Gente & Comportamento

Juliana Paes de embaixadora, Arcos da Lapa na entrada, camisa da FARM e personagens cariocas: tudo sobre o camarote da Antarctica no Carnaval!

Comemorando 130 anos ao lado dos 450 da Cidade Maravilhosa, a marca de cerveja faz história e, pela primeira vez em 25 anos, invade a Sapucaí com o metro quadrado mais disputado da folia, cheio de conceitos artísticos e surpresas

Publicado em 22/01/2015 | Por Heloisa Tolipan

*Por João Ker

Se fosse para transformar o Rio de Janeiro em uma cerveja, sem dúvidas a escolhida seria a Antarctica. Além de ser a mais vendida na capital fluminense e de invadir todas as calçadas e avenidas durante a folia carioca graças ao seu patrocínio oficial ao Carnaval de Rua por seis anos consecutivos, a marca agora faz história. Ao comemorar seus 130 anos junto com os 450 da cidade, ela quebra a tradição mantida por 25 anos pela Brahma e toma a frente do camarote mais concorrido da Sapucaí. E quem melhor para traduzir o clima carnavalesco do Rio com a cerveja conhecida como BOA? Juliana Paes, claro, que foi apresentada nesta manhã (22/1) como a “musa e embaixadora” do metro quadrado mais disputado e comentado da época.

Usando a camisa que a FARM desenvolveu para o camarote (como você viu aqui), toda customizada com o trabalho artesanal de Lethicia Bronstein, a atriz mostrou que é mesmo o símbolo da BOA carioca e, cheia de sorrisos e simpatia, comentou sobre o convite: “Paixão antiga sempre mexe com a gente. E eu fiquei lisonjeada de ser lembrada como uma das coisas boas do Rio. Estou me achando!”, brincou. “A parceria com a Antarctica já é antiga, desde a época que nós fazíamos todas aquelas campanhas. Vamos aproveitar muito! Não é surpresa para ninguém que eu gosto de Carnaval, né?”, comenta Juliana Paes, fazendo uma pequena reverência à memória de Bussunda, que contracenava com a morena nos comerciais. A atriz comentou que chegará de Manaus para o Rio “em cima do laço”, graças às gravações da minissérie “Dois Irmãos”, na qual estrela sob a direção de Luiz Fernando Carvalho.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em coletiva de imprensa organizada no Solar Real, em Santa Teresa – que por si só já é outro símbolo do espírito carioca -, José Victor Oliva, o empresário que fundou o “Camarote Nº 1” da Brahma, conta que a cerveja da lata vermelha “abriu passagem” para a da lata azul homenagear o Rio. E essas homenagens não vêm apenas no camarote (que já será um show à parte no quesito conceito criativo): além de ajudar na infraestrutura e segurança do Carnaval de Rua, a marca vem fazendo iniciativas como “Talentos do Samba”, para descobrir novos artistas nas favelas da cidade; e “Morro em Festa”, que integra o circuito de badalos “do asfalto” que estão subindo o Vidigal.

Maria Fernanda Albuquerque, diretora de marketing da Antarctica, ainda ressalta a importância de dar visibilidade às pessoas que realmente fazem o Carnaval na cidade: “Nós tínhamos que entregar algo a mais. No camarote, nós teremos, como sempre, as celebridades midiáticas. Mas também teremos agora as celebridades anônimas, que são personagens do Rio e precisam aparecer”, explica. Uma prova disso foram as ilustres presenças de Sônia Albuquerque e Abelardo Roque no evento, os artistas responsáveis pelas artes que estampam as latinhas e todo o planejamento de mídia da marca.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Antônio Pedro Figueira de Mello, Secretário de Turismo do Rio de Janeiro, já frisa que este será um ano atípico para o Carnaval na cidade, dadas as mudanças infraestruturais que ela vem sofrendo, com obras espalhadas por quase todos os bairros e a inviabilização da Avenida Rio Branco, uma das principais rotas dos blocos de rua. Mas, fazendo coro a José Victor, o secretario não deixa a peteca cair e comenta sobre a importante década pela qual a capital fluminense vem passando: “Tivemos Jornada Mundial da Juventude, Pan-Americano, Olimpíadas, Copa do Mundo, a volta do Rock in Rio…”. “Eu não conheço nenhuma outra cidade no mundo que tenha passado por isso”, comenta o empresário. Não à toa, “as coisas boas” do Rio invadirão o camarote durante os desfiles na Sapucaí, desde as marcas patrocinadoras – que não serão poucas- à decoração: FARM, Havaianas, os icônicos biscoitos Globo e por aí vai.

No espaço, uma mistura entre morro, praia e asfalto tomará conta do lugar. Logo na entrada, uma estrutura similar aos Arcos da Lapa envolve a porta, enquanto as frisas assumem o formato dos tradicionais Bondinhos de Santa Teresa. A culinária terá o melhor dos quitutes que fazem história pelos botecos do Rio, com um local dedicado especialmente ao tradicional e turístico Bar da Urca. Um corredor com memorabília de grandes personagens cariocas – destaque para a vassoura usada pelo gari e passista Renato Sorriso – também fará parte da estrutura, com um pedaço do chão feito em pedras portuguesas que formam a logo da Antarctica. Todas as escadas do espaço ainda são customizadas para se parecerem com a Escadaria de Selarón, enquanto as pistas de dança são ambientadas para terem as vistas estupendas dos morros cariocas.

A entrada do Camarote da BOA com os "Arcos da Lapa" à frente (Foto: Divulgação)

A entrada do Camarote da BOA com os “Arcos da Lapa” à frente (Foto: Divulgação)

Ao final, todo mundo – incluindo Juliana Paes – pôde degustar a famosa feijoada da Tia Léa, um dos grandes atrativos do Morro do Vidigal. Para fechar tudo em clima de folia, a banda Arruda tocou um sambinha esperto enquanto os convidados brindavam com uma BOA gelada. E isso porque o Carnaval nem começou ainda!

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Pesquisas relacionadas