Gente & Comportamento

Na plateia do Rock in Rio, Valesca Popozuda fala sobre Lady Gaga, representatividade do funk e mais. Vem ler!

A funkeira reservou o dia na agenda para assistir a cantora Lady Gaga que não pode vir ao Brasil por problemas de saúde. Dramas da vida real...

Publicado em 19/09/2017 | Por Ana Clara Xavier

O evento tem no nome a palavra rock, mas é claro que não poderia ficar de fora a rainha do funk, Valesca Popozuda, que estava no primeiro dia do Rock in Rio acompanhada de seu filho, Pablo Gomez, no tapete vermelho da Área VIP. A ida ao festival tinha um motivo especial que era ver Lady Gaga. Como não foi possível, ela não deixou de ir, afinal, ela não perde uma festa. “Reservei esta data na minha agenda para vir aqui e assistir a Lady Gaga, um show que todos estavam esperando. Entendo e respeito que tenha sido um problema de saúde. Trabalho nos finais de semana e mesmo assim fiz questão de marcar a ocasião. Não rolou, mas vou me jogar na festa que ainda está cheia de artistas que gosto como Maroon 5”, contou a cantora.

Valesca Popuzuda chegou no evento acompanhada do filho (Fotos: AGNEWS)

De acordo com Valesca, é um prazer estar no festival. Seu estilo musical vai muito além das paradas de sucesso do funk. A diva garantiu ter um gosto bem eclético, ouvindo música pop, rock e axé. Homens roqueiros, inclusive, afirmam serem fãs dela também. Sem papas na língua, disse ainda que pede para tirar foto com as celebridades que admira. “Quando gosto do artista tieto e tiro foto mesmo”, confessou. A musa contou que pretende voltar para o evento no último dia do festival.

Valesca gostaria de ver um funkeiro no palco mundo (Foto: AGNEWS)

Valesca acredita que seria legal ter um colega do funk trazendo representatividade para o gênero no local mais importante do evento. “Acho que ia ser muito legal ter um funkeiro no palco principal, talvez não coloquem, porque acreditam que não tem muito a ver, mas tenho certeza que a galera iria ao delírio. Mas tudo bem, funkeiro é assim: vamos caminhando devagar e um dia explodimos nas rádios”, garantiu.

Pesquisas relacionadas