Moda & Beleza

Fernanda Lima: mais na moda… impossível. Apresentadora ganha destaque internacional mais uma vez

O jornalista e dramaturgo Junior de Paula analisa mais uma performance de Fernanda ao anunciar os finalistas da Bola de Ouro

Publicado em 09/12/2013 | Por Heloisa Tolipan

* Por Junior de Paula

Para quem tinha dúvidas sobre Fernanda Lima ter feito um belíssimo trabalho no Sorteio dos Grupos da Copa do Mundo, na sexta-feira passada, na Bahia, pode começar a pensar duas vezes. O motivo? Coube a ela, também, a responsabilidade de anunciar os finalistas da Bola de Ouro, a maior premiação do futebol mundial, nos vídeos divulgados pela Fifa nesta segunda-feira. De casaco Chanel e camiseta branca, Fernanda fez bonito mais uma vez e ainda anunciou: vai ser a apresentadora da cerimônia de entrega das Bolas de Ouro, dia 13 de janeiro, em Zurique, na Suíça. Pelo visto, a moça virou musa da Fifa, com todo mérito!

fifa

 Ela, portanto, é quem vai dizer quem é o melhor jogador do mundo, que, neste ano, tem como finalistas: Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, Messi, do Barcelona e Ribéry, do Bayern de Munique. Neymar ficou de fora, mas pode levar para casa o prêmio Puskas, dado ao vencedor do gol mais bonito do ano. Ele concorre com  Ibrahimovic, do Paris Saint-Germain, e o sérvio Matic, do Benfica. E tem mais brasileiros na disputa anunciada por Fernanda Lima: Marta pode ser vencedora pela sexta vez se derrubar as concorrentes alemã Nadine Angerer, do Frankfurt, e a americana Abby Wambach, do Western New York Flash.


Relembre o que escrevemos aqui, na sexta-feira,  sobre Fernanda Lima:

A escolha de Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert para apresentar a cerimônia de sorteio da Copa do Mundo 2014, que rolou nesta sexta-feira, na Costa do Sauípe, na Bahia, começou em meio a polêmicas. O motivo do tititi é queCamila Pitanga e Lázaro Ramos, dois representantes da miscigenação tão cara ao nosso país, teriam sido preteridos pela Fifa para o cargo de apresentadores para dar lugar ao casal de ascendência loura. Pelo sim, pelo não, Camila se antecipou e garantiu que nunca nem foi convidada para tal posto, colocando panos quentes na saia justa imaginária. Alguns encararam como preconceito. Outros, mais sensatos, como uma simples escolha, já que Fernanda também já haviam participado da cerimônia de sorteio das eliminatórias, em 2011.

Linda em um Hervé Leger dourado, Louboutin altíssimos nos pés e um anel de tirar o fôlego nos dedos, assinado por Jack Vartanian, Fernanda virou o assunto mais comentado da transmissão. O site do tablóide inglês Mirror, por exemplo, afirmou que ela “roubou a cena no sorteio”. Na reportagem, os jornalistas chamam a atenção para que, durante a cerimônia, cerca de 10 pessoas citavam o nome dela a cada segundo no Twitter ao redor do mundo. Poderosa!

Se a polêmica em torno da falta de melanina dos apresentadores foi grande, a influência negra na nossa música e na nossa cultura foi presença maciça no sorteio. Desde o começo, misturando o samba de Alcione com o rap deEmicida, num bom dueto de Brasil Pandeiro, de Assis Valente, passando por Vanessa da Mata e Alexandre Pires, entregando o jogo burocraticamente com a ótima 1 x 0, de Pixinguinha, e a coreografia do grupo deDeborah Colker inspirada nos movimentos do futebol. Encerrando a apresentação, vieram Margareth Menezese Olodum fazendo o povo se movimentar nas cadeiras ao som de We Are Carnaval. Cinco músicos negros e Vanessa da Mata, que nunca se cansa de gritar em verso “Eu Sou Neguinha”, representaram muito bem a negritude do nosso povo, enquanto Fernanda e Rodrigo faziam bonito e mostravam ao mundo que também somos ascendência europeia. Estava tudo lá, inclusive os clichês, já que não devemos, de forma nenhuma, nos envergonhar deles.

E no meio disso tudo ainda rolou um papinho no palco com a presidenta Dilma Rousseff, acompanhada do presidente da Fifa, , a apresentação do mascote Fuleco, acompanhado de Marta e Bebeto, as participações dePelé e Ronaldo, e, claro, o sorteio para definir em que grupo ficaria cada uma das 32 seleções. Foi tudo meio morno, é verdade, sem grandes novidades ou fortes emoções, mas tudo bem ensaiado e protocolar. A não ser pela parte que Jerome Valcke tentou explicar as regras do sorteio para uma Fernanda Lima que balançava a cabeça fingindo entender o que ele dizia naquela mistura de inglês com francês do secretário-geral da Fifa.

No final das contas ganhou o Brasil, que não vai enfrentar nenhuma grande seleção nesta primeira fase, e Fernanda Lima, que virou assunto quente nas rodas de conversas pós-sorteio ao redor do mundo.

* Junior de Paula é jornalista, trabalhou com alguns dos maiores nomes do jornalismo de moda e cultura do Brasil, como Joyce Pascowitch e Erika Palomino, e foi editor da coluna de Heloisa Tolipan, no Jornal do Brasil. Apaixonado por viagens, é dono do site Viajante Aleatório, e, mais recentemente, vem se dedicando à dramaturgia teatral e à literatura.

 

Pesquisas relacionadas