Cinema & TV

Morte de personagem em novela faz Fernanda Montenegro virar assunto mais comentado no Twitter: ‘Agradeço aos deuses’

Em entrevista ao site HT, a atriz elogiou o texto de Walcyr Carrasco: "Acertou tanto no material"

Publicado em 28/05/2019 | Por Heloisa Tolipan

* Por Karina Kuperman

É sempre assim: basta Fernanda Montenegro aparecer na televisão, com sua atuação irretocável, que o público vai ao delírio. Em sua breve participação em “A dona do pedaço”, claro, não foi diferente. Sua personagem, Dulce, a líder de uma família de justiceiros, vai até a casa de seus rivais e ameaça, inclusive, se ajoelhar para saber o paradeiro de suas duas bisnetas, que sumiram após a família ser jurada de morte. No diálogo, ela ouve que uma das meninas estaria morta e, a outra, perdida. Em seguida, os personagens travam uma briga intensa e sua Dulce acaba falecendo de forma violenta.

Fernanda Montenegro interpretou Dulce em “A dona do pedaço” (Foto: Divulgação/TV Globo)

A sequência foi tão elogiada que o nome de Fernanda foi parar entre os ‘trending topics’, os assuntos mais comentados do Twitter. Após tantos anos de carreira, prêmios e elogios, será que ela já está acostumada? “Olha, eu faço uma profissão por vocação absoluta. Estou nisso há 75 anos. Só agradeço aos deuses do teatro, a Deus e as oportunidades que foram chegando. Não sei, a gente nunca sabe porque dá certo ou não. Eu não saberia te falar uma fórmula”, disse a atriz, que esteve em uma livraria na zona sul do Rio de Janeiro para prestigiar o lançamento do livro “Sobre a capacidade de amar e outros assuntos poéticos”, de Walcyr Carrasco, autor da trama da qual ela acaba de se despedir.

Fernanda Montenegro prestigiou Walcyr Carrasco em lançamento de livro (Foto: AgNews)

“Walcyr fez um personagem muito bonito e isso gerou bons resultados para mim, para ele, para a novela… sem nenhuma autopromoção. Foi um encontro perfeito”, definiu ela, que enfrentou um grande desafio. Explicamos: Fernanda havia feito a mística Mercedes em “O outro lado do paraíso”, trama do mesmo autor, que terminou em maio do ano passado. “Repetimos a parceria, eu vim da outra novela. Havia uma dificuldade em fazer, com uma distância de oito a dez meses, duas senhoras, de certa forma interioranas”, explicou. “Mas ele acertou tanto no material que me passou, que me ajudou a achar uma saída para não ficar repetindo uma mesma temática dentro de um mesmo jogo cênico”, analisou. Sempre aplaudiremos Fernanda de pé.

Pesquisas relacionadas