Gente & Comportamento

Geronto Fair: Revolução da Longevidade impulsiona o mercado de negócios voltados para a terceira idade

A segunda edição da feira já tem data para 2019. Será realizada pela Merkator Feira e Eventos entre os dias 12 e 14 de setembro, no Serra Park, em Gramado. “Já temos mais de 30 contatos de pessoas que vieram visitar e já querem fechar conosco no ano que vem. Todos os expositores que participaram da Geronto Fair nesta edição confirmaram presença também. Dessa forma, unindo todos estes números, devemos triplicar o número de empresas e instituições no próximo evento. Este mercado só vai crescer e nós saímos na frente por inaugurarmos a primeira feira do ramo”, informou Roberta Pletsch

Publicado em 05/09/2018 | Por Ana Clara Xavier

 

 

Informação, acessibilidade, análise e soluções são alguns itens que contribuíram para o sucesso da primeira edição da Geronto Fair, única feira do Brasil especializada em soluções profissionais para o público da terceira idade. Desde arquitetura e automação para as casas até hotéis voltados para este público, o evento reuniu diversos profissionais para englobar a maior quantidade de produtos possíveis para este mercado que cresce a cada ano no Brasil, correspondendo a aproximadamente 30 milhões de pessoas, ou seja, 18% a mais do que em 2012, de acordo com dados do IBGE. O último dia do evento está sendo realizado hoje no pavilhão do Serra Park, em Gramado, no Rio Grande do Sul, um dos estados nacionais com maior quantidade de idosos. Promovida pela Merkator Feira e Eventos, a Geronto Fair ajudou a fomentar a comercialização de produtos e iniciativas voltadas para esta parcela da população. Com palestras sempre lotadas que contavam com a presença de vários profissionais renomados, a Merkator ratifica a sua importância na organização de eventos por sair na frente em um tema tão importante como a inclusão e acessibilidade para a sociedade brasileira, que aumentou a sua expectativa de vida em cerca de 14 anos desde 1980, chegando a 76 anos. Com esta empreitada, a empresa conseguiu abrir os olhos do mundo dos negócios para este público-alvo e que movimenta aproximadamente R$ 400 bilhões por ano. E este sucesso já tem data de retorno para 2019. A segunda edição da Geronto Fair será realizada entre os dias 12 e 14 de setembro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Saiba mais: Preview Geronto Fair: Primeira feira do país voltada para a terceira idade será realizada em Gramado, na próxima semana, pela Merkator

As prospecções para o ano que vem já são muitas antes mesmo da primeira edição ter o seu fim. A curadoria, que deu super certo por trazer profissionais de qualidade para as salas de palestras montadas no Serra Park, será mantida. Além de contar novamente com a parceria da Sociedade de Geriatria e Gerontologia do Rio Grande do Sul e o Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre, a Merkator também tem a intenção de incluir mais conselhos regionais nesta lista para trazer ainda mais estudiosos, especialistas de diferentes ramos, como educação física, fisioterapia, psicologia e arquitetura.Para nós da Merkator é uma honra receber tantos profissionais de qualidade. Trabalho em eventos há mais de 45 anos e este foi um projeto especial. Temos muitas pessoas nos procurando, o que significa que vamos aumentar muito o número de expositores na próxima edição”, comemorou Frederico Pletsch, diretor da Merkator.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Merkator sempre teve a filosofia de unir o turismo de lazer com viagens de negócio e, nesta edição da Geronto, a própria feira já era um espetáculo à parte. Não teve um convidado ou expositor que não se encantasse pelo visual sustentável e fresh do evento, o que contribuiu para o retorno positivo e a possibilidade de aumentar em grandes proporções o tamanho o evento. “Já temos mais de 30 contatos de pessoas que vieram visitar e já querem fechar conosco no ano que vem. Todos os expositores que participaram da Geronto Fair nesta edição já confirmaram presença também. Dessa forma, unindo todos estes números, devemos triplicar o número de empresas e instituições no próximo evento. Devemos chegar, tranquilamente, a 120 marcas. Estamos contentes. Este mercado só vai crescer e nós saímos na frente por inaugurarmos a primeira feira do ramo”, comentou Roberta Pletsch, diretora de relacionamento com mercado da Merkator. Neste primeiro ano, o Serra Park Gramado contou com a presença de 35 expositores de variadas marcas como Unimed, Sunpower, Clube 60, Fátima Rendas, Uniair, Senescentis, Curaprox e muito mais!

Roberta Pletsch, diretora de relacionamento com mercado da Merkator

“A Geronto Fair é o encontro entre os profissionais da área e empresas, descobrindo novas soluções e inovações de tecnologias”, diz Roberta Pletsch, diretora de relacionamento com mercado da Merkator – Foto – Gramado: Dinarci Borges

A Geronto Fair já chegou ao mercado para funcionar como um espaço para encontro de grandes profissionais e empresários em busca da troca de conhecimentos sobre este público da terceira idade para analisar novas soluções e maneiras de promover a qualidade de vida para a terceira idade. O evento se tornou este pólo de convergência por trazer gente de peso no mercado e a prova disso foram as palestras com especialistas que abordaram temas que foram desde a expansão do número de consumidores até o caminho para a desospitalização. “Estou achando a feira extraordinária. Tenho certeza que será a primeira de uma série de outras. O start foi dado e nós temos que ser protagonistas sobre os caminhos do futuro. Não importa a idade que temos. Devemos pensar que atingiremos a terceira idade. Temos que ser proativos e reivindicar questões institucionais e sociais”, comentou o doutor Egídio Dorea, diretor de desenvolvimento institucional do Fórum Internacional da Longevidade (ILC BR) e um dos palestrantes.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Egídio Dorea é referência quando o tema é a Revolução da Longevidade, uma das principais discussões levantadas durante os três dias deste intercâmbio profissional. “A Revolução da Longevidade é que nós aumentamos o número de idosos em apenas 30 anos, ao contrário de muitos países de primeiro mundo que, na sua maioria, levaram quase um século para envelhecer. Crescemos rapidamente este percentual, principalmente, com relação a octogenários e até nonagenários e centenários. Isto pode ser visto, especialmente, nas mulheres cuja média de vida é de 76 anos e, em 2060, pode chegar a 80”, explicou Marianela Hekman, médica especialista em geriatria, presidente do Comitê Latino-Americano de Geriatria e Gerontologia e uma das mediadoras das palestras que ocorreram no Serra Park. Desta forma, o caminho até a realização desta empreitada da Merkator teve uma profunda relação com estas mudanças na pirâmide etária.

Marianela Hekman mediou algumas palestras na Geronto Fair. Ela é médica especialista em geriatria e presidente do comitê latino americano de geriatria e gerontologia

Marianela Hekman mediou algumas palestras na Geronto Fair. Ela é médica especialista em geriatria e presidente do Comitê Latino-Americano de Geriatria e Gerontologia – Foto – Gramado: Dinarci Borges

A feira, de fato, se tornou um pólo de informação, conhecimentos e soluções de problemas para a terceira idade visando garantir a longevidade desta parcela da população aliada a qualidade de vida. Sendo assim, leia alguns pontos que merecem destaque nesta relação entre bem-estar e saúde que garantiram o sucesso da Geronto Fair:

Convívio social

Um dos pontos principais ressaltados pelos palestrantes da feira para o aumento da qualidade de vida é a importância do pertencimento a um grupo. O idoso precisa se ver como parte integrante de algo maior. “Um dos fatores de risco para a demência, por exemplo, é o isolamento social ao longo da vida. Dessa forma, participar de grupos e interagir com pessoas faz parte de uma vida saudável para excluir de sua vida doenças mentais. Temos que entender que os idosos estão em uma fase da vida diferente dos jovens, por exemplo, e possuem algumas limitações e interpretações de mundo. É necessário desmistificar o princípio que o idoso deve ficar em uma poltrona para aguardar a sua finitude”, explicou Fernando Aguzzoli, autor do livro Quem, Eu? e palestrante do evento. Aos 26 anos, ele se tornou um especialista na terceira idade por cuidar de sua avó que foi diagnosticada com Alzheimer. Desde então, ele passou a pesquisar bastante sobre o tema e, atualmente, roda o país dando palestras sobre a relação humana, tentando passar uma nova perspectiva sobre como encarar doenças como Alzheimer, minimizando efeitos para melhorar a qualidade de vida.

Fernando Aguzzoli é autor do livro Quem, Eu? que foi inspirado nos momentos que viveu com sua avó - Foto - Gramado: Dinarci Borges

Fernando Aguzzoli é autor do livro Quem, Eu? que foi inspirado nos momentos que viveu com sua avó – Foto – Gramado: Dinarci Borges

Encarar a doença e as limitações do idoso também são importantes para inserir este indivíduo na sociedade como é o caso da boneca de pano da marca Senescentis desenvolvida para pessoas que possuem algum tipo de demência como o Alzheimer. “Eu sabia que existia a terapia da boneca, que é quando a pessoa se aproxima de objetos inanimados, mas queria trazer isto para o cotidiano. A minha mãe, que é artesã, projetou e a minha irmã, que é terapeuta ocupacional, fez os recursos lúdicos da boneca – como botões e miçangas – para entreter as pessoas. Com este ‘brinquedo’, quem tem movimentos mais repetitivos e ansiosos vai conseguir se acalmar”, salientou Michelle Bertóglio Clos, diretora técnica da Senescentis e doutora em gerontologia biomédica. Os consumidores podem escolher as características como cor do olho e do cabelo para se assemelhar a algum ente querido do paciente. Atualmente, a empresa exporta para vários estados do Brasil, como Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo e Florianópolis. Para completar, Michelle ainda lançou o livro Mudando de Endereço: como escolher um residencial geriátrico na feira, que fala de uma forma menos acadêmica sobre os residenciais geriátricos para ajudar os familiares a escolher a melhor opção.

Michelle Bertóglio Clos ajudou a idealizar estas bonecas que podem ajudar pacientes com demência - Foto - Gramado: Dinarci Borges

Michelle Bertóglio Clos ajudou a idealizar estas bonecas que podem ajudar pacientes com demência – Foto – Gramado: Dinarci Borges

Interatividade

Além do sentimento de pertencimento, é imprescindível que o idoso consiga interagir com o meio ambiente e ter uma vida ativa socialmente, de acordo com Marianela Hekman, presidente do Comitê Latino-Americano de Geriatria e Gerontologia. Pensando nisto, a empresa Clube 60 oferece um serviço completamente inovador no ramo de residenciais geriátricos. Em vez de morar em um centro, o idoso pode se mudar para um hotel onde tem a possibilidade de trocar experiências com diversas pessoas de vários lugares do mundo. “A pessoa pode morar em um local totalmente confortável, livre das preocupações de uma casa e da solidão que pode haver. O indivíduo tem um contato rotineiro com gente de diversas partes do mundo enquanto toma o seu café da manhã, por exemplo, no bistrô do hotel. Além do lado moradia, ainda instigamos a interatividade com noite de dança, sarau musical e conversa com especialistas de diversos temas”, explicou Mara Pacheco, representante da Clube 60 na Geronto Fair. Atualmente, a companhia trabalha somente com o Bela Vista Service Residence, em Porto Alegre, mas está em processo de expansão. Para fazer parte da empresa, a rede hoteleira precisa ter um conceito mais residencial, contar com ambientes de convivência, restaurante, lavanderia, entre outros.

Clube 60 é uma empresa que oferece moradia para idosos em hotéis - Gramado: Dinarci Borges

Clube 60 é uma empresa que oferece moradia para idosos em hotéis – Foto – Gramado: Dinarci Borges

Mas é claro que um idoso não precisa permanecer em um só lugar. O turismo também está crescendo muito, afinal, um quinto desta parcela da população prefere gastar mais com viagens do que na sua juventude. Pensando nisso, a empresa Sunpower, por exemplo, traz soluções personalizadas para estes clientes. “Temos que esquecer esta ideia que o destino dos idosos é viajar para um local pacato. Não é preciso mais isto. Hoje em dia, todos podem fazer de tudo. É claro que, neste caso, o conforto, a acessibilidade e o seguro saúde passam a ser mais relevantes para garantir uma boa experiência”, explicou Rosi Dutra, representante da Sunpower na Geronto Fair. De qualquer forma, a ideia desta agência de viagem é entender as limitações destes consumidores e atender da melhor forma possível as vontades deles para que continuem mantendo a sua rede social ativa ao desbravar novas culturas.

Sunpower é uma empresa de turismo que faz pacotes especiais para a terceira idade também - Foto - Gramado: Dinarci Borges

Sunpower é uma empresa de turismo que faz pacotes especiais para a terceira idade também – Foto – Gramado: Dinarci Borges

Participação ativa no mundo dos negócios

A aposentadoria não é o limite do mundo empresarial. É claro que o público com mais de 60 possui diversas especificidades, mas o envelhecimento também traz novas oportunidades de negócio. “Com a transição demográfica e a discussão sobre a possível mudança da previdência social, nós já sabemos que passaremos mais tempo trabalhando. A média de idade da aposentadoria deve avançar, afinal, o sistema atual não é viável. Temos que ver como esta população vai continuar trabalhando. Talvez, por exemplo, podemos pensar em jornadas periódicas. Isto é importante, inclusive, para o cidadão se manter ativo”, explicou Carlos André Ueara, representante da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia Nacional e palestrante da Geronto Fair.

Carlos André Ueara é representante da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia Nacional e palestrante da Geronto Fair – Gramado: Dinarci Borges

Manter-se neste universo economicamente ativo é uma forma do idoso continuar enxergando um propósito em sua vida e não se limitar a ficar em casa sem exercer atividades. “É difícil precisar a quantidade de idosos que são economicamente ativos no Brasil, porque muitos acabam trabalhando com funções que apenas contribuem para acrescentar mais dinheiro na sua aposentadoria. Muita gente continua no mercado”, salientou Marianela Hekman. Este é o caso, por exemplo, da grife Fátima Rendas, que já possui quatro décadas de atuação no mercado começando como um simples grupo familiar de rendeiras que trabalhavam informalmente. Atualmente, a marca já está na quinta geração de mulheres empreendedoras que trabalham neste ofício manual. Depois de tanto tempo no mercado, a iniciativa agora é expandir o número de consumidores. “Vimos na Geronto Fair a possibilidade de lidar com um público que está mais acostumado com a qualidade, como é o caso da terceira idade”, comentou Fátima Mergulhão, que trabalha no comercial da Fátima Rendas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tecnologia como instrumento essencial nesta busca pela qualidade de vida

Aparelhos de ponta, estudos científicos e especificidade das técnicas são, sem dúvidas, elementos fundamentais neste aumento da longevidade e qualidade de vida. A cura de inúmeras doenças só foi possível a partir de ferramentas de alta performance que permitiram a observação, por exemplo. Resta agora saber como usá-la. “A tecnologia tem aspectos bons e ruins, mas temos que pensar esta ferramenta como um auxiliar para determinadas funções mais limitadas como é o caso, por exemplo, de uma prótese para uma pessoa que perdeu a perna. Com isso, a gente consegue reintegrar o indivíduo na sociedade para que ele consiga fazer todas as suas atividades”, explicou Carlos André Ueara, representante da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia Nacional e palestrante da Geronto Fair.

Esta melhora na qualidade de vida pode ser vista através do desenvolvimento de uma tecnologia pela Up Access que permite o idoso levantar e sentar no vaso sanitário sem ajuda de terceiros. “Nós desenvolvemos um sistema único que faz esta operação para o indivíduo de forma a diminuir os esforços na operação de ir para o vaso sanitário. O nosso maquinário pega a pessoa de pé e vai abaixando até ficar sentada. Tudo isso por um controle remoto”, explicou Márcio Luciano, representante da marca. Esta ferramenta não existia no Brasil e, no exterior, há uma máquina semelhante, mas possui o auxílio de dois dispositivos. “A tecnologia contribui, dessa forma, para uma melhora na qualidade de vida das pessoas aumentando esta longevidade. Além disso, dá mais independência para o idoso o que potencializa a sua autoestima”, garantiu.

Up Access é a empresa que idealizou o vso sanitário que ativa a autonomia dos idosos - Foto - Gramado: Dinarci Borges

Up Access é a empresa que idealizou o vso sanitário que ativa a autonomia dos idosos – Foto – Gramado: Dinarci Borges

A Tecnosenior é outra empresa que contribui para a longevidade do idoso através de software, dispositivos e consultoria para empresas que prestam serviço para a terceira idade. “Usamos tecnologias, normalmente, americanas e desenvolvemos softwares que estão sendo utilizados em todo o mundo”, comentou Gilson Esteves, representante da Tecnosenior. A companhia atua internacionalmente e produz aparelhos, por exemplo, que rastreiam a pessoa já que pacientes com Alzheimer podem se perder.

Acessibilidade e portabilidade como fontes de autoestima

Tornar o ambiente cada vez mais apto para receber este idoso é fundamental. Tendo problemas de saúde ou não, são pessoas que possuem uma dificuldade de locomoção ou algumas possíveis limitações. Dessa forma, é essencial criar lugares mais acessíveis a este público. “A gente nem pode pensar nisso como algo exclusivo para os idosos, afinal, pode ajudar muitas pessoas a nível universal. Temos que respeitar as limitações dos outros e, por isso, pensar em espaços aptos para receber todos. A autonomia e a independência são assuntos delicados, afinal, quanto mais dependente mais isolado será este indivíduo. Sendo assim, ajudar nesta locomoção contribuirá para o aumento da autoestima, diminuindo casos de depressão”, afirmou Carlos André Ueara, da SBGG Nacional.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para tornar uma casa, por exemplo, apta para a terceira idade é necessário pensar em diversos detalhes para facilitar o cotidiano como corrimão, rampa, cama mais baixa, iluminação perto do leito e muitos outros.  O escritório de arquitetura Imagine, por exemplo, é uma das empresas que pensa nesta acessibilidade. “Nós buscamos fazer projetos para o público de 60+ que facilite a sua acessibilidade, autonomia e flexibilidade dentro de casa ou em outros espaços. São vários cuidados interessantes de serem tomados conforme a necessidade”, explicou a representante da Imagine, Luciana Gomes Regra. Este grupo foi, inclusive, o responsável por idealizar a estética da Geronto Fair.

A casa para o público de terceira idade pode contar com uma arquitetura bem planejada - Foto - Gramado: Dinarci Borges

A casa para o público de terceira idade pode contar com uma arquitetura bem planejada – Foto – Gramado: Dinarci Borges

A acessibilidade também está presente no ato de caminhar. O idoso precisa ter estabilidade ao se locomover já que a queda é uma grande responsável por diversos problemas. A marca Malu SuperComfort esteve na Geronto Fair para mostrar que sapatos podem ajudar neste processo. “Nós temos uma linha, há mais de 10 anos, de calçados confortáveis nos quais todos são pensados na facilidade ao caminhar. Para isso, desenvolvemos uma palmilha que nunca perde o seu formato inicial e o solado ainda é antiderrapante. Dessa forma, são fundamentais para estas pessoas da terceira idade que precisam desta segurança e conforto ao andar”, explicou Giuliane Enzweiler, que trabalha no marketing da Malu SuperComfort. A empresa, inclusive, esteve na feira para trocar ideias com profissionais na área da saúde e aperfeiçoar ainda mais as técnicas.

Malu SuperComfort possui uma linha de sapatos confortáveis que se ajustam ao pé da pessoa – Gramado: Dinarci Borges

Cuidados com a saúde

Alimentação, exercícios físicos, controle de peso e observação de histórico familiar de doenças são algumas prevenções que podem ser feitas para aumentar a longevidade e a qualidade de vida, afinal, a saúde, obviamente, é fundamental neste processo. “Cuidar da própria saúde deve abranger todos os sentidos desde espiritual até mental com cautela no momento de consumir um alimento, atenção para a higiene, entre outros”, afirmou Marianela Hekman. Pensando nisso, a Merkator contou com a presença da Unimed, além dos médicos palestrantes, para discutir a importância de cultivar bons hábitos ao longo da vida. Como empresa, a seguradora garantiu ter iniciativas para melhorar o desenvolvimento humano. “Em sua grande maioria, as Unimeds do Rio Grande do Sul possuem academia pública externa, projetos de caminhadas orientadas, incentivo a boa alimentação com nutricionistas, iniciativas na área da psicologia atuando na prevenção do não adoecimento. São ideias que colocamos em prática na busca da melhoria da saúde dos nossos filiados”, comentou José Milton Cunha Mirenda, diretor de saúde e de desenvolvimento humano da Unimed e também é médico especializado em geriatria.

Propostas se tornando realidade: O caso da Terra da Longevidade Brasileira

Para sintetizar todo o ideal da feira, a Merkator convidou alguns representantes administrativos da cidade de Veranópolis, no Rio Grande do Sul, que é considerado o local mais amigável para o idoso no país devido suas políticas públicas e a alta expectativa de vida na região. Com estudos sobre envelhecimentos iniciados na década de 80, a prefeitura decidiu colocar em prática todos os conteúdos analisados e criar planos junto com o conselho municipal. Vários comitês e pesquisas foram feitas para entender quais melhorias a população considerava necessárias. Dessa forma, projetos na área de moradia, transporte, inclusão social, ambientes de aprendizagem e muito mais devem ser colocados em prática até 2019. “O nosso cuidado em tornar esta cidade amigável ao idoso tem a ver com a espiritualidade, a convivência social e a integração, juntamente com a agricultura. Estamos capacitando todos os profissionais da área de saúde para ter uma atuação melhor com os mais idosos. A gente contempla todas as motivações desta terceira idade”, explicou Adriane Maria Parise, uma das responsáveis pela iniciativa. “São atividades simples que vão melhorar a qualidade de vida dos idosos e, automaticamente, todas as gerações que vierem serão contempladas”.

Estande da cidade de Veranópolis na Geronto Fair - Foto: Gramado - Dinarci Borges

Estande da cidade de Veranópolis na Geronto Fair – Foto: Gramado – Dinarci Borges

De acordo com Carlos André Ueara, é possível transpor este plano a nível nacional. “Veranópolis é um exemplo no Brasil, mas temos outros tipos de cidade modelo no resto do mundo. Temos que identificar as características desta população que envelheceu bem e tentar transpor para o resto da população global. Talvez, a gente consiga transformar isto a nível Brasil se nós focarmos nos hábitos alimentares e de qualidade de vida que deram certo”, informou. Dessa forma, com a ajuda de todos estes colaboradores, palestrantes e expositores, a Merkator Feira e Eventos conseguiu dar todas as oportunidades de análises para tornar o Brasil um pólo de informação e acessibilidade para a terceira idade.

O Serra Park, em Gramado (RS), será o cenário para a segunda edição da Geronto Fair, em 2019 - Foto - Gramado: Dinarci Borges

O Serra Park, em Gramado (RS), será o cenário para a segunda edição da Geronto Fair, em 2019 – Foto – Gramado: Dinarci Borges

PARCERIAS – A Geronto Fair tem atraído importantes parceiros. A Sociedade Brasileira de
Geriatria e Gerontologia/secção RS, firmou parceria com a Geronto Fair. Outra importante parceria da feira é com o Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre.

Pesquisas relacionadas