Gente & Comportamento

Mesmo em tempos de debates e reflexões, Cris Vianna destaca dificuldade para abordar temáticas mais sérias entre as pessoas: “Falar de racismo é uma situação que desmancha rodinha”

A atriz está em cartaz com o espetáculo "Rio mais Brasil, o nosso musical" que trata, além deste assunto, o feminismo, o cenário de desvalorização da cultura e a diversidade do povo brasileiro. "No teatro, nós temos a liberdade de abordar diversas questões que fazem parte de uma nova geração, mas que nos lembra que tudo isso já vem desde o passado"

Publicado em 28/08/2017 | Por Julia Pimentel

Ela canta, dança, atua e sapateia. É exuberante, talentosa e tem a essência da mulher brasileira. No entanto, com tantos atributos, é da cor de sua pele que Cris Vianna mais fala. Não por escolha pessoal. Apesar de usar a sua voz para se manifestar contra o racismo, a atriz lamentou que hoje em dia seu nome esteja sempre relacionado à questão negra. Cris, que em 2015 foi vítima de ataques racistas na internet, agora defende o movimento também no teatro. Em cartaz com “Rio mais Brasil, o nosso musical”, ela atua, canta e dança em uma narrativa que, entre outras questões, destaca as diferenças do povo brasileiro.

No espetáculo, que também tem Claudio Lins e Danilo Mesquita no elenco, Cris Vianna solta a voz em sua segunda experiência em musical. Desta vez, a artista interpreta músicas que exaltam a riqueza do nosso país e não ignora temáticas contemporâneas como feminismo e desvalorização da cultura, além do racismo. Sobre a experiência de usar a sua arte para abordar essas questões, Cris afirmou que se sente à vontade e apenas aceitaria defender uma ideia se realmente acreditasse nela. “Como artista ou cidadã, eu sempre apoio as causas que eu acredito ou aquelas nas quais me sinto confortável de levantar uma bandeira. E, no teatro, nós temos a liberdade de abordar diversas questões que fazem parte de uma nova geração, mas que nos lembra que tudo isso já vem desde o passado”, disse.

Danilo Mesquita, Claudio Lins, Cris Vianna e Danilo de Moura em “Rio mais Brasil, o nosso musical” (Foto: AgNews)

Quando o assunto é o feminismo, “Rio mais Brasil, o nosso musical” explora a regionalidade da lenda do boto para trazer a temática. Ao lado de suas companheiras de elenco, Cris Vianna defende no palco um discurso de que a mulher não deve mais aceitar o comportamento que era considerado ideal no passado. E, neste momento, ali, ela está como atriz, mulher e cidadã brasileira. “Eu sou feminista e adoro essa causa. Mas, hoje em dia, eu sinto que tem que existir um cuidado na forma de colocar essa palavra”, disse a atriz que destacou a importância do cuidado ao tratar do assunto.

Outra questão que também demanda cuidado e atenção, principalmente nas abordagens contemporâneas, é o racismo. E disso Cris Vianna entende bem. Depois de sofrer ataques na internet, a atriz contou que viu seu nome ligado ao movimento na maior parte do tempo. “Tem gente que, antes de saber o meu nome, já está me perguntando sobre isso. Eu me sinto inserida nesse assunto e sei que é natural. Afinal, vivemos em um país que ainda é muito preconceituoso. Então, com essa peça, a gente coloca com a música e a nossa arte, um pouco de informação e reflexão”, disse Cris que reconheceu a intensidade que é falar de raça. “Falar de racismo é uma situação que desmancha rodinha. Se tiver um grupo de amigos conversando e esse assunto surgir, é bem provável que vá ficar um clima estranho e cada um vai para um lado. Não é algo agradável, mas é importante que a gente discuta”, alertou.

Cris Vianna e Claudio Lins no espetáculo em cartaz no Rio de Janeiro (Foto: Thiago Bruno)

Mas “Rio mais Brasil, o nosso musical” não é apenas sobre temáticas mais densas e reflexivas. Colorido, enérgico e super ritmado, o espetáculo traz as individualidades de cada região para uma grande colcha de retalhos cultural, que se transforma no Brasil. Nele, Cris Vianna tem a chance de explorar uma paixão antiga e uma habilidade que, apesar de ter sido amornada durante um tempo, sempre esteve bem acesa na atriz. Na posição de cantora, Cris interpreta clássicos e releituras de músicas de nossa cultura, em diferentes estilos e ritmos. “Eu sempre fui uma atriz que buscou estudar tudo. Mas às vezes a gente não consegue fazer nada, como quando estamos em um projeto, que ficamos totalmente sem tempo. Porém, sempre que eu tinha uma brecha para mim, eu fazia aula de canto e tentava me dedicar a essa habilidade”, contou Cris que afirmou que a música sempre esteve presente em sua vida e carreira. “Eu nunca abandonei, mas me ausentei por um tempo. Inclusive, isso me deixou bem triste”.

Embora Cris Vianna esteja em um desses períodos sem tempo por causa do espetáculo que, por quase duas horas, exige diferentes expressões da atriz, ela adiantou que novidades podem estar a caminho. Sim, no ambiente de dúvida. De acordo com Cris Vianna – e sua superstição ou forma de pensar –, seus planos só podem ser revelados depois que já estão engrenados. Mas, o fato é que a atriz garantiu que está com a criatividade borbulhando e que, em breve, deverá também voltar à televisão. “Eu sou daquela que só fala de algum projeto quando ele já está acontecendo. Mas, graças a Deus, tenho vários se encaminhando”, comentou a atriz Cris Vianna.

Serviço: “Rio mais Brasil, o nosso musical”

Temporada: de 20 de julho a 10 de setembro
Local: Oi Casa Grande (Av. Afrânio de Melo Franco, 290 – a – Leblon, Rio de Janeiro)
Horários: Quinta a sábado: 21h, Domingos: 19h
Preços:
Plateia Vip e camarote – R$120,00
Setor 01 – R$100,00
Balcão 02 – R$80,00
Balcão 03 – R$50,00
Classificação etária: 12 anos
Duração: 105 minutos

Pesquisas relacionadas