Moda & Beleza

Minas Trend – Durante palestra de Walter Rodrigues, o start de Inspirações 2020_II norteadas pela palavra-chave Zen

Coordenador do Núcleo de Design da Assintecal (Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos) apresentou para uma plateia lotada os conceitos, inspirações e novos direcionamentos para a indústria da moda, baseados na metodologia da pirâmide de produtos, enfatizando a inovação e possibilitando, através de um planejamento estratégico, que um produto inovador possa alcançar a massificação caracterizada por volume e competitividade. A Palestra de Inspirações faz parte do projeto Conexão Inspiramais

Publicado em 14/04/2019 | Por Heloisa Tolipan

Durante a 24ª edição do Minas Trend, semana de moda e maior Salão de Negócios da América Latina – evento que segue firme e forte no propósito do agora e para sempre e que apresentou a mais bela síntese da união de todas as artes em uma total reflexão sobre “solarizar”, “oxigenar”, “diversificar” a moda -, um público compenetradíssimo – composto por players dos mais variados setores da moda, fashionistas e estudantes – acompanhou a Palestra de Inspirações 2020_II, parte integrante do projeto Conexão Inspiramais, realizada pelo coordenador do Núcleo de Design da Assintecal (Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos), Walter Rodrigues. Ele abordou as referências apoiadas na temática Zen e as inspirações que vêm da natureza, mais uma vez, reconectando o ser humano com a realidade, com os impactos e com a conscientização.

O que é ser humano? Como o homem tem se relacionado com a natureza? Nós, como indivíduos, e também como parte integrante de um mundo. Ou seja: o individual e o coletivo foram fontes de estudos. De acordo com Walter Rodrigues, “a regra principal dessa nova ordem é estar presente. É participar e interagir em 360 graus em todas as interfaces de um produto, tais como o planejamento, criação e execução de uma ideia”.

Durante a Palestra de Inspirações 2020_II, Walter Rodrigues abordou o vínculo e o tempo dentro da temática Zen para a indústria da moda (Foto: Maykel Douglas)

Durante a Palestra de Inspirações 2020_II, Walter Rodrigues abordou o vínculo e o tempo dentro da temática Zen para a indústria da moda (Foto: Maykel Douglas)

Desde sempre, o site HT acompanha as Palestras de Inspirações que são realizadas Brasil afora pelos consultores da Assintecal divulgando as conclusões das pesquisas feitas sobre inspirações e movimentos do universo da moda. Nesses encontros, os integrantes do Núcleo de Design explicam os conceitos da palavra-chave e como podem ser reproduzidos na metodologia da pirâmide de produtos, enfatizando a inovação e possibilitando, através de um planejamento estratégico, que um produto inovador possa alcançar a massificação caracterizada por volume e competitividade. Ratifico que a presença bem-sucedida da Assintecal no Minas Trend com a Palestra de Inspirações tem como finalidade colaborar com designers, empresários, profissionais da moda e players das indústrias de calçados, bolsas, acessórios, vestuário e móveis de Norte a Sul do país e do exterior promovendo inspiração, pesquisa e pensando o futuro no desenvolvimento de materiais inovadores que tenham a capacidade de transmitir valores essenciais e verdadeiros ao consumidor, fundamentais para que as empresas obtenham sucesso.

Promovida pela Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e Programa de Internacionalização da Indústria Têxtil e de Moda Brasileira (Texbrasil), Brazilian LeatherBy Brasil Components, Machinery and Chemicals e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a próxima edição do Inspiramais 2020_II – Único Salão de Design e Inovação de Materiais da América Latina, será realizada Centro de Eventos Pró Magno, em São Paulo, nos dias 4 e 5 de junho.

Plateia atenta à palestra de Walter Rodrigues com os conceitos, inspirações e informações antecipadas para toda a indústria da moda (Foto: Sebastião Jacinto Júnior)

Plateia atenta à palestra de Walter Rodrigues com os conceitos, inspirações e informações antecipadas para toda a indústria da moda (Foto: Sebastião Jacinto Júnior)

Ao falar sobre o Zen, Walter Rodrigues explicou que tudo transita e é mutável, a substituição é feita com agilidade em alta potência e o agora é um reflexo do passado e o momento de olhar o futuro. Precisamos identificar para onde o mundo caminha e como podemos agir. A partir do pensar o tempo, o Zen reforça que o mais importante é o estar presente e consciente de cada passo, cada atitude, cada instante. É olhar o entorno, sem deixar de fazer uma reflexão interior e perceber que o “eu” é mais valioso quando equilibra o bem-estar com a realidade na qual se vive.

“Não se pode confundir o Zen com relaxamento. O Zen significa estar presente nesse momento do mundo no qual empresários, designers, integrantes de todas as indústrias estão conectados full time. Tudo está acontecendo ao mesmo tempo. Então, o Zen é estar presente e olhando para todos os lados. O empresário, por exemplo, olha onde está o cliente, atenta para o que produzirá. Faz uma introspecção sobre a realidade e deve estar presente em todas as etapas de seu objetivo de trabalho. Por mais que no Play, palavra que norteou as inspirações 2020_I, tenhamos um sentido de lúdico, divertido, isso também não se perde no Zen. Continua existindo, mas o estar presente é: ‘eu não posso ficar só olhando para o lúdico, eu preciso também olhar os outros lados. Como é que vou produzir, entregar… para quem estou vendendo. Estar presente e conectado em todas as ações'”, comentou Walter Rodrigues.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Partindo destes pontos, surgem as referências com o externo, o que os outros estão fazendo, o que está acontecendo aqui e agora e no que isso tudo irá resultar daqui um ano. Parece pouco tempo, mas a sociedade está cada vez mais acelerada e as mudanças andam no mesmo ritmo. Um exemplo nos foi dado: Quando a Apple lançou o iPhone X, em novembro do ano passado, criou uma metáfora totêmica para a natureza do nosso tempo. Ao remover o botão inicial e a moldura que cercava a tela, a superfície do telefone tornou-se sem limites. A mensagem era clara: não há mais limites entre sua tela e o mundo ao seu redor, o “sem limite” chama a atenção para as possibilidades atuais. Sem limites para ser e para criar. E isso gera impactos.

“O que nós estamos sentindo de certa forma é que existem outras regras nesse mundo. O consumidor está mais consciente, escolhendo melhor, e isso impacta na indústria. Precisamos pensar que a indústria tem um valor para quem ela conduz. A geração de empregos na indústria da moda é gigantesca. A gente entende que existe uma contemplação, isso também vem o Zen, e há uma percepção fortíssima. Dentro das matérias que estamos propondo há uma série sobre o essencial. Vou comprar porque é essencial. Vou comprar porque é bom para mim. Então, a ideia dessa contemplação em questão da matéria acaba fazendo com que as empresas repensem como as pessoas vão abordar as informações. Não vou olhar mais da mesma forma como estava olhando há seis meses. Terei outra observação. Vou estar conectado de outra maneira”, analisou Walter Rodrigues a partir das pesquisas elaboradas pelo Núcleo de Design da Assintecal.

Dentro da temática Zen, o designer e coordenador ressaltou que observaremos o vínculo, que estabelece um relacionamento lógico ou de dependência, e o tempo, a duração relativa das coisas, que cria no ser humano a ideia de presente, passado e futuro, um período contínuo no qual os eventos se sucedem. “No vínculo, a gente entende a ligação com absolutamente tudo na vida. Por exemplo, na moda, vou usar tal marca porque tenho um vínculo; vou optar por estava matéria, porque tenho um vínculo; usar determinada cor… e assim por diante. O vínculo, na realidade, representa marcas do tempo. E, na questão temporal, o corroído vem com o tempo. Vamos ver muito tecido com técnicas de devoré, muitos acabamentos que contemplam um aspecto corroído… mesmo nos couros, o exercício já foi possível. O tempo fala também de como estamos cuidando da terra. Moda vivenciando terra. E o vínculo tem uma percepção maior com o ser humano. Posso citar como exemplo um documentário sobre o japonês Morito Ebine, dono de um ateliê de móveis contemporâneos. Ele fala: ‘se eu vou trabalhar com uma madeira da árvore que levou 100 anos para crescer, desenharei um móvel que dure mais 100 anos'”, contou Walter Rodrigues. O ateliê de Morito produz móveis a partir da técnica milenar de encaixes, dispensando o uso de pregos ou parafusos. “Com a premissa de respeitar acima de tudo a sustentabilidade na produção do mobiliário através do uso adequado da matéria prima que a natureza nos fornece, a acuidade nos projetos e confecção dos móveis em nossa marcenaria se baseia na durabilidade das peças, por meio do uso de técnicas tradicionais aliadas a novas tecnologias, conferindo a cada peça produzida qualidade estética e estrutural, e utilizando o tempo e manuseio das peças como fatores de contínuo embelezamento das mesmas”. Este é o texto que permeia o trabalho de Morito.

Os consultores do Núcleo de Design da Assintecal também mergulharam no trabalho da monja e cozinheira do mosteiro Baekyangsa na Coreia do Sul, Jeong Kwan. Na terceira temporada do programa Chef’s Table, da Netflix, a relação da monja com a arte culinária foi abordada e chamou a atenção de um público enorme. Para o tempo, foram estudados os trabalhos de dois fotógrafos. O Hans Strand e a possibilidade de ver os efeitos de corrosão e como podemos transportar para estampas que vão se formando. “Uma série de fotos realmente impactante. Porque a moda tem um papel a mais, e conecta as pessoas. Olha o quanto de gente bacana que a gente tem nessa sala para falar de moda. Essas cores que vão se formando. A gente tem a capacidade de transmitir por exemplo a necessidade de repensar o planeta”, frisou Walter. E o do ambientalista francês Yann Arthus-Bertrand. Ele publicou mais de 60 livros com suas fotografias feitas em helicópteros e balões e assinou documentários como “Home“, visto por mais de 600 milhões de pessoas, e ”Humano – uma viagem pela vida”. “São imagens impressionantes sobre o que o homem está fazendo com a Terra. Nos serve como um grande alerta. Trazendo para o universo da moda, estamos apertando um botão para fazer lá isso. A moda tem o poder de se comunicar com as pessoas. De chocar as pessoas. Neste momento estamos apertando o botão para fazer um reset. Tudo que vem sido abordado sobre sustentabilidade, por exemplo, precisa ser em um megafone para toda a cadeia até o consumidor final. O selo de Origem hoje é vital. É um movimento via consumidor, pois as pessoas estão se posicionando”, frisou Walter.

Pensando mais além, após uma era de exageros, é momento de recolher o que sobrou e reaproveitar, se valendo da criatividade e aproveitando as novas tecnologias. Para Walter Rodrigues, esses impactos, resultam em excessos, o que já deve ser repensado. “Inspirados pela necessidade de repensar processos de fabricação e de descarte de materiais e produtos, chegamos à conclusão que o designer é responsável por todo o processo. Ele deve estar atento para não cometer erros: afinal, lixo já pode ser considerado um erro de design”. Podemos concluir que os próximos caminhos para a humanidade apresentam essa preocupação com resíduos, com o equilíbrio entre interior e exterior em uma reconexão do ser humano com a natureza e a consciência de quem sou e o que eu faço.

Portanto, na palestra, ficou claro que nós temos que repensar o nosso relacionamento com a natureza, com o planeta e tudo que está ao nosso redor. Qual o legado que vamos deixar para as próximas gerações sob o ponto de vista da sustentabilidade. A partir de uma palavra-chave, “Zen”, que permeia as inspirações, é vital mostrar nossa interação com o mundo. Vínculo e tempo… Qual é, a partir da questão do pertencimento, o nosso vínculo com esse mundo?”

Este slideshow necessita de JavaScript.

Todos os que acompanharam a Palestra de Inspirações 2020_II  conferiram ainda como o Play, palavra-chave do Inspiramais 2020_I já chegou às lojas e já está sendo processado pelos consumidores de moda. O que era inspiração já se traduz em coleções abrangendo toda a cadeia dos setores de moda, calçadista e moveleiro. Walter Rodrigues havia nos dito sobre os olhares, inspirações e referências que estamos observando nas ruas: “Já vemos muitos laranjas, turquesas e cru nos produtos. Muitas modelagens com o espírito da Reconfiguração, muitas estampas que são a confirmação do Referências Aleatórias. Há muitas (muitas mesmo) estampas e texturas se confirmando a partir das inspirações do tema Expressionismo com pinceladas, plissados e pontilhados”.

Leia mais – Walter Rodrigues: “Há diálogo entre liberdade de usar, criatividade e identidade. Tudo expressa novo jeito de ser”

A Palestra de Inspirações 2020_II é promovida pela Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecções (Abit), Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Conta com apoio da Abest, Abicav, Abicalçados, IBGM, Instituto By Brasil, IN-MOD, ABV-Tex, Ápice e Abimóvel. O projeto conta ainda com o apoio local do Sebrae de Minas Gerais, Sindicalçados, Sindibolsas e Federação das Indústrias do Estado de Minas (FIEMG). E o patrocínio das empresas Cipatex, Altero, Bertex, York, Advance Têxtil, Sappi Dinaco, Wolfstore, Caimi & Liason, Brisa, Intexco, Tecnoblu, Cofrag, Colorgraf, Endutex, Componarte, Branyl e Suntex.

Inspiramais 2020_II

Data: 04 e 05 de junho de 2019

Local: Centro de Eventos Pro Magno

Endereço: Av. Profa. Ida Kolb, 513 – Jardim das Laranjeiras, São Paulo – SP

Informações e inscrições: www.inspiramais.com.br

 

Promoção – Inspiramais é promovido pela Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Tem patrocínio da Cipatex, Altero, Bertex, York, Advance Têxtil, SappiDinaco, Wolfstore, Caimi&Liason, Brisa, Intexco, Tecnoblu, Cofrag, Colorgraf, Endutex, Componarte, Branyl, Suntex, Sultextil e Aunde Brasil e conta com o apoio da ABEST, ABIACAV, Abicalçados, IBGM, Instituto By Brasil (IBB), In-Mod, ABVTEX, Ápice, Abimóvel e Guia JeansWearbyStyle WF e Francal.

Pesquisas relacionadas

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,