Moda & Beleza

Alexander Wang, Givenchy, Jeremy Scott e mais: o suprassumo fashion da Semana de Moda de Nova York!

Entre as apostas das grifes para as duas próximas estações estão o vestido chemise, a tendência streetwear, os tons metalizados e, sempre ela, a alfaiatara

Publicado em 15/09/2015 | Por Lucas Rezende

Desde o último dia 08 de setembro Nova York é a capital mundial da moda. Pelos points mais hypes da Big Apple as principais grifes estão apresentando suas apostas para o próximo verão durante a Semana de Moda de NY. Os desfiles vão até quinta-feira (17), mas HT já tratou de selecionar alguns highlights do apresentando até aqui. Tem Alexander Wang, Givenchy, Jeremy Scott e até a spice girl Victoria Beckham. Nosso correspondente nos Estados Unidos, Anderson Vescah, surge em breve com a crítica completa do desfile da Tommy Hilfiger, que ele conferiu in loco especialmente para o site. Enquanto Calvin Klein, Marc Jacobs e Michael Kors, por exemplo, não dão as caras, a gente fica com o suprassumo. Avante!

Jeremy Scott

A primavera-verão 2016 de Jeremy Soctt, para (não) variar, teve referências pop e modelos que mais pareciam ter saído de caixas da Barbie. Nenhuma surpresa ao que estamos acostumados salvo dois perfume especiais que foram borrifados nessa coleção: os filmes undergrounds a partir da década de 60 – à lá John Waters – e a profusão notívaga da década de 80 em diante – com o clube musical CBGB em Manhattan, por exemplo. Perfeita para vestir a turma que balançava o esqueleto nas danceterias pré-anos 2000, a coleção de Jeremy é fluorescente, abusa de brilhos, cores, tem ares de plastificado (não em sua verve negativa) e é bem, mas bem menos ousada do que o que já foi entregue em temporadas anteriores. Comercial até dizer chega e ideal para cair na night. Mas, que faça justiça, uma night assinada por Scott não é qualquer coisa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Lacoste

O calendário do estilista lusitano Felipe Oliveira Baptista está bem à frente do de HT.  Com a cabeça nas Olimpíadas do Rio em 2016, Felipe brincou com bandeiras de diversos países – e suas possíveis combinações geométricas após desconstrução – para dar diversão ao verão da Lacoste. O desfile foi permeado de alusões mil: da turma fitness da década de 80 à aeronáutica e o militarismo. Destaque também para vestido chemise e parkas – que definitivamente tomaram de assalto o guarda-roupa das mulheres. Com tecidos flutuantes, super fluídos, a Lacoste quer um verão com cara no Sol. Literalmente.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Alexander Wang

Alexander Wang tinha o motivo perfeito para fazer um desfile perfeito com as tendências perfeitas. Em 2015, quando a grife que leva seu nome comemora 10 anos de história, ele resolveu colocar em cima da mesa todos os hits que fazem a cabeça dos fashionistas: salopete, tops cropped, t-shirts, camisaria, jeans desconstruído, militarismo, franjas. Todos foram usados à exaustão em uma coleção que segue a tendência streetwear: saiu da rua, chegou às gôndolas e não perdeu o glamour. A rádio-fashion já sacramentou até o momento: ao lado da Givenchy, é o desfile que vai para as cabeças da fashion week. Aliás, quem lembra de Balenciaga, hein?

Este slideshow necessita de JavaScript.

Diane von Furstenberg

Ter Gigi Hadid, Kendall Jenner e Irina Shayk no casting já seria garantia de olhares atentos e pit em polvorosa durante o desfile da mais nova coleção de Diane von Furstenberg. Mas, felizmente, não foram esses três belos pares de pernas longilíneas que nos fisgaram. Ou melhor: não só eles. Entrando no túnel do tempo e saindo de lá nos anos 70 (e há quem diga que a moda agora é 90’s em frente, uhum, sei!), a estilista belga recorreu a lenços, borboletas, florais, estampas mil em peças com tom metalizado – em jaquetas e macacões, por exemplo. Um verão vivo como deve ser.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Givenchy

Um modelo caiu na passarela da Givechy. Kim Kardashian, Nicki Minaj, Catherine Deneuve e Steven Tyler estavam na fila A. Era 11 de setembro, dia do fatídico atentado terrorista às Torres Gêmeas. A áurea que rondava o desfile da maison já era, por si só, um acontecimento. Agora soma-se a isso a vontade de Riccardo Tisci de conquistar Nova York na comemoração de seus dez anos à frente da Givenchy; e a presença de Marina Abramovic na direção artística. Resultado?  Vestidos de franja de seda, alfaitara solta – é verão!!! -, rendas (muitas rendas!) fluidas e uma cartela de cores em P&B, dourado, marfim e por aí vai. O melhor da temporada, sem sombra de dúvidas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Victoria Beckham

Antes de qualquer coisa, com a palavra, Victoria Beckham: “A coleção simboliza uma nova atitude, mais livre e despreocupada da marca”. Como isso sai do gógó e vira realidade? Com a inspiração surf na cabeça, babies. Mas não é qualquer surf. Na leitura da spice girl, ficar na crista da onda é hype, chic, glamouroso e por isso as estampas são sóbrias, mas vão mudando de cor até chegar num laranjão daqueles. Falando em cor, a cartela passeia por vermelho, marrom, preto e chega ao azul escuro. Nos comprimentos? Cinturas marcadas de forma mais baixa, saias mídi, looks longos e modelagens mais esportivas e relaxadas. Agora imagine quando Victoria Beckham não estiver ‘livre e despreocupada”…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tory Burch

Você é daquelas que se monta toda para um almoço com as amigas no novo restô da cidade? Ou é workaholic, que respira o seu trabalho 24 horas por dia? Uma ou outra, a Tory Burch te veste. Principalmente nas duas próximas estações. Para o verão 2016, a priori, a grife quer entregar túnicas longas – alerta chic: sobre pantalonas acima do tornozelo – , cinturas marcadas com saias e rendas guipire, e camisas mais a cara do verão: simples e concisas. Nos tecidos, o mais natural possível chegando aos bordados para conferir um pouco de sofisticação e delicadeza à coleção.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pesquisas relacionadas