Gente & Comportamento

Comemorando 80 anos, Antônio Pitanga recebe medalha Zumbi dos Palmares no dia do seu aniversário

A honraria é concedida pela Câmara de Salvador atribuída à pessoas, grupos ou entidades que se destacam na luta em defesa dos afrodescendentes e no combate ao racismo e à intolerância religiosa

Publicado em 07/06/2019 | Por Heloisa Tolipan

Antonio Pitanga foi condecorado com a Medalha Zumbi dos Palmares, em Salvador, no dia em que completou 80 anos

*Por Rafael Moura

Na comemoração de seus 80 anos Antônio Pitanga recebeu um grande presente, a Medalha Zumbi dos Palmares, atribuída à pessoas, grupos ou entidades que se destacam na luta em defesa dos afrodescendentes e no combate ao racismo e à intolerância religiosa. A cerimônia foi realizada na quinta-feira (dia 6), na Câmara Municipal de Salvador. O ator recebeu do presidente da Casa, Geraldo Junior (SD), a condecoração. A honraria é uma realização da Câmara Municipal de Salvador, idealizada pela deputada estadual Olívia Santana (PCdoB), em reconhecimento ao incansável e benéfico trabalho artístico de Antônio Pitanga e à grande contribuição para a cultura da Bahia e do Brasil, ao longo dos últimos 59 anos.

Antonio Pitanga que completou 80 anos está em cartaz com Embarque Imediato e acabou de gravar Cinema de Enredo

O ator e filho Rocco Pitanga contou ao site HT sobre essa emoção: “É uma pessoa que eu admiro, não só como pai, mas como profissional. É uma delícia, por exemplo, dividir o palco com o Antonio Pitanga. Hoje está sendo um dia muito especial, porque ele comemora 80 anos em cena e isso é inspirador para qualquer ator, ainda mais num texto como esse, onde aparecem dois pontos de vistas: uma pessoas que já viveu 80 anos e um jovem com 38 anos. São olhares díspares, e acabamos entendendo que essas visões se agregam, o que acaba sendo um grande presente”. Rocco está nos palcos com o pai na peça ‘Embarque Imediato’, dirigida por Marcio Meirelles e com texto de Aldri Anunciação, que é a continuação da trilogia iniciada pelo espetáculo “Namíbia, Não!”. Nele, temos a história de um brasileiro com um africano descendente de ogudás, escravos que falam português e retornaram à África.

A atriz Camila Pitanga contou que viver esse momento é pura emoção. “Ele está na cidade onde nasceu e ser reconhecido no seu berço é muito forte. Fazendo 80 anos e comemorando no palco, em uma peça com ator baiano, diretor baiano e atuando com meu irmão… o que mais a gente poderia pedir? Me emociona muito falar disso”, declarou a atriz e filha de Antônio Pitanga. Camila ainda lembrou que a honraria recebida pelo pai não se limita as suas atuações promovidas dentro campo cultural e os filmes em que participou: “Isso tudo pé merecimento, é uma história de um homem vencedor, de um ícone preto vencedor, recebendo a comenda do Zumbi dos Palmares, que é símbolo de resistência, libertação e poder negro”, completou.

A família reunida nessa momento único: a atriz Camila Pitanga, Antonio Pitanga e o ator Rocco Pitanga

A deputada Olivia destacou a importância dessa celebração. “Pitanga orgulha a Bahia pelo trabalho que realiza, pelo compromisso que tem com as questões vinculadas à defesa dos direitos humanos, ao acesso e promoção da cultura, e por ser um exemplo de pai”, destacou Olívia.

O aforismo “baiano não nasce, estréia” é perfeitamente aplicável ao filho de Dona Maria da Natividade, o soteropolitano do Pelourinho, filho ilustre da cidade de Salvador, Antônio Pitanga. Descendente da população negra aquilombada e resistente, Pitanga foi parte da Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia, onde aprimorou o dom nobre, para posteriormente protagonizar grandes obras no teatro, cinema e televisão.

Antonio Pitanga comemora a Medalha Zumbi dos Palmares no dia em completou 80 anos de vida

Pitanga terminou recentemente as gravações da série de TV Cinema de Enredo, dirigida por Luís Antônio Pilar, para o canal Prime Box Brazil. O ator versátil e afeito a desafios, se torna uma figura singular na história do Cinema Novo. Suas interpretações nos filmes de Glauber Rocha (1939 – 1981) e Cacá Diegues, por exemplo, revelam um profissional dedicado, sofisticado e firmemente comprometido em enfrentar o racismo e as mazelas da estrutura social excludente e envergonhada de si. A presença de Antônio Pitanga nos palcos e nas telas de cinema busca subverter a ordem, destruir conceitos enrijecidos, atrofiados, ao tempo em que ajuda a tecer os novos horizontes e constituir uma rede de transformações condizentes com a era do conhecimento, da economia criativa e da igualdade substantiva para a maioria do povo; gente indígena e negra.

Pesquisas relacionadas