Gente & Comportamento

Isis Valverde vai lançar livro de contos pessoais e será protagonista de filme canadense

A atriz ainda comentou sobre o lugar oprimido das mulheres na nossa sociedade: “Quando eu nasci, minha mãe me explicou que os homens eram as pessoas que estavam no comando. Ela me contou que ficou com dó quando ficou grávida de uma menina, porque nós vivemos em um país machista. Ela me disse: ‘Tadinha, fico triste de te falar isso, mas o mundo é dos homens, minha filha’. Mas que bom que estamos mudando isso”

Publicado em 22/08/2018 | Por Ana Clara Xavier

Nem mesmo uma gravidez de sete meses faz Isis Valverde ficar quieta. “Agora, nesta reta final, estou mais cansada”, lamentou. No entanto, ela contou em um papo exclusivo para o site HT que rolaram muitas negociações neste tempo em que, aparentemente, ficou “parada”. A prova disso é que, logo depois de ter o Rael, ela irá embarcar nas gravações de um filme estrangeiro e ainda lançará um livro pessoal com textos acumulados desde os seus 19 anos. Atualmente, a artista está lançando o longa Simonal que está participando da mostra competitiva do 46º Festival de Cinema de Gramado.

Saiba: 46º Festival de Cinema de Gramado: Isis Valverde e Fabrício Boliveira desembarcam na serra gaúcha para contar a história de Simonal

Isis Valverde está cheia de planos para depois da chegada do bebê (Foto: Fabio Winter / Pressphoto)

Logo depois do nascimento de seu primogênito com André Resende, Isis irá se dedicar ao papel de protagonista de seu primeiro filme 100% estrangeiro. “O diretor é o Carl Bessai, que é canadense e já trabalhou com vários atores conhecidos. Nesta próxima produção, decidiu fazer um longa com uma brasileira. A partir disso, veio para o Brasil, fez alguns testes e eu passei. Não falei isto antes, porque ainda não estava tudo certo. Agora, está tudo acertado, fomos no consulado e acertamos a papelada”, explicou. De acordo com ela, conseguir exportar o seu trabalho será muito importante para a sua carreira. “Foi um sonho realizado”, comemorou.

Leia: Mariana Ximenes comemora a parceria de anos com Cauã Reymond: “Ele é um ator formidável

A atriz irá participar de um filme de um diretor canadense (Foto: Fabio Winter / Pressphoto)

Mesmo com o bebê a caminho, a atriz está se dedicando a um projeto especial: um livro para chamar de seu.  “Estou no processo de produção, mas ainda faltam alguns textos a mais para completar. É algo muito pessoal que eu queria fazer há alguns anos, mas nunca consegui parar e, neste caso, o tempo é necessário. Afinal, não tem ninguém para fazer para mim, sou eu quem está escrevendo. Dessa forma, é uma coisa pessoal. Tem alguns textos que escrevi quando tinha 19 anos”, anunciou. Ainda não há uma data de lançamento, mas ela já conseguiu adiantar que são contos poéticos para adultos. “Neste momento, estamos finalizando alguns detalhes para mandar para a editora e, finalmente, lançar”, informou.

Saiba: 46º Festival De Cinema De Gramado: Degradação do rio e desmatamento no país são questionados no terceiro dia

Fabrício Boliveira e Isis Valverde fazem par romântico pela segunda vez em Simonal. Os dois já haviam contracenado antes em Faroeste Caboclo ( Foto: Edison Vara / Pressphoto)

Neste momento, Isis Valverde está na fria serra gaúcha para prestigiar o seu filme ao lado de Fabrício Boliveira, a segunda parceria de ambos nas telonas. “A gente já se encontrou várias vezes. Fizemos Sinhá Moça, Faroeste Caboclo, Boogie Oogie e, agora, esse filme. São muitos trabalhos juntos”, comemorou. Em Simonal, a artista viveu a esposa do cantor e protagonista da montagem. Apesar de Tereza Pugliesi ainda estar viva, diferentemente de seu marido, a atriz não teve a possibilidade de se aproximar muito da viúva. “Não tive muito contato com ela, porque os filhos preferiram deixá-la mais distante deste projeto, até por conta de tudo o que aconteceu. De qualquer forma, conversei muito com eles e falei uma vez com Tereza pelo telefone, porque eu precisava entender quem era essa mulher”, explicou.

Leia: 46º Festival De Cinema De Gramado: Carlos Saldanha, cineasta queridinho de hollywood, é homenageado no segundo dia

No processo de preparação para esta personagem, a artista precisou lidar com diversos contrapontos que existiam nesta história como as constantes brigas familiares e o amor que Tereza cultiva por Wilson Simonal. “Pesquisei fotos e documentos antigos, vi que ela tinha um porte de bailarina e era uma pessoa muito elegante. Percebi também como mudou ao longo da vida para tentar se anular, afinal, não tinha muito o que fazer. Era um país dos homens e ela acabou aceitando. Queria entender como encontrar uma força para esta protagonista dentro de toda a sua fragilidade. Na época, realmente tinha um transtorno bipolar, que ninguém sabia o que era e não tinha tratamento. Então, de fato, levou uma vida difícil, por isso começou a se dopar e ir para um lugar que não era a realidade”, lamentou.

Saiba: 46º Festival de Cinema de Gramado: Internacionalidade e discussão política marcam o primeiro dia

Isis Valverde grávida de 7 meses em Gramado (Foto: Cleiton Thiele / Pressphoto)

A dificuldade de vida desta personagem fez a atriz refletir sobre os tempos atuais. De acordo com Isis, Tereza era uma mulher dos palcos, mas foi oprimida por seus familiares que acreditavam que uma menina de família não deveria se submeter a esta exposição. Na sua percepção, o cenário de opressão feminina ainda existe até hoje. “Quando eu nasci, minha mãe me explicou que os homens eram as pessoas que estavam no comando. Ela me contou que ficou com dó quando ficou grávida de uma menina, porque nós vivemos em um país machista. Ela me disse: ‘Tadinha, fico triste de te falar isso, mas o mundo é dos homens, minha filha’. Mas que bom que estamos mudando isso”, relembrou. Apesar da história de Tereza não ser tão feliz, Isis comentou que as mulheres de sua família tiveram um pouco mais de sorte nesta quebra de paradigmas. “Somos do interior, minha avó e minha mãe casaram virgens e cedo. O problema não é a virgindade, mas as regras e limitações. Apesar disso, minha mãe foi para o teatro. A minha vó, neste caso, foi uma das primeiras mulheres a se separar e ainda virou prefeita da cidade”, confessou.

Empoderada e mais radiante do que nunca, Isis Valverde promete fortes emoções para os próximos capítulos desta sua vida de artista.

Pesquisas relacionadas