Música & Badalo

Madonna estreia Madame X no dia 14 de junho. Álbum traz parcerias com Maluma, Anitta, Quavo e Swae Lee

O décimo quarto álbum da carreira da Rainha do Pop têm canções em espanhol e português. A turnê começa no dia 12 de setembro, mas antes a diva confirma sua presença na Parada do Orgulho LGBTQ+ de Nova York

Publicado em 03/06/2019 | Por Heloisa Tolipan

Madonna lança o álbum Madame X no dia 14 de junho e a turnê dia 12 de setembro (Foto: Reprodução Instagram)

*Por Rafael Moura

Madonna lançará seu décimo quarto álbum, Madame X, no dia 14 de junho (14 com 14? Seria essa uma coincidência? Se tratando da diva… nunca é. O número 14, na Cabala, é o dia da compreensão). Por isso o site HT reuniu as informações sobre o novo disco da Rainha do Pop. O álbum é o seu disco mais politizado desde o ‘American Life‘, lançado em 2003, no auge da gestão do presidente norte-americano George W. Bush. “De muitas maneiras, esse álbum é a continuação do ‘American Life‘”, afirmou Madonna, em entrevista à revista Têtu. “Decidi batizar meu álbum de Madame X inspirada na história de uma agente secreta viajando ao redor do mundo, trocando de identidade, lutando por liberdade, trazendo luz a lugares sombrios”, explicou Madonna. O DJ Diplo é um dos produtores do novo álbum.

Madonna se sente amedrontada com o atual cenário político mundial e espera inspirar as pessoas a agirem. “Eu estou assustada com os rumos que estamos tomando nesse mundo. Mas também sou otimista. Eu acho que o futuro é cheio de possibilidades. E eu espero ter sido capaz de canalizar minha raiva e minha ira para criar músicas cheias de alegrias”, completou a cantora. Quando Madonna anunciou as primeiras datas da turnê “Madame X” na Europa, em maio, apenas duas cidades estavam contempladas: Londres, com seis shows e Paris, com cinco apresentações. Em poucos dias, o número de datas subiu para 25: seis em Lisboa, 12 em Londres e sete em Paris. A turnê por lá só chega em janeiro de 2020, mas os ingressos começaram a ser vendidos.

A estreia de “Madame X” será no dia 12 de setembro, em Nova York (com 17 shows, desses cinco extras). Nos Estados Unidos, a turnê passará ainda Chicago (seis, desses dois extras), Miami (cinco), Filadélfia (três), Boston (três), Las Vegas (três) e Los Angeles (11, sendo dois extras). Os madonniacs terão que desembolsar entre R$ 200 a salgados R$ 8.000. A justificativa para os preços é a demanda: os shows serão feitos em teatros, e não em estádios, que comportam mais pessoas e barateia o ingresso. Como dentro dessas casas de shows o espaço é limitado, o preço vai às alturas. A produção de Madonna divulgou ainda o ingresso Medellín VIP – o mais caro da turnê – incluindo o ticket para a primeira fila no teatro, um passeio pelos bastidores, foto no palco (sem Madonna, claro), além de prioridade na compra de produtos oficiais da cantora no local e uma recepção antes do show. Também dá direito a um cartão laminado VIP, uma foto no tapete vermelho da entrada do local e uma entrada exclusiva.

Ficamos nos pergunta quando a turnê chegará nos países da América Latina, afinal o álbum tem várias faixas que provam que o reggaeton veio para ficar e a cantora se uniu a artistas que fazem grande sucesso com o estilo musical como Maluma, Anitta, Quavo e Swae Lee. Ah, lembrando que na véspera do grande start da tour completam 18 anos d’os ataques terroristas, da al-Qaeda, as Torres Gêmeas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O disco, com 14 faixas, chega às prateleiras de todo o mundo nos formatos vinil duplo, CD e digital e tem convidados especiais: o colombiano Maluma em duas canções ‘Medellín‘ e ‘Bitch I’m Loca‘ com a brasileira Anitta divide a faixa ‘Faz gostoso’; ‘Future‘ com participação de Quavo, rapper americano especialista em trap; e ‘Crave‘ com participação do rapper americano Swae Lee, com clipe já lançado em maio. O vídeo mostra cenas panorâmicas da cidade de Nova York, intercaladas a um monólogo em que Madonna discorre sobre um amor impossível. No mais puro exemplo de liberdade, a cantora aparece em um terraço de um arranha-céu da cidade e, após escrever uma mensagem que tem como objetivo romper com a distância, a envia por uma pomba. Ao lado de Swae Lee, a ‘Madame X’, dança em um galpão enquanto espera sua hora. A direção é do português Nino Xico.

Para a publicação francesa, a cantora falou sobre suas parcerias. “Isso acontece de uma maneira muito orgânica. Todas as minhas colaborações são decididas quando encontro as pessoas. Com o Maluma compartilhamos uma taça de champanhe, nos damos bem e conversamos sobre os projetos que poderíamos fazer juntos. Para dizer a verdade, não há nada realmente profundo nisso. É muito instintivo. Eu sou fã de cada pessoa com quem colaborei”, ressalta. Maluma é um dos maiores nomes da música latina atual e um dos que encabeçam a nova explosão latina da indústria fonográfica internacional, mas nem ele mesmo consegue acreditar que realizou algumas colaborações com Madonna. Em entrevista à rádio Beats 1, da Apple Music, Maluma afirmou: “Eu ainda não consigo acreditar. Eu fui para Londres, depois Los Angeles para terminar a música e ainda gravei o clipe, pós-performance no Billboard Awards. Não consigo acreditar, ainda, que isso aconteceu comigo”. O cantor que lançou seu novo álbum ’11:11′, estreou direto no topo da parada latina, nos Estados Unidos.

O cantor latino Maluma e a Rainha do Pop Madonna são parceiros em três hits. Dois no álbum Madame X e um no 11:11

O astro, que explodiu no Brasil após gravar ‘Sim ou Não‘, com Anitta, ocupa pela terceira vez em 1º lugar na parada Top Latin Albums, da Billboard e ainda a terceira melhor marca de vendas para um álbum latino em 2019. Maluma é um dos nomes mais fortes do mercado latino, não há como negar, ainda mais depois de lançar um álbum com participações de Ricky Martin, Ozuna, Nicky Jam e ninguém menos que Madonna, dividindo a faixa ‘Soltera‘.

Maluma devolveu o elogio para à Rainha do Pop. “Eu venho dessa pequena cidade na Colômbia, Medellín, e eu sempre sonhei com isso. Eu sempre quis que isso acontecesse, mas eu não sabia que realmente, depois de oito anos de trabalho, esse grandioso momento aconteceria em minha vida. Eu me sinto grato a Madonna por ter me dado a chance de fazer parte de seu projeto”. O cantor colombiano lembrou que ainda tem uma outra colaboração com Madonna, a faixa ‘Soltera‘, que faz parte de seu próximo álbum, o ’11:11’. “É uma vibe diferente de ‘Medellín‘, afirmou Maluma sobre a música ‘Soltera‘. “Eu também tenho colaborações com artistas latinos. Tipo os maiores artistas latinos atualmente na indústria. E eu acho que é um álbum bem colorido e poderoso, eu diria. É cheio de sucessos”, enfatiza Maluma.

No álbum, Madonna traz músicas em português e em espanhol. E essa é uma maneira de desafiar a hegemonia do inglês na cultura pop. “Eu gosto da ideia da música mundial. Eu odeio compartimentos. Nós não queremos fazer isso com as pessoas, por que deveríamos fazer isso com a música? Eu gosto de ligar o rádio em Nova York e ouvir as pessoas cantando em espanhol, pegar meu carro em Lisboa e ouvir reggaeton ou dancehall. É ótimo. Usar outras linguagens foi um desafio, mas você deve ter notado que eu gosto de desafios”, explica.

A grande musa do Universo LGBTQI+ deu mais um enorme passo na luta pelas as minorias. Depois de semanas de especulações, Madonna finalmente confirmou sua participação na Parada de Nova York, que já tinha line up, a brasileira Pabllo Vittar. Ela se apresentará no evento Pride Island, no dia 30 de junho, uma das muitas festas que acontecem durante o fim de semana na cidade americana. Os ingressos já se esgotaram. Neste ano, o evento será especial, já que também celebrará os 50 anos da manifestação de Stonewall – uma série de manifestações violentas e espontâneas de membros da comunidade LGBT contra uma invasão da polícia de Nova York que aconteceu nas primeiras horas da manhã de 28 de junho de 1969, no bar Stonewall Inn, localizado no bairro de Greenwich Village, em Manhattan, em Nova York, nos Estados Unidos. Esses motins são amplamente considerados como o evento mais importante que levou ao movimento moderno de libertação gay e à luta pelos direitos LGBT no país. “Eu não vejo o mundo através de categorias e rótulos. Mas a sociedade gosta de categorizar e separar as pessoas: os pobres, os gays, os africanos… Eu sou uma cidadã do mundo e minha alma está conectada a todas as almas humanas. Então eu sou responsável por todos. Se uma pessoa sofre, eu sofro. Para mim, cantar é um ato e uma declaração de solidariedade”, pontua.

O último disco de Madonna, Rebel Heart foi lançado em 2015. Desde então, a cantora se mudou para Portugal, adotou as gêmeas Stelle Ciccone e Estere Ciccone, ambas com seis anos, e participou do clipe hino ‘God is a woman‘, de Ariana Grande.

Madonna e seus seis filhos: Lourdes Maria, Rocco, David , Mercy, Stelle e Estere (Foto: divulgação)

Madonna também divulgou a tracklist de “Madame X”.

Confira:
Medellín (com participação de Maluma)
Dark Ballet
God Control
Future (com participação de Quavo)
Batuka
Killers Who Are Partying
Crave (com participação de Swae Lee)
Crazy
Come Alive
Extreme Occident
Faz Gostoso (com participação de Anitta)
Bitch I’m Loca (com participação de Maluma)
I Don’t Search I Find
Looking For Mercy

Pesquisas relacionadas