Gente & Comportamento

Fugindo do estereótipo de mulher perfeita, Débora Nascimento critica imposição do padrão de beleza no meio artístico: “Desvia a atenção e a força feminina”

Recentemente, Débora passou por duas experiências intensas que potencializaram seu engajamento nesta causa, uma no "Vai Fernandinha" e outra em seu Instagram. "Eu tive um feedback muito bom de mulheres que assistiram e se identificaram. Assim como eu acredito, elas viram que não existe mulher perfeita"

Publicado em 30/08/2017 | Por Julia Pimentel

Sororidade. A palavra que, nos últimos tempos, tem ganhado cada vez mais força também está presente no discurso de Débora Nascimento. Atriz, cacheada e empoderada, ela vem destacando a importância da mulher sem rótulos em nossa sociedade. Em tempos de culto ao ego e com a sua imagem sempre à frente das câmeras, Débora já dispensou maquiagem, falou dos dramas da recente dieta para a personagem e das loucuras que a cercavam durante sua carreira de modelo. Ao HT, a atriz defendeu a necessidade de ampliarmos o nosso olhar e desconstruirmos qualquer estereótipo da sociedade contemporânea. “Nesse mundo das celebridades, a gente acaba vivendo com uma imposição de padrão de beleza que é totalmente errada. Isso é para desviar a atenção, o afinco e a força feminina. Mas não deixaremos”, afirmou.

“Nesse mundo das celebridades, a gente acaba vivendo com uma imposição de padrão de beleza que é totalmente errada” (Foto: Reprodução)

Recentemente, Débora passou por duas experiências intensas que potencializaram seu engajamento nesta causa. No “Vai Fernandinha”, programa de Fernanda Souza no Multishow, a atriz lembrou das estratégias que as colegas usavam quando era modelo e da morte de uma amiga por anorexia. Já na internet, Débora chorou ao contar o que estava passando durante uma dieta para viver sua próxima personagem no cinema. Depois de ambas as experiências, a atriz contou que a exposição teve uma repercussão positiva na internet. “Eu tive um feedback muito bom de mulheres que assistiram e se identificaram. Assim como eu acredito, elas viram que não existe mulher perfeita. Eu não sou e nem ninguém é”, contou Débora que destacou o poder da internet na propagação de boas ideias e conscientizações como essa. “Apesar de ter uma parte horrível, um lado bom das redes sociais e de ter tanta gente conectado é que o acesso à informação está disponíveis a quem quiser saber. Hoje, as pessoas interessadas procuram saber e querem tem a notícia certa. Eu acho que quando vemos uma colega do nosso lado super informada, surge uma vontade de também querer esse conteúdo. E aí, construímos a sororidade”, disse.

A atriz destacou a importância da desconstrução de uma imagem de perfeição (Foto: Reprodução)

O fato é que, apesar dos problemas que tem enfrentado para a próxima personagem, Débora Nascimento comemorou a oportunidade. Na verdade, oportunidades no plural. Para o futuro, a atriz tem dois novos longas para estrear. Inclusive, um deles será argentino. “É um filme gringo, mas tem um contrato de sigilo em que eu não posso falar nada sobre a história ou a personagem”, afirmou sem poder se alongar. Desta forma, Débora celebra sua caminhada na contramão da crise cultural pela qual estamos passando. Mas, mesmo com o cenário desanimador, Débora Nascimento destacou a força de nossa cultura e, principalmente, dos artistas brasileiros. “A arte nunca vai acabar, independentemente do que dizem”, completou a atriz.

Pesquisas relacionadas