Gente & Comportamento

Gabriela Duarte se destaca como a amargurada matriarca Julieta de Orgulho e Paixão e diz que personagem a ajudou como mãe: “Me ensina a ter um pouco mais de pulso”

A personagem, que é dona de terras e pretende que o filho seja a sua continuação nos negócios, marca a volta de Gabriela às telenovelas, depois de período em Nova York com a família

Publicado em 18/04/2018 | Por Ana Clara Xavier

Depois de um tempo afastada dos holofotes, Gabriela Duarte volta com força total às novelas com o papel de uma poderosa dona de cafezais. A atriz interpreta Julieta Bittencourt em Orgulho e Paixão, no horário das 6. A personagem é emocionalmente distante e muito severa que tem a ambição de comprar o maior número possível de terras para dominar a região do Vale do Café, local fictício onde se passa a trama. Nos negócios, ela possui uma assistente e parceira, Susana, interpretada por Alessandra Negrini, que é uma péssima influência, pois sempre a incentiva a tomar atitudes ruins. “É uma mulher bem forte e poderosa para a época, que conquistou tudo a partir de seu próprio esforço. Tudo isso em um mundo ainda muito masculino, onde o gênero feminino não tinha muita voz e vez”, comentou a atriz. Julieta possui um caráter dúbio, que dificulta colocá-la em uma categoria de vilã ou mocinha.

Julieta é uma mulher severa, rude e amargurada que não vai poupar esforços até conseguir o que quer (Foto: João Miguel Júnior/Gshow)

Para desempenhar este papel, atriz acabou passando por um processo de envelhecimento, feito pela equipe de caracterização. Sendo assim, Gabriela ganhou alguns fios brancos no cabelo, por exemplo. Apesar disso, a personagem não é uma pessoa tão velha como está sendo retratada e este exagero foi proposital, de acordo com a artista. “Algumas pessoas, mesmo jovens, envelhecem muito porque acabam ficando amarguradas ao longo da vida. Ela tem muito isto. Mas vai existir um contraponto quando ela se apaixonar, porque neste momento acho que a alma dela vai encontrar a sua verdadeira idade. Por isso estamos exacerbando um pouco a aparência física dela para depois, através da caracterização da personagem, mostrarmos as mudanças que o amor pode fazer na vida de alguém”, explicou. Na trama, Julieta irá se apaixonar por Aurélio, personagem de Marcelo Faria, um homem honesto e carinhoso. Segundo a atriz, este sentimento romântico é a principal arma capaz de mudar o mundo. “Se isto não for possível não sei o que será de nós. Acho que as pessoas mudam quando se apaixonam e passam a ver o planeta com uma lente mais benevolente e generosa. Isto é importantíssimo, porque senão a humanidade irá por um caminho complicado”, salientou.

Este caráter genioso da personagem a levou a criar o seu filho, Camilo, de forma rígida sem conseguir dar o carinho que ele necessitava. “Ao meu ver, isto acontece por algumas razões. Primeiramente, existe um contexto social de uma época que acaba pedindo este tipo de comportamento. Unido a isto temos a personalidade forte dela. O terceiro ponto é que ela tem a expectativa de que o rapaz seja a continuação dela, especialmente nos negócios. Mas ele acaba indo contra este ideal dela”, analisou. Apesar de não concordar com as atitudes de seu papel, a artista confessou que está absorvendo algumas informações de Julieta. “Ela está me ensinando a ter um senso autoridade que acho saudável. Obviamente, não dá para exigir neste nível dela, mas também não dá para ser muito frouxa. Filho é filho. Muitas vezes sou aquela mãe mais legal, mas a Julieta está me ensinando a ter um pouco mais de pulso”, afirmou.

Curiosamente, Gabriela Duarte já interpretou uma mãe em várias teledramaturgias, mas é a primeira vez que este filho é um adulto. Maurício Destri é o ator responsável por desempenhar este papel de um homem bonito, doce, romântico, mas de personalidade fraca. “Já fui mãe de várias pessoas em cena, mas nunca de um adulto. Então, dei uma evoluída engraçada. Está sendo uma nova etapa e estou achando tudo muito interessante. Estou adorando”, confessou.

Gabriela Duarte afirmou que não é uma pessoa que planeja as coisas (Foto: Fábio Rocha/Gshow)

Julieta não foi uma personagem planejada para marcar um novo momento de sua carreira. “Vivo de acordo com o que acho que é melhor para mim e para a minha família. Neste ponto, sou muito hedonista”, confessou. Quando a atriz sentiu que era o momento de retomar os laços empregatícios com a Rede Globo, ela acabou entrando para a casa de novo. “Voltei porque este é o meu lugar de trabalho, afinal estou na casa há muitos anos. Tive uma vontade de retomar este lado da minha carreira que acabou casando com um convite por parte da produção para esta novela. Demorei para fazer uma novela inteira de novo em função de outras prioridades da minha vida, mas está sendo uma retomada natural”, analisou.

Apesar de ter voltado para os holofotes, Gabriela deixa claro que é um espírito livre e não faz ideia de qual será o seu futuro. “Pode ser que amanhã eu queira mudar e fazer outra coisa da minha vida. Estou aberta ao que vier”, adiantou. Mas claro que a atriz não desvaloriza quem optou por seguir sempre firme na carreira como a própria mãe, Regina Duarte. “Obviamente, ela é uma inspiração para mim, por ser uma pessoa batalhadora que continua trabalhando com muito pique. Mas não quero fazer coisas parecidas com alguém, nem mesmo com o meu maior exemplo. Quero fazer o que é bom para mim”, afirmou.

Depois de dois anos no exterior, a atriz encontrou um país diferente, afinal, nos últimos anos o Brasil tem enfrentado uma crise econômica e instabilidade política. Estes aspectos estruturais deram uma carga extra de sentimentos a este retorno. “O momento político e a violência me preocupam muito, mas acho que temos que ficar alertas para as próximas eleições. Este país precisa de um resgate de valores. De qualquer forma, é o nosso território e precisamos brigar mais por ele, politicamente e como indivíduos sociais”, lamentou.

Pesquisas relacionadas