Cinema & TV

‘O contato com crianças me ensina. Elas falam verdades na cara’, diz Dani Guimarães sobre teatro infantil

Atriz, que interpreta a ‘personal trainer’ Lygia em ‘A Dona do Pedaço’, está no elenco da comédia dramática ‘Depois a Louca Sou Eu’ e se prepara para atuar em filme independente

Publicado em 28/10/2019 | Por Heloisa Tolipan

* Por Jeff Lessa

Aos 25 anos, a belíssima Dani Guimarães está deixando de ser aquilo que o pessoal que se interessa por novos talentos chama de “uma promessa” e conquistando cada vez mais espaço em seu ofício de atriz. A artista, que atualmente vive a personal trainer Lygia, em “A Dona do Pedaço”, novela das 21h da Globo, já tem uma longa experiência em programas conhecidos pelo público: durante quatro anos, sempre na TV Globo, Dani foi assistente de palco e cantora no “Esquenta”, além de fazer backing vocal no reality show musical “Popstar” e no “The Voice Brasil”, em que atuou como assistente de Tiago Leifert.

Dani Guimarães vive a ‘personal trainer’ Lygia em ‘A Dona do Pedaço’ (Foto de Tatiana Zanghi)

O papel da personal Lygia começou a ter mais destaque depois que a misteriosa “pasta verde” surgiu na trama, apesar de a atriz já estar escalada para a novela desde dezembro do ano passado. “Fiz o teste em novembro de 2018. Minha personagem é animada e agitada e eu também sou um pouco assim. Mas na tela fiz só um pouco de Muai Tai”, conta, rindo. “Aconteceu uma história tragicômica: no meio da novela peguei chikungunya. Ia para as gravações cheia de dores. Nas cenas, eu levantava pesos de verdade, mas no período da doença pegava só os de um quilo. E a Lygia passou a dar aulas de alongamento, que são mais suaves que localizada”.

Simpaticíssima, Dani conta que estudou inglês em Londres, na Malvern House, em 2013. Apaixonada por interpretação e música, ela se formou em Artes Cênicas pela CAL (Casa de Artes Laranjeiras). “Me formei na CAL e em Marketing, pelo IBMR, para cumprir uma promessa feita ao meu pai, que faleceu de câncer. Não foi um peso estudar uma disciplina fora da minha área de interesse, pois sempre gostei muito de aprender, sempre fui curiosa. Quanto mais aprendesse, melhor. E eu sabia que tudo que percebia ali poderia ser usado na vida de atriz, em personagens, por exemplo”.

A paixão pelo palco levou Dani a fazer “de tudo”, como ela mesma diz: “Fui modelo e fiz teatro. Muito musical infantil, dirigida pelo Alessandro do Valle, uma pessoa talentosa que morreu jovem demais, com trinta e poucos anos. O contato com as crianças me ensinou e ensina até hoje. A criança é sincera, ela briga com você e diz verdades na sua cara. Ou te ama e dá abraços sem constrangimentos. É um amor muito lindo e verdadeiro”, opina a atriz, que nasceu no dia de São Cosme e São Damião (27 de setembro). “Até os meus 15 anos, nós fazíamos saquinhos de doces em família para distribuir ao longo da Avenida das Américas. Íamos parando e entregando os doces, era sensacional”.

Além de trabalhar com teatro musical infantil, Dani Guimarães foi modelo (Foto de Tatiana Zanghi)

Já a carreira de modelo rendeu duas coroações, como Miss São Paulo Juvenil e Miss Brasil Juvenil. Mas a paixão da atriz não passa por posar para lentes de fotógrafos. “Como não sou alta, tenho um metro e 63, faço apenas campanhas publicitárias. Não é a área em que quero investir nesse momento. Se precisasse escolher, faria teatro musical, que une interpretação e música, dois grandes prazeres”, conta Dani, que também esteve nas novelas “Rock Story”, “Haja Coração”, “Totalmente Demais”, “Tapas e Beijos” e “Malhação, Seu Lugar No Mundo”, entre outras produções da TV Globo, e em “Balacobaco”, da Record.

A atriz acaba de participar da comédia dramática “Depois a Louca Sou Eu”, baseada no livro homônimo de Tati Bernardi, que trata da “geração Rivotril” e que, segundo a diretora Julia Resende, conta tudo que sentimos mas temos vergonha de expor. O longa, estrelado por Débora Falabella, Rômulo Arantes Neto, Evandro Mesquita, Cristina Pereira e Débora Lamm, entre outros, só estreia no ano que vem, mas pôde ser visto em sessões na Mostra de Cinema de São Paulo.

A atriz se prepara para atuar em um filme independente sobre as revoltas de 2013 (Foto de Tatiana Zanghi)

Dani também está fazendo preparação para participar do elenco de um filme independente sobre as manifestações políticas de 2013. “Minha personagem é uma garota da elite, tem posições de direita. Mas não é estereotipada, ela tem amigos de esquerda, não se fecha para o mundo. O filme é um estudo sobre política”, conta. “Vamos falar de como a situação está influenciando as nossas relações pessoais, o nosso dia a dia”.

Para aguentar a barra que, por vezes, significa representar certos personagens, a artista gosta de aplicar a técnica de atuação lucid body (“corpo lúcido”, em tradução literal). Trata-se de um método que treina não apenas o corpo físico, mas também o mental e emocional, baseado na premissa de que os corpos têm a capacidade de vivenciar todas as experiências humanas, e não apenas algumas. “Com essa técnica, o ator cria seus personagens a partir dos sete chacras. Aprendi em Nova York com um professor brasileiro”, comenta Dani. “Quando se tem um chacra implodido, o diálogo é mais difícil. É preciso equilibrar esse chacra para conseguir dialogar”.

Dani pratica a técnica ‘lucid body’, em que o ator interpreta com os chacras (Foto de Tatiana Zanghi)

Dani grava a novela das sete às dez da manhã, no Projac, três vezes por semana. O horário razoavelmente tranquilo permite dividir uma outra paixão com o namorado, o empresário Luiz Quinderé, criador do famoso Brownie do Luiz: a música. Quando não está no estúdio, Dani costuma se apresentar em shows com o quase marido, com quem está há cinco anos. Moradora de São Conrado, ela conta que a rotina é muito tranquila: “Chego no Projac em meia hora. O Luiz diz que só mesmo a Globo para me tirar da cama cedo. E é isso mesmo, quando a gente faz o que gosta, nem sente, não é?”. Para o ano que vem, ela já faz planos de montar um musical.

Pesquisas relacionadas