Música & Badalo

“Eu pude expressar meus sentimentos, mostrar minha identidade e emoções”, revela Jesuton sobre o disco ‘Home’

A cantora britânica, que foi descoberta nas ruas do Rio de Janeiro e adotou o Brasil como lar, transforma as dores e amores no primeiro álbum de músicas autorais

Publicado em 26/06/2019 | Por Heloisa Tolipan

A cantora britânica Jesuton lança seu primeiro álbum de músicas autorais, Home

*Por Rafael Moura

Filha de mãe jamaicana e pai nigeriano, Jesuton sempre teve dois interesses marcantes: a curiosidade pela cultura latina e a paixão pela música. Movida pelos dois aprofundou-se nos estudos sobre a América Latina durante sua formação em Ciências Humanas, na Oxford University, na Inglaterra.

Sua relação com a música mudou quando foi trabalhar em Cuzco, no Peru, em 2007. Lá, pela primeira vez, começou a se apresentar para os amigos e pôde perceber que sua forma de cantar era especial, e emocionava quem a ouvia. Depois de viajar por vários países veio ao Brasil por alguns meses, em 2012, onde acabou se estabelecendo. Já no Rio de Janeiro a cantora se inspirou em um artista de rua que fazia seus shows nas calçadas de Ipanema e que a tocou de uma forma especial. A partir daí Jesuton decidiu comprar um amplificador e seguir seu caminho cantando pelas ruas da cidade.

O sucesso de seus vídeos no YouTube chamou a atenção da mídia e do apresentador Luciano Huck, que se encantou por sua voz convidando a ir ao palco de seu programa, acompanhada pela primeira vez por uma banda. A carreira da artista corrobora muito com o conceito de fluidez determinado por Bauman. A cantora que mesmo longe criou seu lar, no Brasil, uma atmosfera de amor e carinho que começou a transbordar dando origem ao seu primeiro álbum de músicas inéditas: ‘Home’.  “O disco é feito de músicas autorais pela primeira vez, então eu vejo este trabalho como se fosse o meu primeiro álbum. O conceito central é uma conversa constante sobre estar e não estar, uma busca, uma viagem de transformação onde você sai de um lugar e vira como que uma versão alterada de si mesmo”, revela Jesuton.

Na noite de hoje, durante o Festival Arte por Toda Parte, no Teatro PetroRio das Artes, os cariocas poderão entrar nesse lar cheio de composições inéditas, que revela a alma viajante da cantora britânica. Em parceria com Mario Caldato Jr., produtor dos Beastie Boys, Jack Johnson e Seu Jorge, o álbum foi apresentado em várias cidades do Brasil em 2018, incluindo o maior festival de música, o Lollapalooza BR e também em turnê por Londres e Portugal. “Esse disco tem um sabor de estreia. Eu admiro e agradeço muito o Brasil por ter me dado a possibilidade de explorar esse lado de intérprete. Na Inglaterra não temos a cultura de intérpretes, aqui nós temos esse grande respeito e muito espaço”.

Jesuton fará um show especial no Festival Arte por Toda Parte, no Teatro PetroRio das Artes (Foto: Patricia Ribeiro)

O título “Home’, que também é o nome de umas das principais faixas do disco, remete à busca da artista por seu lugar no mundo. A música, que é uma composição de Jesuton e Bernardo Martins, com um clipe dirigido e produzido por Alberto Marchiori, gravado em diferentes comunas da província de Vicenza, na Itália. Na letra da música, a artista fala da busca por origens e sobre a saudade de lugares já visitados. “Home vem dessa viagem. O disco está tentando mostrar as verdades múltiplas que temos dentro de nós. Colocar o nosso lar que pode ser um lugar fixo ou vários lugares, que tem um conceito muito fluido, assim como, as nossas identidades e experiências. É uma meditação sobre as mudanças que passamos ao longo da vida. Dando espaço para novas ideias, nossos lugares de confortos e até de desconfortos”, explica.

Com um repertório formado por composições em inglês, o álbum traz 12 faixas e conta com a participação de cantores brasileiros, como Seu Jorge na música ‘Don’t Think So’ e Dani Black no single ‘Fragile’. Já o italiano Salvatore Cafiero fica responsável pela guitarra na faixa ‘Vultures’. “Em meus primeiros trabalhos fiz um processo de interpretações e releituras das experiências que tinha ao ouvir ao longo desses anos no Brasil. Foi um mergulho rumo ao autoconhecimento. Foi um momento para expressar meus sentimentos, mostrar minha identidade, minhas emoções. É uma consequência das experiências que eu vivi aqui no Brasil e podendo expressar um lado meu ainda pouco conhecido, o de compositora”.

Jesuton (Foto: Mauricio Noro/ Instagram)

Jesuton é um dos grandes nomes da atualidade, no Brasil, com relação ao jazz. “O ritmo por definição tem um espírito de liberdade. É uma renovação, um movimento. É algo muito natural. Eu estou muito feliz que aqui no Brasil e no Rio de Janeiro temos uma valorização grande desse gênero tão lindo. Cada vez mais artistas têm surgido embuídos por essa paixão”. Depois dos cariocas, será a vez dos paulistanos conferirem de perto o show, no dia 28, no Café Society.

Pesquisas relacionadas