Moda & Beleza

SICC 2018 EXCLUSIVO: Giovanna Ewbank fala sobre o andamento dos processos antirracistas, a sua força na publicidade e o retorno para a televisão

“Os casos estão progredindo e a internet teve, inclusive, um papel muito importante nisso. Não posso falar muito sobre isto por ser algo sigiloso, mas uma das pessoas já está pagando por aquilo que fez. Nós acreditamos que devemos combater o preconceito desta maneira. É um trabalho de formiguinha, pois leva anos para ter uma igualdade social, mas é uma missão de todos. Como seres humanos, precisamos fazer algo”, criticou

Publicado em 22/05/2018 | Por Ana Clara Xavier

Giovanna Ewbank foi um dos nomes conhecidos que marcou presença no primeiro dia do SICC – Salão Internacional do Couro e do Calçado, promovido pela Merkator Feiras e Eventos, de Frederico Pletsch, em Gramado. A musa é o rostinho da coleção de primavera-verão 2019 da Dumond, uma das empresas de sapatos que está presente na feira. Além de passear pelo stand, ela ainda participou de encontro com jornalistas no Papo Legal, onde falou sobre moda, estilo e vida pessoal. A grife é apenas mais uma parceria sólida que a artista conquistou dentro do mercado da publicidade, espaço em que exerce um protagonismo enorme. A força de sua imagem é tão grande que possui inúmeros contratos com marcas renomadas de diferentes segmentos como Johnson & Johnson e a Neutrogena, com quem tem parceria há seis anos; Swarovski, porta-voz há quatro anos; New Beach, há duas temporadas,  Technos; Malwee; Olympikus; e Renault. “Escolho as empresas a partir do meu gosto pessoal. Não me associo a algo que não acredito por dinheiro nenhum no mundo, porque a credibilidade é muito importante. Quando faço uma parceria, sempre quero estar presente em todas as fases do projeto”, afirmou a apresentadora.

Leia: SICC dá o start no comércio da coleção primavera-verão de calçados com crescimento de 10% no número de expositores e mais de 18.000 visitantes em Gramado

Parte das empresas com as quais trabalha são estrangeiras, mas isso não significa que a musa não valorize o mercado interno. Na verdade, ela comentou que não tem o costume de comprar muitas peças fora do Brasil e sempre busca optar pelo produto que fabricamos aqui. “Gosto muito de usar as marcas nacionais e mesmo quando estou usando algo internacional, sempre haverá algo do meu look daqui. Gosto de valorizar os nossos produtos, porque são maravilhosos, muito bem feitos e com cortes sensacionais. Infelizmente, sempre valorizamos e damos mais prestígio ao que vem de fora, o que acho uma grande besteira. Uma das marcas mais famosas do mundo é a Louboutin, mas alguém consegue usar por uma noite inteira? A única vez que usei em um casamento acabei ficando descalça. O conforto é um dos princípios da moda”,  afirmou.

Giovanna Ewbank participou do Papo Legal, ontem, na SICC aonde falou sobre moda e beleza (Foto: Henrique Fonseca)

Assim como podemos ver o rosto de Giovanna em diversos banners, o mesmo acontece o seu marido, Bruno Gagliasso. A única pessoa da família que ainda não apareceu em uma publicidade é a pequena Titi, de 4 anos, filha do casal, mas não é por falta de propostas. “O que mais eu e Bruno recebemos são convites de propaganda com a Titi, mas a gente não faz nada com ela que seja de cunho comercial. Ela vê fotos nossas nas revistas e pergunta ‘cadê eu?’, ou seja, já gosta bastante do meio. Quando me acompanha em campanhas, sempre quer participar das sessões de foto. Só iremos fazer quando for capaz de entender o que é. É só uma criança e mesmo assim já é muito exposta, o que nós não temos como controlar. Quanto mais conseguir evitar, melhor”, argumentou.

Cada vez mais, Giovanna Ewbank é destaque nas redes sociais por falar sobre empoderamento e representatividade. Com a chegada da maternidade, a apresentadora e o marido passaram a prestar mais atenção nas diversas faces do preconceito racial que existe na realidade brasileira. “Eu e Bruno nem sempre fomos assim. Vivíamos em uma bolha, como muita gente que conhecemos. Estamos conseguindo tirar muitos amigos desta fantasia também por mostrar esta nova visão de mundo, que é o real”, afirmou. O fato de ser mãe aguçou a percepção da mesma para estes casos, já que ela se preocupa com o futuro que a Titi tem pela frente.

A artista irá voltar para a televisão para participar do programa Superbonita (Foto: Henrique Fonseca)

Se calar não é mais uma opção. Na verdade, a musa não poupa o verbo no momento de debater sobre determinada injustiça. Inclusive, ela e Bruno Gagliasso possuem alguns processos contra manifestações racistas contra a imagem da filha do casal e, de acordo com ela, a resposta jurídica está chegando. “Os casos estão progredindo e a internet teve, inclusive, um papel muito importante nisso. Não posso falar muito sobre isto por ser algo sigiloso, mas uma das pessoas já está pagando por aquilo que fez. Nós acreditamos que devemos combater o preconceito desta maneira, no país que vivemos temos que ser antirracistas. É um trabalho de formiguinha, pois leva anos para ter uma igualdade social, mas é uma missão de todos. Como seres humanos, precisamos fazer algo”, criticou.

A musa sempre expõe o seu pensamento nas redes sociais sobre determinado acontecimento que acredita ser racista ou fruto deste preconceito. A polêmica mais recente surgiu quando ela estava no aeroporto vindo para Gramado para participar da SICC. Ao passar por uma loja de artigos infantis, a apresentadora percebeu que havia cerca de dez bonecas em uma vitrine e nenhuma delas era negra. Ela aproveitou para criticar nas redes sociais, através da ferramenta Stories do Instagram, a falta destes protagonismo. “Isto é apenas um grãozinho dentro de toda a questão racial que vivemos no Brasil, que é um país com quase 60% da população negra. O sucesso de programas como Mister Brau prova o quanto estamos precisando desta representatividade. A Titi tem milhares de bonecas negras, no entanto estas são mandadas para a minha casa porque a minha filha é conhecida. Mas e as outras crianças que vão a uma loja e não conseguem se identificar?”, lamentou. A publicação teve uma grande repercussão o que ela considerou positivo para aguçar a percepção das pessoas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Giovanna está realmente com tudo. Além de passear pelo universo da moda, do YouTube e da publicidade, a musa irá voltar para a televisão ainda este ano. Depois de um hiato longo devido à maternidade, a artista irá entrar para o time de mulheres do Superbonita, do GNT. “Não achei que fosse voltar tão cedo para televisão, até porque não tinha vontade, afinal, queria ter a autonomia de falar o que quisesse em qualquer hora”, comentou. Um dos motivos que a levou a aceitar o convite para participar do programa foi a presença da cantora Karol Conká. “Fiquei muito feliz quando ela entrou há dois anos, porque ver uma mulher negra, linda e descontraída falando sobre beleza é uma quebra de paradigma muito importante para a nossa sociedade”, comemorou.

Leia também: SICC impulsiona o mercado calçadista e ainda dita tendências da coleção primavera-verão 2019. Vem conferir as apostas de algumas das marcas!

Se tem uma coisa que a apresentadora entende é o universo da moda e não é apenas pelas propagandas, na verdade, é um talento que vem de berço. A mãe da artista, Deborah Ewbank, é produtora no ramo e ainda assina o styling da filha. Recentemente, as duas resolveram aproveitar este conhecimento para desenvolver um curso on-line no qual ensinarão os alunos a se vestir melhor. “As pessoas sempre perguntam para a gente o que usar de acordo com o seu corpo, evento e assim por diante. São dúvidas diárias que recebemos seja nas redes sociais ou na nossa rotina. A partir disso, decidimos fazer este projeto. As aulas são interessantes para quem quer começar a trabalhar com moda ou construir um estilo próprio. É muito específico, amplo e acessível”, explicou. A empreitada estará disponível no site Estilo Ewbank em junho ou julho. O material já foi gravado e está em fase de aprovação. O valor ainda será decido, mas ficará na faixa entre R$300 e R$600.

 

Pesquisas relacionadas