Gente & Comportamento

#SaiaDaCaixa de Helen Pomposelli apresenta Thais Marinho: do universo fashion para a sociedade de um restaurante vegetariano

Formada em design de moda na Puc desde 2013, ela trabalhou como estagiária tendo experiência em marketing numa marca de acessórios chamada Fundição Filomena, e, depois, como assistente, trabalhou com a estilista Sol Azulay Hoje, ao lado da família, gerencia o novíssimo Nutre Restô, no Jardim Botânico

Publicado em 18/10/2017 | Por Junior de Paula

*Por Helen Pomposelli

Thais Marinho por Miguel Moraes

São muitos os caminhos do empreendedorismo e muitas vezes sabemos apenas uma coisa: que queremos apostar em nossos sonhos, saindo totalmente da caixa! Thais Marinho, de 27 anos, sabe bem disso. Hoje é uma das sócias do restaurante Nutre Restô aberto há apenas 5 meses no Jardim Botânico. Thais, desde pequena, pensou em abrir o seu próprio negócio, mas começou com o sonho de ser estilista, hoje é responsável pela parte de marketing, design e funcionamento do dia-a-dia com relacionamento com o cliente. “A idéia de ter um restaurante surgiu com a idéia da minha mãe, quando o restaurante vegetariano que freqüentava, fechou. Meu pai, que sempre teve o pé na cozinha, concordou  e se reuniu comigo e outra sócia, para abrir o negócio. Eu sempre pensava em empreender numa marca de roupa, na área de moda, na qual sou formada, nunca pensei num restaurante. Aceitei o desafio”, explica Thais.

Thais Marinho por Miguel Moraes

Thais apesar de não ser vegetariana, sempre se interessou por comida mais saudável com receitas que misturassem frutas, verduras, legumes e tipos de saladas e viu que era uma chance de ter um negocio familiar. Formada em design de moda na Puc desde 2013, ela trabalhou como estagiária tendo experiência em marketing numa marca de acessórios chamada Fundição Filomena, e, depois, como assistente, trabalhou com a estilista Sol Azulay, onde atuou na área de casamentos, tanto na moda como na decoração e também fazendo experiências com figurino, reunindo no total seis anos trabalhando com moda. “Na verdade, eu gosto da parte criativa da moda, quem sabe, não volte num futuro da minha vida. Mas o mercado de moda, foi frustrante e eu sempre procurei um trabalho para agregar valores”, diz.

Thais Marinho por Miguel Moraes

“Estou vivendo agora um negócio completo. Entrei na faculdade querendo ser estilista e acabei continuando estilista, porém dona do meu próprio negócio. Quero usar meus princípios de vida e aplicar no meu local de trabalho. Meus pais sempre deram força, mesmo na minha época de adolescente em crise. A mãe é designer e eu acompanhei os dramas de uma profissional ter de trabalhar como freelancer, toda a instabilidade foi uma coisa que me assustou. Já pensei em fazer arquitetura ou engenharia mas decidi abraçar meu lado criativo”, desabafa.

Thais realizou intercâmbio na Parsons de NY em 2012, fazendo o curso intensivo de verão em criação e design de moda e realizou um sonho. “A visão de um país como os Estados Unidos sobre moda é completamente diferente na faculdade brasileira. Aqui somos direcionados para o mercado e, lá fora, somos incentivados a ser mais criativos”, explica.

Thais Marinho por Miguel Moraes

Mas Thais largou atualmente a moda para viver o fato de ter um restaurante e conclui que não impede dela trabalhar com outro segmento mais adiante, pois quer usar a experiência para entender da área financeira administrativa que nunca teve. “Desenhar um croqui é fácil, mas saber quanto tenho que investir para ter meu negocio próprio é melhor ainda. A minha experiência está sendo ampliada para um lado que pode me ajudar no futuro na moda”.

E para “Sair da Caixa”? Eu acho que nenhuma experiência é perda de tempo. Não importa, você pode estar crescendo como pessoa. Cada oportunidade é uma experiência, um aprendizado. Difícil alguém traçar uma linha reta e seguir a vida toda. Vai surgindo as curvas, mas você chega em algum lugar”.

Pesquisas relacionadas