Cinema & TV

Mayana Neiva volta à TV aberta e diz: “O Brasil precisa ser acarinhado. Uma novela de época é afetiva e acolhedora”

A atriz está de volta em “Éramos Seis” e, em paralelo, estreia segunda temporada da série da HBO “A Vida Secreta dos Casais” e vai assumir uma produção independente sobre a vida de seu avô, José Neiva, que foi líder político na Paraíba

Publicado em 17/10/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Domênica Soares

Ao lado de Gloria Pires, Susana Vieira, Antônio Calloni, Eduardo Sterblitch e grandes atores, Mayana Neiva volta à TV aberta na segunda fase da novela de época “Éramos Seis”, da Globo. A trama conta a saga de uma família pela ótica materna de Dona Lola (interpretada por Gloria) e atravessa três décadas a partir dos anos 20. Além da novela, a atriz também estreia na segunda temporada da série “A Vida Secreta dos Casais”, na HBO. Protagonizada e criada por Bruna Lombardi, em parceria com Kim Riccelli (diretor) e Carlos Alberto Riccelli (autor e ator), a produção se debruça sobre as relações humanas para retratar a influência delas em diferentes assuntos: desde um assassinato até a política.

Mayana Neiva está de volta à TV aberta (Foto: Divulgação)

Na novela, a atriz viverá Karine, a segunda mulher do comerciante turco Assad (Werner Schünemann). Ela tem muita personalidade, é ambiciosa e fará de tudo para conquistar o marido. “Vou viver em cena uma mulher dos anos 30 que  fala o que quer e isso tudo em uma época na qual o casamento era sinônimo de submissão. Minha personagem tem muita opinião, é voluntariosa e acesa, além de ser super interessante,estou gostando muito de vivê-la. É uma mulher misteriosa que pode trazer um desenrolar para história bem interessante”, conta Mayana. E relata que atuar com grandes nomes do meio artístico está sendo um presente, um aprendizado inigualável e uma excelente oportunidade de se reinventar. “Atuar em uma novela de época tem sido uma experiência única. A história é afetiva, acolhedora, humana e tudo isso está sendo feito em um momento bom para que o Brasil possa ser acarinhado”, pontua.

Em entrevista exclusiva ao site Heloisa Tolipan, a atriz conta animada sobre o que pretende levar para o público com seu trabalho e analisa que existem muitas diferenças em cada produto audiovisual e que sempre busca a verdade da personagem que está vivendo, como por exemplo, o que ela enfrenta, quais são os desafios na sua rotina, e dessa forma é capaz de levar total vivacidade ao papel, mostrando a essência de cada uma delas ao público. “Sobre a série, vivo a Cassandra, a primeira dama do Brasil, ao lado de Zairo (Leonardo Medeiros). Foi ótimo gravar “A Vida Secreta dos Casais”. Foi a primeira vez que trabalhei com a Bruna Lombardi e com o Carlos Alberto Riccelli e Kim. São pessoas super queridas que me deram muita liberdade de criação”, comenta. 

Além da nova trama das seis, artista vai ao ar na série ” “A Vida Secreta dos Casais” (Foto: Divulgação)

Mayana, que vive em dois mundos diferentes, o da TV aberta e fechada, explica que, em sua opinião, com a disseminação das séries e produção de conteúdo, algumas TVs foram buscando formas de inovar diante do mercado audiovisual movimentado no mundo. A atriz ressalta que foi muito importante para estimular a produção nacional, potencializando o mercado e abrindo outras frentes para atores, diretores e profissionais do meio. Contudo, não deixa de frisar que as séries internacionais vêm influenciando muito, ainda mais com o acesso rápido e fácil, além disso, pontua que a linguagem e roteiro também são peças-chave nessas movimentações de mercado e de influências digitais. “O Brasil não precisa ficar focado somente em novelas já que existem inúmeras possibilidades de filmes e séries em outros âmbitos. Novos roteiros e narrativas são capazes de interferir em toda composição das produções. Entrar nesse espaço pode ser muito proveitoso, têm muitas pessoas crescendo e ganhando força, trazendo novidades para o nosso país”, afirma.

Com sua vivência artística, Mayana analisa que o país está passando por uma crise nas produções de filmes e peças teatrais: “A arte constrói a alma de um povo e sem ela é difícil dizer quem somos enquanto coletivo. Esse é o momento mais difícil que já presenciei”. E Mayana tem um grande projeto pessoal: assumir uma produção independente sobre a história de seu avô, José Neiva, que foi líder político na Paraíba. 

Na TV Globo e na HBO, artista conta sobre novidades que as emissoras vêm trazendo para o país (Foto: divulgação)

No dia a dia, Mayana conta que é uma pessoa de muita paz e que aprende muito com momentos de silêncio. Ela é budista, costuma fazer retiros e adora apreciar natureza e contemplar o momento presente. A atriz ainda divide que ama cantar e que, inclusive, pretende mostrar a verve cantora em shows. “É engraçado quando as pessoas que conhecem meus personagens me associam a eles. Mas, na maioria das vezes, não tenho nada de parecido. Realmente somos diferentes de tudo que representamos e eu gosto desse espaço de estar poder me desconectar e entrar em contato com a natureza. Gosto de estar em contato com a terra, estudar sobre alimentação ayurvédica, princípios de ioga, saúde, natureza, ecologia”.

Mayana leva a vida se inspirando muito em pessoas, como Fernanda Montenegro, Joice Berth, Djamila Ribeiro, Naruna Costa, Carol Rocha, entre outros nomes que a ajudam a construir novos pensamentos e contribuir cada vez mais com a sociedade. E cita uma frase de Frida Khalo  (1907-1954), um dos principais nomes da luta feminista com um trabalho excepcional que se perpetua até hoje: “Onde não puder amar não te demores”. Segundo Mayana, o amor a ensina a crescer e melhorar seus limites e superações. Seu maior sonho é poder ser coerente com todas as suas ações, ser o que fala podendo agir da melhor maneira com o planeta e a natureza. “Ser coerente com a vida que me acontece sempre. Esse é meu maior sonho. Ter essa paz profunda de não querer que a vida seja diferente do que ela é”, conclui.

Pesquisas relacionadas