Cinema & TV

“Políticos gritam, esbravejam e tuitam. E para grande parte da população faz efeito”, afirma Marcos Veras

No ar com o personagem Álamo em “Verão 90”, na Globo, o ator falou sobre o momento político, carreira, cinema, cultura e trabalhos futuros

Publicado em 15/04/2019 | Por Iron Ferreira

Aos 38 anos, Marcos Veras vive um dos melhores momentos de sua carreira. O ator divide o seu tempo entre a televisão, o rádio e o cinema. Eternamente apaixonado pelas diferentes formas de arte e pela maneira com que elas ajudam a transformar a sociedade, ele declarou que os políticos poderiam fazer mais pelo país: “A arte é transformadora, capaz de mudar o olhar sobre qualquer assunto. Ninguém sai igual de uma peça de teatro, depois de ver um filme ou de visitar um museu. Todos saem com questionamentos e novos olhares. A arte, assim como o esporte, pode evitar que uma criança de 11 anos pegue em um fuzil. E também fazer o adolescente de 16 anos que já pega no fuzil, largá-lo. Acredito em escolas, esportes, arte. E sobre isso os políticos não falam e não apresentam projetos pra mudar a realidade atual. Apenas gritam, esbravejam, tuitam e para grande parte da população faz efeito. São apenas frases de efeito e nada mais. Um país com o nosso potencial não deveria estar assim”.

No ar em “Verão 90”, ele revela estar amando a experiência de viver Álamo, seu personagem no folhetim das 19h (Foto: Divulgação)

Marcos defendeu ainda que a cultura e a educação sejam mais valorizadas no cotidiano escolar: “Cultura e arte também passam pela educação. Se uma criança tem essas matérias na escola, por exemplo, ela vai crescer mais criativa, inteligente, sabedora dos seus direitos e deveres. Sem dúvida nenhuma será um adulto melhor e, automaticamente, fará um mundo melhor e mais feliz. Temos um país com uma cultura imensurável, mas não damos o valor devido. O Brasil tem uma cultura e um povo ímpar. Mas não é prioridade dos que governam há anos, assim como não é a educação. Um país sem cultura é um país sem alma, sem identidade”.

Aos 38 anos o ator acumula importantes papéis e participações no cinema, na televisão e no teatro (Foto: Divulgação)

Sobre Álamo, seu personagem em “Verão 90”, novela das 19h da Globo, ele comentou: “Estou me divertindo bastante com esse cara que é ambicioso, talentoso, bem sucedido, mas que  perde o controle da própria vida ao querer sempre mais”. O ator falou também sobre o programa Papo de Almoço, que ele comanda todas as sextas na Rádio Globo: “Amo fazer rádio! Eu também adoro ser apresentador e ali exercito meu lado comunicador que proporciona muitas alegrias. Então é uma forma de conciliar a carreira de ator e apresentador ao mesmo tempo. Aprendo muito com o programa. São convidados dos mais variados setores e os assuntos são sempre relevantes. Saio de lá sabendo mais da vida. É um rico e grande bate-papo”.

Às sextas-feiras Marcos Veras comanda o programa “Papo de Almoço” na Rádio Globo (Foto: Rádio Globo/Divulgação)

No cinema, Marcos se prepara para viver um importante papel no filme sobre a vida do médium brasileiro Divaldo Franco. Na produção, ele irá interpretar um espírito obsessor e nos conta um pouco mais sobre o seu trabalho: “É um personagem forte, denso e importante na vida do Divaldo. Conversei com alguns amigos espíritas que me trouxeram informações importantes sobre o tema. Troquei, também, muita ideia com o diretor e roteirista do longa, Clóvis Mello, que me ajudou muito na composição desse obsessor. Até então, eu tinha pouco contato com o universo do espiritismo, mas sempre acreditei e saí do filme gostando e sabendo mais ainda. E tive a honra de conhecer o Divaldo Franco, uma figura muito especial”.

Terminar de gravar a novela, escrever uma peça e desenvolver um programa estão entre os seus planos futuros (Foto: Divulgação)

Além do filme sobre Divaldo Franco, o ator participa de duas produções que chegam aos cinemas brasileiros ainda em 2019. “No filme O Troco (Uma Nova Chance) vivo um empresário mau caráter, desonesto e falido. Uma comédia deliciosa que fala da luta de classes. Empregados contra patrões. A direção é de Maurício Eça. E em Quatro Amigas Numa Fria, eu faço uma participação especial, o noivo da personagem da Maria Flor. Um cara romântico e apaixonado que vai atrás dela em Bariloche após uma despedida de solteiras. A direção é de Roberto Santucci”, declarou.

Sobre o futuro, ele diz que está investindo na verve escritor. “Estou escrevendo uma peça nova e desenvolvendo um programa”, revelou. A gente adora o multiartista Marcos Veras!

Pesquisas relacionadas