os caretas e arcaicos. Sempre trabalharei pensando em tirar os outros da zona de conforto, tanto para o bem quanto para o mal. O Amor & Sexo é um programa mais didático, social e político. Falamos de assuntos que são tabus. Acho fundamental haver um espaço como este dentro da sociedade”, garantiu Eduardo.

Leia: Luan Santana fala sobre unfollow Neymar, mas adianta: “Continuo seguindo ele”

Eduardo Sterblitch está atuando na série Shippados ao lado de Tatá Werneck (Foto: Divulgação)

As críticas que recebeu pela participação em Amor & Sexo fazem parte de uma verdadeira lista de julgamentos que sofreu ao longo dos anos. Afinal, por ser humorista, muitas vezes o teor de suas piadas acabavam incomodando os espectadores. “Eu estava me sentindo um pouco desestimulado. Trabalho para o público e ele pode ser muito cruel, às vezes. Sei disso, inclusive, porque faço parte do povo”, lamentou.

Leia: Troféu Domingão: artistas levantam bandeiras feministas e repercutem discurso emocionante de Fernanda Montenegro

Eduardo Sterblitch comenta: “O público pode ser muito cruel” (Foto: Divulgação)

Mesmo com tantas críticas, Eduardo Sterblitch garantiu nunca ter mudado a sua essência enquanto comediante, seja trabalhando em Amor & Sexo, na Globo, ou no Pânico, na Rede TV! e na Band. “Moldo o meu humor de acordo com o que o público quer. Não gosto de fazer a mesma piada. Estar confortável em um lugar, para mim, é ruim. Minha vontade é estar um passo à frente do público. Quero surpreender para manter o interesse”, garantiu. A gente adora!

Pesquisas relacionadas