Gente & Comportamento

Casa de Criadores verão #15 / parte dois: todo mundo de olho na peitaca de Valesca e no cuecão de Harry Louis!

No evento, Felipe Fanaia, Arnaldo Ventura e Weider Silveiro se destacam, enquanto Walério Araújo cobre o bem- casado com tule e Elian Gallardo aposta literalmente em um rega-bofe!

Publicado em 08/06/2014 | Por Alexandre Schnabl

Nesta segunda parte do especial sobre a edição verão 2015 da Casa de Criadores, HT enfatiza a Nosotros, marca que venceu o Projeto BTOBE na edição passada do evento. Nathan de Souza, mineiro de 22 anos que estudou na Anhembi/Morumbi, é quem toca a grife e, dessa vez, ele traz um aroma latino-americano à sua coleção, com mulheres sensuais com chapéus de aba larga e argolas, em looks calientes repletos de sobreposições, com tecidos vaporosos, babados, saias longas com volumes, algumas transparências e montagens de blusas cropped com pantacours. Deve ser fã de carteirinha de Carolina Herrera. Tudo em cartela enxuta de preto, banco, azul e coral. O conjunto apresentado é maduro e revela um talento promissor, consolidando tudo aquilo que foi visto em outubro passado e que surpreendeu tanta gente. Comercial, mas refrescante e bem-feito.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto : Marcelo Soubhia | Agência FOTOSITE | Divulgação

Na contrapartida, o desfile de Walério Araújo é sempre um acontecimento entre os modernos e motivo forte pelo qual a Casa de Criadores se mantém há tanto tempo como plataforma de novos olhares. Tão essencial quanto Gloria, Reinaldo, Lino, Ronaldo, Isabela CapetoOsklen, Lenny Niemeyer e Salinas nas semanas de moda mainstream brasileiras, seu show é um dos mais esperados. Dessa vez, ele apresentou uma sequência de mulheres-bombom, todas com tops trabalhados (muitos deles com aplicações sobre tule) e imensas saias godê em tule colorida, tipo princesa Disney, arrematando os looks. O que é isso, Walério incorporou Samuel, minha gente? Nada disso! Quem pensa que o designer agora se restringe à modernização do doce de festa, se engana em gênero, número e grau. Da metade em diante, ele pega os tais tops como base e eis que surgem, na passarela, vestidinhos sumários bordados, bodies babadeiros, macacões com flores aplicadas capazes de fazer Hera Venenosa cortar os pulsos e, ainda, conjuntos de blusa e calça com extremidades em malha sanfonada. E, como o estilista é causador, ainda põe no quadradinho de oito do seu catwalk gente como Ticiane Pinheiro, David Brazil e Valesca Popozuda para imprimir a irreverência que é a sua cara. Esta última, aliás, com blusa em tule de efeito sinestésico, já que sobre suas avantajadas mamas repousam respectivamente um maxi olho e uma maxi boca em paetês. Sinestésico porque, afinal, qual o hétero que nunca pensou em cair de boca ali, ou qual bee que nunca manjou a peitaria da moça, não é mesmo, queridinhos?

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto : Marcelo Soubhia | Agência FOTOSITE | Divulgação

Elian Gallardo é super conhecido com scouter e agente de modelos bombados, bonitões daqueles que todo mundo gosta de ver tanto na passarela quanto no queijo, não importa se grana padano, camembert ou brie com damasco, meu bem. Agora, ele lança a coleção da sua EG Underwear, caminho natural para alguém envolvido com a turma que ama Andrew Christian. “As cuecas dos rapazes estavam muito feias nos castings, precisava dar um jeito”, entrega o descaso dos boys, ressaltando que arrematou as peças com jóias caríssimas. Hum, mas se o lance é jóia rara, vale mencionar que, se no desfile anterior reinaram las mamas de la mama Valesca, agora são os peitorais dos gostosões que alegram a plateia, que ainda pode conferir a volúpia de Nicole Bahls, o pingente de Harry Louis e a timidez de Matheus Mazzafera, todos dando o ar de sua graça.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto : Marcelo Soubhia | Agência FOTOSITE | Divulgação

No liquidificador de Felipe Fanaia, jogadores de futebol americano do Cuiabá Arsenal vão dar uma pinta esperta pelo Rio Paraguai e, num esqueminha “Rei do Gado”, vão tocando a boiada que nem peões, dando de cara com tribos indígenas, onças e jacarés, introduzidos em seus uniformes. Daí as palas de camisa com print de bichinhos, os jaguares que viram emblemas localizados, as camisas com textura de croco, as bomber jackets que se desdobram em plumagens estilizadas e até cocares arrematando o styling, além das listras esportivas que também aludem à pintura corporal. Um primoroso exercício de estilo, muito bem resolvido e uma das melhores coleções dessa edição, com reinterpretação bacana de elementos típicos desse esporte, como os sholderpads com ombros oversized.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto : Marcelo Soubhia | Agência FOTOSITE | Divulgação

Arnaldo Ventura é outro que transita entre o feminino e o masculino com a mesma desenvoltura. Apostando no militar e na alfaiataria, ele apresenta peças bem resolvidas em tecidos nobres, cheias de detalhes utilitários e belos recortes, em levada safári.  Uma cartela enxuta traz caramelo, uva e ouro, com destaque para as regatas com bolsos e  bermudas com comprimento nos joelhos, no masculino, e os tops cropped com shorts ou bermudas, para as mulheres. Chique de doer!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto : Marcelo Soubhia | Agência FOTOSITE | Divulgação

Participando do evento há três anos, a Juss, queridinha dos modernos, é outra que aposta nas referências para o verão 2015. Barras listradas, jaquetas e regatas de basquete se misturam ao corolário urbano da marca, junto com camisetões e bermudas surfwear reinventadas para eles, além de camisas sociais, t-shirts gráficas e calças-cenoura. Já para as meninas, predominam tops frente-única com saia midi em silhueta com levada tropical.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto : Marcelo Soubhia | Agência FOTOSITE | Divulgação

Weider Silveiro é outro bom motivo para frequentar a Casa de Criadores em busca de novidades. A obra “Human machine”, de Takahito Irie,é ponto de partida para o cearense radicado em São Paulo, que também participa do Dragão Fashion Brasil. “O artista usa a figura humana como tela em seu trabalho, ao mesmo tempo em que produz obras com aspectos mais robóticos e com muitas cores”, explica. Com essa premissa, ele constrói sua coleção com shapes soltos, cheia de geometrias nos grafismos localizados que dão um contraponto aos jogos de prints e tramas. E ainda finaliza o conjunto em looks futuristas com brilhos paetizados que fogem da mesmice. É, seria mesmo um delicioso exercício de ficção científica se o futuro tivesse um quê da mão do designer.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto : Marcelo Soubhia | Agência FOTOSITE | Divulgação

O terceiro e último dia do evento começou com Ale Brito trazendo o fim para a passarela, usando como tema um macabro hábito do Século XIX, quando os recém-falecidos eram produzidos e fotografados por familiares com o intuito de se manter um recuerdo. O grande público deve se lembrar deste costume através do enredo de “Os Outros” (The Others, de Alejandro Amenábar, Miramax, 2001), o filme de terror estrelado por Nicole Kidman. Usando tecidos nobres como tafetá, organza e tule francês, e introduzindo uma pegada de esporte, ele brinca com preto & branco mais transparências, procurando evocar o etéreo, em resultado que, apesar da premissa inicial, é vivíssimo. Coleção gostosa de ser vista na passarela, com certas peças que, desmembradas, podem funcionar bem na vida real.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto : Marcelo Soubhia | Agência FOTOSITE | Divulgação

Outro nome forte do line up, a Trendt foca na malharia e se preocupa com o caimento, em um caminho que a aproxima da UMA, outro grife que aposta na dobradinha do cool com conforto. Óbvio que o estilista Renan Serrano, ao lidar com o assunto, investe no esportivo. Daí sua busca por modelagens versáteis, “em roupas que possam ir de um evento casual até uma festa mais chique, do escritório ao casamento”, revela.  Peças bonitas, chiques e descoladas vão na contramão do piriguetismo que tanto ameaça o bom gosto nacional, com conjunto sóbrio, cores secas e ótimo meio-tons de cinzas equilibrando fazendo a passagem do preto para o laranja.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto : Marcelo Soubhia | Agência FOTOSITE | Divulgação

Danilo Costa é outro que não enviou release e faz com que a gente, que curte seu trabalho, tente identificar aquilo que apresentou na passarela. Como Pablo Picasso, ele deve estar numa fase azul, já que a coleção transitou pelo branco pontuado por tonalidades como cyan, turquesa e azul profundo metalizado, com até o cabelo dos modelos jateado nessa cor. Mas, na reta final, ele refresca a assepsia do azul com verdes e uma bela estampa de hibiscos em fundo negro. Com essa cartela aquática e belas estampas localizadas que evocam as profundezas marinhas – como golfinhos, corais e marlins – ele é mais um nesta temporada que investe na mistura do seapunk com o universo esportivo, trazendo listras e números dos uniformes para o centro da ação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto : Marcelo Soubhia | Agência FOTOSITE | Divulgação

Fernando Cozendey foi quem fechou esta 35ª edição da Casa de Criadores, junto com o desfile Novos Olhares, uma parceria do evento com o governo do Estado de São Paulo.

Pesquisas relacionadas