Arte & Literatura

Moda, design, arte e fotografia se unem em exposição que celebra um dos maiores e mais clássicos cartões postais do Rio: a calçada

"Tatuagens Urbanas e o Imaginário Carioca" fica em cartaz no Museu Histórico Nacional a partir do Dia dos Namorados e reúne nomes como Osklen, Lenny Niemeyer, Isabela Capeto e muito mais gênios da criatividade carioca

Publicado em 09/06/2015 | Por João Ker

Do icônico Calçadão de Copacabana às ruas do Centro do Rio de Janeiro, as pedras portuguesas que formam as calçadas da capital fluminense carregam entre suas frestas mais histórias e valor do que muitos poderiam perceber ou se dar conta. Há muito tempo que as pedrinhas brancas e pretas serviram de inspiração para os mais diversos campos artísticos, indo de cartões postais a pinturas e coleções de moda. Agora, as pedras portuguesas chegam ao Museu Histórico Nacional, a partir do Dia dos Namorados, com a exposição “Tatuagens Urbanas e o Imaginário Carioca”, que faz parte do calendário oficial das comemorações de 450 anos da cidade.

Dividida em três módulos – histórico, do calceteiro e imaginário carioca -, a exposição nasceu do livro “Tapetes de Pedra” (2010), de Renata Lima, que é também quem assina o projeto. “Através de acervos de instituições de Portugal e do Brasil apresentamos telas, desenhos, fotos e moldes que formam um conjunto expositivo da maior relevância para se conhecer o tema proposto: as calçadas portuguesas”, comenta. Para isso, o museu receberá desde fotografias que mostram como o material andou lado a lado com a história carioca, até alguns registros aéreos clicados por Bruno Veiga, que dão uma ideia da amplitude e do alcance das pedrinhas pela Cidade Maravilhosa.

Um módulo que deve aguçar ainda mais a curiosidade do público é o batizado imaginário carioca, que mostra os vários desdobramentos criativos da calçada portuguesa pelos mais diferentes nomes e esferas da cultura do Rio. Por lá, será possível encontrar peças de Oskar Metsvaht (Osklen), Lenny Niemeyer e Isabela Capeto, além de móveis assinados por Lia Siqueira, Chico Gouveia, Ateliê Lattogg e Jaqueline Terpins. Alguns itens como jóias de Burle Marx e Oscar Niemeyer e um conjunto de chá de Francesca Romana Diana também figuram na lista de preciosidades do evento.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A curadoria de “Tatuagens Urbanas e o Imaginário Carioca” ficou por conta de Didi Rezende, que garante: “Buscamos a excelência, o primor, que pode ser visto na execução de algumas peças. Em outros casos buscamos peças inspiradas no lifestyle carioca e até no DNA da marca, como é o caso da Osklen”. E aí, já marcou na agenda?

Pesquisas relacionadas