Moda & Beleza

Diretor-executivo do SENAI CETIQT, Sérgio Motta investe em inovação tecnológica e posiciona instituição como líder do mercado

Desde que assumiu o posto de diretor há dois anos, Motta e sua equipe criaram um MBI voltado para a Indústria 4.0, implantaram um Programa de Mentoria, que melhora a inserção do aluno no mercado de trabalho, incentivaram a mudança da área de pesquisa do SENAI CETIQT para o Parque Tecnológico da UFRJ e, ainda, vão inaugurar o Fashion Lab

Publicado em 05/09/2018 | Por Ana Clara Xavier

O diretor-executivo do SENAI CETIQT, Sérgio Motta, é o homem por trás do alto investimento em inovação tecnológica que colocou a instituição como a líder do mercado em produtos e serviços para a indústria Química e Têxtil. “Encarei o cargo como um grande desafio da minha carreira”, comentou. O diretor trabalha no SENAI há quase 26 anos, é formado em Engenharia Química, tem um mestrado noInstituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em Engenharia de Produção, especialização pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), em Marketing Estratégico.

Desde que assumiu o posto de diretor há dois anos, Motta e sua equipe criaram um MBIvoltado para a Indústria 4.0, implantaram um Programa de Mentoria, que melhora a inserção do aluno no mercado de trabalho, incentivaram a mudança da área de pesquisa do SENAI CETIQT para o Parque Tecnológico da UFRJ e, ainda, vão inaugurar o Fashion Lab.

Sérgio Motta é o diretor executivo do SENAI CETIQT e o homem por trás da inovação tecnológica da instituição (Foto: Divulgação)

Sérgio Motta é o diretor executivo do SENAI CETIQT e o homem por trás da inovação tecnológica da instituição (Foto: Divulgação)

“Cada um que faz parte do SENAI CETIQT tem um papel muito importante dentro desta instituição, seja um cargo técnico, de coordenação ou de direção. Busco sempre desempenhar a minha função da melhor forma e acho que estou conseguindo. No entanto, dependo de cada um para ter sucesso”, afirmou.

Além de contar com uma equipe qualificada de profissionais, a instituição possui parceiros estratégicos que ajudam a transformar estes sonhos em realidade, como a Associação Brasileira de Indústria Têxtil (ABIT), a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), a Associação Brasileira de Não Tecidos e a Associação Brasileira de Fibras (Abint). “Cada passo dado pelo SENAI CETIQT é alinhado com presidentes de sindicatos e empresas, por meio de um conselho técnico, na busca de entender o mercado com o qual estamos lidando para fortalecer ainda mais a nossa estratégia”, completou. Um exemplo desta parceria é a reformulação curricular dos cursos oferecidos pela instituição.

Leia Mais: Formada pelo SENAI CETIQT e à frente da grife Wasabi, Daniela Sabbag lembra das experiências da época da faculdade e dá dica para a próxima geração de fashionistas: “O essencial é estudar e abrir os horizontes”

Fashion Lab reúne as três frentes do SENAI CETIQT

O SENAI CETIQT é muito mais do que uma unidade escola. Atualmente, possui três pilares de negócio: Tecnologia, com a parte de consultoria e ensaios laboratoriais; Inovação, com desenvolvimento de pesquisa; e, claro, a educação, que trabalha diretamente com os alunos de graduação, pós e cursos técnicos. Sendo assim, o Fashion Lab veio reunir a expertise dessas áreas em um só lugar. O espaço é destinado a experimentação de produto e serviços no segmento têxtil e do vestuário, baseado nos conceitos de laboratório aberto e de maker spaces. A ideia é disseminar a tecnologia inovadora e sustentável nos processos relacionados ao desenvolvimento de produto, modelagem, fabricação aditiva e experiência de consumo.

O projeto, que será inaugurado em novembro, funcionará como um ambiente de coworking no qual alunos, consultores e pesquisadores trabalharão em consonância para a resolução de problemas apresentados por empresas do segmento. “O que você puder pensar de mais moderno e de alta tecnologia voltado para o desenvolvimento da moda iremos transformar em algo tangível para os nossos estudantes neste local”, explicou Sérgio. Dessa forma, os profissionais e aprendizes terão à disposição novos materiais high tech, tecidos inteligentes e máquinas de costura via ultrassom.

Inovação tecnológica 

Em março de 2019, o Instituto de Inovação em Biossintéticos vai se mudar para o Parque Tecnológico da UFRJ, na Ilha do Fundão. O edifício é exatamente a consolidação desta visão mais inovadora. “O local potencializa toda a modernidade que estamos falando. O prédio está em simbiose com a nossa visão futurista”, comentou. O ISI é responsável pela área de pesquisa, desenvolvendo soluções sustentáveis por meio da química e da biotecnologia industrial com recursos renováveis e não-renováveis de forma a oferecer novos produtos. Com um conceito de alta integração com a indústria, a equipe é formada por especialistas reconhecidos nas áreas de biotecnologia, transformações químicas, engenharia de processos e fibras.

Relembre: A revolução da confecção 4.0 do SENAI CETIQT aterrissa no Minas Trend, maior semana da moda criativa do país 

O novo prédio do SENAI CETIQT foi construído no Parque Tecnológico da UFRJ e será inaugurado em março do ano que vem (Foto: Divulgação)

O novo prédio do SENAI CETIQT foi construído no Parque Tecnológico da UFRJ e será inaugurado em março do ano que vem (Foto: Divulgação)

Leia Mais: Em busca de um mercado mais inteligente e competitivo, SENAI CETIQT promove MBI em confecção 4.0 para propagar conceito do futuro no setor

A Indústria 4.0 já é uma realidade no Brasil 

No início do ano, o SENAI CETIQT inaugurou o primeiro MBI voltado para a Indústria 4.0 do país. O projeto reuniu CEOs brasileiros e representantes de grandes empresas para instruí-los no que há de mais moderno. Durante os estudos, os profissionais ainda terão a oportunidade de confeccionar uma planta aos moldes deste conceito inovador. “A 4.0 chegou para mudar o mercado mundial e esta alteração será rápida. A empresa que não estiver atenta a isto terá dificuldades, porque esta revolução é inevitável. Estamos falando também de um conceito que abrange a conexão entre as etapas de fabricação, automação, virtualização, preocupação com o meio ambiente e enxergar o consumidor como parte de produção. Queremos que a indústria brasileira sobreviva a este processo”, explicou Sérgio Motta.

E também: Representantes de grandes empresas do mundo da moda discutem o futuro do setor têxtil e de confecção em MBI inovador promovido pelo SENAI CETIQT

Leia: União de forças: SENAI CETIQT faz parceria com a ABIT e apresenta no Inspiramais planta de confecção 4.0 que promete revolucionar o consumo e a produção de moda

Alunos do SENAI Cetiqt saem preparados para o mercado de trabalho

O SENAI CETIQT é, atualmente, o maior centro latino-americano de produção de conhecimento da cadeia produtiva têxtil e de confecção e da área Química. Com uma metodologia diferenciada de cursos práticos, a instituição busca aproximar o aluno da indústria. Além dos laboratórios disponibilizados para a pesquisa e novos projetos, como o Fashion Lab, os estudantes aprendem a solucionar problemas reais do mercado em sala de aula. “Queremos posicionar a Engenharia Química e a Moda como cursos de grife e, para isso, os nossos alunos precisam ter um diferencial, que é a nossa aproximação com a indústria nacional. Os estudantes do SENAI CETIQT já saem empregados”, comentou Sérgio.

Leia: SENAI Cetiqt desenvolve projeto inovador de mentoria para seus alunos que reúne profissionais de grandes empresas como Dafiti, Audaces, Calvin Klein e Grupo Soma. Vem saber! 

Dentro do programa de graduação, os alunos recebem um acompanhamento, pelo Programa de Mentoria, de grandes profissionais do mercado e CEOs de empresas como Dafiti, Audaces, Calvin Klein e Grupo Soma. “Cada mentor auxilia o estudante a formar uma trajetória da carreira. Estes líderes já trazem uma visão empresarial, possuem uma rede de relacionamento no mercado e os alunos passam a ser inseridos dentro deste grupo. Afinal, o sucesso profissional depende muito dos contatos que a pessoa possui ”, explicou.

Sergio Motta trabalha no SENAI há quase 26 anos e contabiliza dois anos no cargo de diretor do SENAI CETIQT (Foto: Divulgação)

Sérgio Motta trabalha no SENAI há quase 26 anos e contabiliza dois anos no cargo de diretor-executivo do SENAI CETIQT (Foto: Divulgação)

A crise brasileira também é sinônimo de possibilidade

Para Sérgio Motta, todo o momento é hora de se investir em educação e evolução tecnológica, afinal, são dois importantes pilares que fazem a economia girar. Em vez de ficar estagnado, o SENAI CETIQT teve um olhar visionário para este cenário e transformou a realidade em ação.

“Estamos investindo muito em tecnologia porque se compararmos o Brasil e a Coréia do Sul, há 60 anos, veremos que ambos os países estavam no mesmo patamar de desenvolvimento. Para crescer, a Coréia investiu em educação e industrialização. Por meio deste incentivo, a indústria coreana acabou se tornando competitiva, o que alavancou a economia, abriu o mercado e ainda surgiram profissionais capacitados. Dessa forma, o SENAI CETIQT tenta contribuir para esta evolução do nosso Estado. Iremos fazer tudo o que pudermos para incentivar os empresários brasileiros na busca pela inovação”, afirmou. O MBI, o Fashion Lab e o novo prédio são algumas das ações concretas que tivemos para aproximar a indústria do SENAI CETIQT.

Leia: SENAI CETIQT oferece cursos de curta duração do setor têxtil e químico criados a partir de necessidades da indústria: “Identificamos as demandas do mercado para que os alunos saiam empregados”, afirma Celso Soares Junior, coordenador da escola técnica

 

Pesquisas relacionadas