Gente & Comportamento

Dr. Alessandro Martins esclarece as dúvidas sobre os diferentes tipos de próteses de silicone. Vem entender!

Em sua coluna quinzenal no site HT, o cirurgião plástico comenta sobre as redondas, as anatômicas, que popularmente foram batizadas de "próteses em gota" e as cônicas. O resultado final tem que ser uma adequação entre o sonho dos seios perfeitos e a prótese mais indicada para o seu biotipo

Publicado em 05/02/2019 | Por Leticia Sabbatini

*Por Dr. Alessandro Martins

Hoje em dia, no mercado de próteses de silicone, a gente tem diferentes formatos, texturas de cobertura e projeções. Ou seja: as próteses têm uma variedade de design e não é só uma questão de se escolher o tamanho. As características específicas de cada paciente devem ser analisadas. As próteses mais comuns são as redondas. Há ainda as anatômicas, que popularmente foram batizadas de “próteses em gota” e as cônicas.

As próteses redondas são as mais utilizadas no mercado e aquelas que conseguem um maior preenchimento do colo da mama. Geralmente as pacientes não querem só aumentar o volume, mas desejam o preenchimento do colo superior da mama, que, com o passar do tempo ou após a gestação e a amamentação, esvazia. Muitas vezes a tentativa de utilizar sutiãs com enchimento, bojo e tudo mais é uma forma de mover o tecido glandular para o polo superior da mama, preenchendo este colo.

Então, na realidade, as próteses redondas são as que mais conseguem preencher esse colo da mama que se torna vazio com o decorrer dos anos. Algumas pacientes, na verdade, que possuem a mama muito pequena nunca tiveram esse colo.

As próteses anatômicas, popularmente chamadas de “gotas”, têm objetivo diferente das redondas. São mais procuradas por aquelas pacientes que desejam aumentar a mama, mas não querem o colo preenchido. Então, essa prótese dá um contorno, um perfil mais natural à mama, sem aquele colo redondo. É uma prótese muito utilizada nas reconstruções de mama pós-câncer, uma vez que simula de certa forma a mama natural. Com isso, o cirurgião consegue reconstruir a mama que foi retirada pós-câncer, deixando-a em um formato mais parecido com a mama original da paciente.

O terceiro tipo de prótese mais comum é a cônica, que a Silimed possui. Ela tem um formato semelhante ao de uma pirâmide, então conseguimos um colo mais discreto do que as redondas, no entanto um pouco mais marcado do que as próteses anatômicas. É uma prótese intermediária entre a anatômica e a redonda. Ela também tem excelentes projeções, então pode ser utilizada em pacientes mais jovens ou de mais idade. Dependendo do tamanho escolhido, conseguimos os objetivos para atender o biotipo da paciente.

Dr. Alessandro Martins ressalta que ao optar pela cirurgia de implante mamário você deve levar em consideração os mais diversos modelos de próteses de silicone (Foto: Marcio Farias)

Dr. Alessandro Martins ressalta que ao optar pela cirurgia de implante mamário você deve levar em consideração os mais diversos modelos de próteses de silicone (Foto: Marcio Farias)

Entretanto, independente se sua prótese é redonda, anatômica ou cônica, temos que analisar também a projeção da mama. Uma prótese pode ter projeções altas, extra altas, médias ou baixas. Quanto mais projetada for a prótese, mais essa mama cresce para a frente. No caso das próteses redondas, quanto mais projetadas forem, mais marcado e redondo esse colo superior ficará. Então, o cirurgião deve conversar com a paciente sobre qual o aspecto deseja, levando-se em conta a individualidade de um sonho de uma mama perfeita. Vamos analisar o formato e a projeção ideais para um resultado final que agrade a paciente.

 

Contato: Dr. Alessandro Martins

Facebook: clique aqui 
Instagram: @dr.alessandromartins

Pesquisas relacionadas