Moda & Beleza

Exclusivo! Oskar Metsavaht anuncia a data e o conceito do novo Fashion Rio e diz: “Queremos mudar a percepção do que é moda na cultura”

Oskar é o Coordenador do Fórum Empresarial de Moda da Firjan, órgão responsável por reformular o evento de moda carioca, que está em hiato desde sua última edição, em abril do ano passado, quando apresentou a coleção de Verão 2015

Publicado em 20/04/2015 | Por João Ker

Um assunto que une estilistas, editoras de moda, fashionistas e agentes da indústria cultural é o rumo do Fashion Rio. Fora do Calendário Oficial da Moda Brasileira desde abril do ano passado, quando foi realizada a edição Verão 2015, o evento que tradicionalmente dá oportunidade aos estilistas cariocas de apresentarem suas coleções transformou-se em mistério desde que seu hiato teve início. Agora, HT conta com exclusividade que a nostalgia já está com os dias contados. O Fashion Rio volta, completamente reformulado, na primeira semana de setembro.

Quem nos conta a boa notícia é Oskar Metsavaht, o diretor criativo da Osklen que assumiu o posto de Coordenador do Fórum Empresarial de Moda da Firjan, a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro. Ao lado de nomes como Lenny Niemeyer, Andrea Marques, Alessa Migani, Sharon Azulay e Jacqueline de Biase, Oskar lidera o grupo responsável por discutir a identidade e o futuro da moda no Rio e, dentre as tarefas, está a reformulação do Fashion Rio: “Todos esses criadores estão em uma sinergia de pensamentos. O objetivo é chegarmos a um novo formato que consiga mostrar a moda de uma maneira diferente, integrando-a com a música, as artes e o cinema. Na verdade, esse é o jeito que eu sempre enxerguei a moda”, declara Oskar, admitindo que o novo projeto ainda está em “estágio embrionário”.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mesmo com o novo conceito por trás do evento – “não será apenas uma semana de moda!” -, Oskar garante que o público ainda terá o panorama completo da moda carioca: “A essência do Fashion Rio não acabou. Ela apenas será desmembrada para um novo conceito, com projetos de integração entre as diferentes área artísticas”, explica.

A proposta parece perfeita para o Rio de Janeiro, uma capital que transborda diversidade e autenticidade pelas ruas, convergindo propositalmente para o inevitável encontro entre as culturas de todas as classes sociais, seja onde for. Além de ter seu próprio estilo de vida atrelado à cultura, é facilmente perceptível como o produto do “carioca way of life” serve como uma representação do país no exterior, mesmo que outras regiões não se sintam lá muito satisfeitas com isso. Logo, juntar em uma semana todo o pacote de infinitas possibilidades que a cidade oferece, parece uma ótima oportunidade para que a capital fluminense tenha uma espécie de “vitrine artística” para o público local e para o mundo.

A inclusão da moda como parte da cultura beneficiada pela Lei Rouanet, um dos legados mais marcantes que Marta Suplicy poderia ter deixado para essa indústria durante o seu mandato como ministra da Cultura, é algo que só aconteceu recentemente e mostra como a falta de informação dos brasileiros acerca desse assunto pode ser sintomática. A dificuldade de compreensão da quantidade de empregos e de renda que essa cadeia produtiva gera também não parece ter sido absorvida ainda pela maior parte das pessoas que não atuam nela, e é exatamente nesse ponto que o novo Fashion Rio quer tocar. “Por mais que a moda faça parte da cultura, ela não era percebida assim. Queremos mudar essa percepção”, afirma Oskar.

Uma incógnita que permanece, pelo menos por enquanto, é como será a participação das marcas cariocas nesse novo Fashion Rio, uma vez que muitas delas, incluindo as grifes de Isabela Capeto, Patrícia Viera, Sacada, Salinas, AnimaleLenny Niemeyer já migraram para a capital paulista. Mas, Oskar diz que isso ficará a cargo de cada estilista escolher o que é melhor para a sua estratégia comercial, além de dizer que Paulo Borges, através da Luminosidade, estará envolvido no projeto do novo Fashion Rio.

Ao mesclar a moda com a música e com as artes, talvez o significado do Fashion Rio consiga alcançar mais e mais pessoas. Oskar ainda diz que o destaque hype hoje é assumido pela arte. Portanto, a tacada de mesclar os dois mundos, que já são tão similares e caminham de mãos dadas há tanto tempo, pode ser a melhor saída para criar algo além de uma semana de desfiles. De uma forma ou de outra, o Rio de Janeiro está mais do que pronto para receber o novo Fashion Rio – e HT mal pode esperar para ver o que está por vir.

 

Pesquisas relacionadas