Arte & Literatura

Faceta desconhecida: exposição “Aos Olhos de Caymmi” chega ao Rio de Janeiro mostrando o lado ilustrador do gênio da Bahia

Com curadoria de Rose Lima, a mostra inaugura no dia 27 de junho, no Instituto Antônio Carlos Jobim. Quem for, poderá conferir de perto ilustrações assinadas pelo próprio Dorival

Publicado em 26/06/2015 | Por Lucas Rezende

Atenção para a fala que vem a seguir. Ela é tentativa de explicar o modus operandi do trabalho dele que foi um dos maiores compositores, intérpretes e pintores do nosso país, Dorival Caymmi. “É tudo muito simples, natural. Eu parto de cenas reais, na maioria das vezes, corriqueiras até. No entanto, são necessários uns olhos especiais para se ver a música que é abstrata. Assim eu primeiro vejo a música. Depois a absorvo e logo após a transformo em canção. Aí entram a imaginação, […] e também a observação”. Foi mais ou menos assim que esse baiano de Salvador, falecido em 2008, entregou 18 discos ao mercado. Mas, da mesma forma que produzia canções, ele também ilustrava. É uma faceta pouco conhecida de Caymmi que vai receber uma grande angular a partir do próximo dia 27 de junho, no Instituto Antônio Carlos Jobim, através da exposição “Aos Olhos de Caymmi”, com ilustrações assinadas pelo próprio.

Caimmy: gênio da Bahia que ganhou o país (Foto: Reprodução)

Caimmy: gênio da Bahia que ganhou o país (Foto: Reprodução)

A mostra, que é uma exposição de canções ilustradas, faz uma verdadeira viagem rumo à Bahia de Todos os Santos, e te leva para passear nas mesmas paisagens ou pelos mesmos elementos que as músicas de Caimmy levaram. Portanto, não será muito difícil rever o coqueiral da Praia de Itapuã, a areia branca da Lagoa do Abaeté, as festas populares do estado, a típica puxada da rede ou, por que não, um acarajé com vatapá. Como mostram alguns desenhos separados pela gente, personagens como “Marina” – da canção homônima – ou uma alusão ao clássico “O que é que a baiana tem?”, eternizado na voz de Carmem Miranda, estarão no Instituto, colocando mais concreto nessa ponte entre a musicalidade e a ilustração.

A curadoria ficou por conta da também arquiteta Rose Lima, que possui mais de 18 anos de atuação reconhecida no cenário cultural baiano. Ou seja, não havia pessoa melhor para estar no projeto. E é Rose quem explica um pouco do que “Aos Olhos de Caymmi” quer passar aos cariocas. “Buscamos conectar o universo de inspiração de cada ilustração reunindo música, partitura, contexto, fonograma, intérpretes, admiradores e algumas curiosidades. Assim, apresentamos o pintor Dorival Caymmi, cujos olhos de artista traduziram palavras e sons em imagens”. Com produção assinada pela empresa Hasta La Luna Iniciativas Culturais, a mostra receberá a presença de Danilo Caymmi, filho mais novo do artista, na abertura que acontecerá às 19h.

Danilo, que já acompanhou a passagem da exposição por Salvador e São Paulo, continua com a ideia de que, no Rio de Janeiro, a compilação de ilustrações vai expor para o público os contos do pai “de forma dinâmica e interativa, com o objetivo de perpetuar a história, promover a cultura e fortalecer a memória nacional”. Patrocinada pelo Grupo LM, a mostra é uma continuidade das homenagens ao trabalho de Dorival Caymmi. Em 2014, o grupo distribuiu uma reprodução de um caderno lançado 20 anosa antes com os desenhos que servem de base para a exposição, como “Dora”, “Rosa Morena” e “João Valentão”. Com visitação gratuita, a mostra permanece no local até 30 de agosto, de terça a domingo, das 11h às 17h.

SERVIÇO

Exposição “Aos Olhos de Caymmi”

Onde: Instituto Antonio Carlos Jobim, R. Jardim Botânico, 1008 – Jardim Botânico, Rio de Janeiro – RJ, CEP: 22460-000

Quando: abertura no sábado, 27 de junho, às 19h. Visitação de 28 de junho a 30 de agosto, de terça a domingo, das 11h às 17h.

Quanto: visitação gratuita

Pesquisas relacionadas