Cinema & TV

“Pequeno Dicionário Amoroso 2” traz os personagens Luíza e Gabriel aos cinemas novamente para discutir os ciclos das relações amorosas

A diretora Sandra Werneck e grande elenco estiveram na pré-estreia, no Cinépolis Lagoon. “Sempre tive a curiosidade de revisitar essas vidas”, declarou

Publicado em 09/09/2015 | Por Karina Kuperman

Quem ficou frustrado quando o casal Luíza e Gabriel, de “Pequeno dicionário amoroso”, terminou o filme separado em 1997, ou tem curiosidade de saber como estaria a vida dos dois atualmente, já tem um novo motivo para ir ao cinema. “Pequeno dicionário amoroso 2” marca a continuação da história dos protagonistas e traz novos personagens com o frescor que um longa precisa. Em “Pequeno dicionário amoroso 2”, o “A” de amor junta-se ao “C” de ciclos, ao “Q” de questionamentos e ao “S” de sucesso de bilheteria, que promete repetir a façanha do anterior. Outras letras fazem parte dessa história intensa, que conta com personagens mais maduros e uma nova realidade.

Andrea Beltrão e Daniel Dantas estiveram na pré-estreia, no Cinépolis Lagoon, nessa terça-feira, 8 e a gente também, claro. O novo longa traz apenas o casal protagonista e Glória Pires do anterior. A eles, se juntam talentos como Fernanda Vasconcellos, Eduardo Moscovis, Fernanda Freitas, Elisângela, Renato Góes, Marcello Airoldi, Camila Amado, Priscila Steinman, Miguel Arraes e Teresa Tostes. Assim como no primeiro, a direção fica por conta de Sandra Werneck. “Eu sempre tive curiosidade em saber como estaria a história de Luíza e Gabriel”, declarou a diretora. O roteiro de Paulo Halm e Rita Toledo apresenta uma nova visita ao casal com suas rotinas e os faz reviver o antigo amor. “Abordamos os ciclos das relações amorosas e a eterna busca pelo par ideal”, explicou Sandra.

DSC_4209 Elenco do Filme - Fime SANDRA WERNECK - Setembro 2015 - Foto CRISTINA GRANATO

O elenco se reuniu no Cinépolis Lagoon para a pré-estreia de “Pequeno dicionário amoroso 2” (Foto: Cristina Granato)

Em “Pequeno dicionário amoroso 2”, o público pode resgatar a história que terminou com o casal separado, arriscando-se em novos amores. No novo longa, que se passa 18 anos depois, a vida de Luíza é estável. Dona de uma galeria de arte e vivendo o casamento com Alex (Marcello Airoldi), realizou o sonho da maternidade com Pedro (Miguel Arraes), um adolescente que vive trancado no quarto vendo filmes eróticos. Gabriel, por sua vez, namora Jaqueline (Fernanda Freitas), uma mulher mais nova, ciumenta e cheia de energia. “Achei uma loucura entrar nessa história, eu já conhecia o filme, já sabia o tamanho da responsabilidade de fazer a segunda parte. Mas fui muito bem acolhida, a Sandra é uma grande diretora e eu sempre acompanhei a trajetória dela. Foi só fechar os olhos e deixar me guiarem”, explicou Fernanda Freitas.

DSC_4303 Fernanda de Freitas e Daniel Dantas - Fime SANDRA WERNECK - Setembro 2015 - Foto CRISTINA GRANATO

Fernanda Freitas e Daniel Dantas vivem o casal Jaqueline e Gabriel no longa (Foto: Cristina Granato)

O reencontro entre o casal protagonista se dá quando o padrasto de Luíza morre e Gabriel vai ao enterro, fazendo alusão ao cemitério onde o casal se conheceu em 1997. A partir daí, a paixão renasce e se tornam amantes. A nova estrutura de vida, porém, conta com os filhos dos dois. Alice (Fernanda Vasconcellos) é uma jovem que quer se divertir e está aberta a todos os tipos de relacionamento. O filme marca o primeiro encontro homossexual da carreira de Fernanda, que garantiu lidar com naturalidade. “Exigiu de mim uma entrega que eu não tinha experimentado ainda e como atriz isso foi muito interessante”, contou a atriz, que viverá um triângulo amoroso no longa. “No final é tudo sobre amor”.

DSC_4252 Fernanda Vasconcellos - Fime SANDRA WERNECK - Setembro 2015 - Foto CRISTINA GRANATO

Fernanda Vasconcellos é Alice, uma jovem bissexual. A atriz afirmou que foi seu primeiro beijo gay (Foto: Cristina Granato)

Glória Pires, que voltou a viver a esotérica Bel, definiu sua personagem como uma “maluca beleza”. Amiga fiel do ex-marido, é uma mulher engraçada, para quem todos recorrem quando estão inseguros no amor. Inclusive Jaqueline, mulher de seu ex. Feliz com a continuação da história, Glória acredita que as questões amorosas mudam com o tempo. “Amei voltar nesse filme. Foi uma surpresa. Quando a Sandra me falou que ia ter o segundo eu achei muito bacana porque já gostava muito do primeiro. É uma ideia brilhante, uma história linda, de humor. Vendo a grosso modo, as questões amorosas são sempre as mesmas, mas passa o tempo e as pessoas têm outras experiências e questionamentos. Vão entrando novas palavrinhas no dicionário”, definiu a atriz.

IMG_7522

Andrea Beltrão e Gloria Pires: amizade além dos anos (Foto: AgNews)

O primeiro longa foi sucesso absoluto de bilheterias e inspirou, inclusive, uma peça de teatro. Modesto, o protagonista Daniel Dantas atribuiu o fenômeno à sorte, sem deixar de lado outros fatores importantes. “Mas é lógico que tem que ter bom roteiro e direção”, declarou. Andrea, que recentemente gravou as últimas cenas do seriado “Tapas e Beijos”, não tem data para voltar às telas. “Agora só quero férias. Se eu conseguir”, brincou.

A diferença da produção de 1997 para a atual é enorme. Sandra Werneck acredita que o primeiro filme foi mais fácil de rodar. “Agora contamos com um financiamento confortável que não tínhamos antes, mas é impossível trabalhar com pouca gente no set”, comparou. Ao reviver a história de Luíza e Gabriel, o longa prova que há espaço para reinvenção das questões amorosas e tem como objetivo levar o público a se confrontar de frente com as suas. Assim como no primeiro, o sucesso desse é garantido. Confira tudo o que rolou na galeria de fotos abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pesquisas relacionadas