Gente & Comportamento

Depois de algumas passagens pelo Vídeo Show, Marcos Veras comemora oportunidade à frente do programa e revela volta à telinha: “Final do ano”

Para os próximos meses, o ator também estreia o filme "Tudo Acaba em Festa" e segue escrevendo seu próximo texto para o teatro, que entrará no lugar do monólogo "Falando a Veras". Sobre as piadas e o fazer humor hoje em dia, Marcos Veras reconheceu a necessidade de cuidado. "A gente vive um momento de cautela e patrulha"

Publicado em 23/04/2018 | Por Julia Pimentel

Em uma lista que tem nomes como Miguel Falabella, Ana Furtado, Renata Ciribelli e André Marques, Marcos Veras comemora fazer parte deste time da televisão brasileira. No mês passado, o ator e agora apresentador ocupou a vaga de Otaviano Costa à frente do Vídeo Show. Apesar de explicar que não é fixo na apresentação do programa, Veras destacou a importância de ter a passagem pela atração em sua carreira. “Me perguntaram se eu poderia cobrir alguns dias de folga do Otaviano e eu topei na hora. Fiquei muito feliz. O Vídeo Show é um marco e lá na frente, quando forem ver quem já apresentou o programa, eu terei orgulho de ter meu nome na lista”, disse.

Em suas experiências nas tardes da Globo, Marcos Veras resgata uma tensão conhecida de anos atrás. “Eu gosto desse lugar de experimentar. Já conhecia a adrenalina do ao vivo por causa do “Encontro com Fátima Bernardes’”, lembrou sobre o período que dividia as manhãs com Lair Renó no sofá de Fátima Bernardes.

Marcos Veras como apresentador do Vídeo Show ao lado de Sophia Abrahão (Foto: Reprodução)

Aliás, este lugar de experimentação é um dos temperos da carreira de Marcos Veras no cinema, na televisão e no teatro. Humorista, ele ultrapassou os textos de comédia e hoje se destaca, inclusive, em dramas das telonas. “Isso é muito individual. Nós temos exemplos de humoristas que querem se arriscar em outras áreas e outros que não. Eu estava até comentando o quanto também é gostoso ficar acomodado. É uma delícia, mas eu tenho uma característica que gosto de ficar transitando entre outros gêneros”, disse Veras que, apesar disso, tenta carregar suas origens. “Eu sempre tento levar a minha veia cômica. Eu acho que isso dá um pouco de leveza ao personagem e, quando posso, exploro”, completou.

E é isso o que veremos pela frente. Depois de atuar em “Pega Pega” como um policial, Marcos Veras tem um ano agitado com projetos em todas as áreas. No cinema, o ator estreia no segundo semestre o filme “Tudo Acaba Em Festa”, que terá um elenco 100% cômico. Quando o assunto é o teatro, Marcos Veras contou que está escrevendo seu novo espetáculo. A futura peça entra no lugar de “Falando a Veras”, monólogo autoral que rodou o país pelos últimos nove anos. E, na televisão, Marcos Veras disse que volta em 2018, mas preferiu fazer mistério em relação aos detalhes. “É para o final do ano, só que ainda não posso falar”.

Marcos Veras em turnê com o monólogo “Falando a Veras” em 2017 (Foto: Felipe Panfili)

Com múltiplos e diferentes trabalhos, Marcos Veras segue sua carreira atento às novas possibilidades. Assim como foi anos atrás, o ator destacou os formatos que chegam com os avanços da tecnologia e ampliam seu campo de atuação. Principalmente quando o assunto é humor. “Nós somos formados pela comédia que passava na televisão, pelos filmes dos Trapalhões e pelos shows de humor em casas de teatro. Tudo isso ainda existe, mas, agora, também temos o poder da internet. Então, nós ganhamos mais uma local para fazer humor”, apontou Veras que, na internet, destacou o trabalho do Porta dos Fundos: “É um grande responsável por profissionalizar e inaugurar isso”.

Por falar em Porta dos Fundos e em humor em tempos de mudanças, Marcos Veras comentou, ainda, sobre como é fazer graça com as situações contemporâneas. Porém, ele, que reconheceu o cuidado que se precisa ter hoje, apontou para a existência de saídas e soluções em meio às críticas. “A gente vive um momento de cautela e patrulha. O tempo todo tem gente prestando atenção e comentando o que você está falando. Mas eu acho que os humoristas são tão criativos que, mesmo assim, a gente sobrevive e encontra brechas. Somos bons em dar jeitinhos”, concluiu o ator e humorista Marcos Veras.

Pesquisas relacionadas