Cinema & TV

Malvino Salvador sobre beijo gay em novela: “O que vier a gente faz, dramaturgia é o nosso trabalho”

Seu personagem, Agno, da trama das 21h, deve envolver-se amorosamente com o personagem de Caio Castro. "O que vier é lucro", garante

Publicado em 30/05/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Karina Kuperman

“A dona do pedaço” estreou na semana passada e já é assunto na internet, com milhares de menções no Twitter, e nas rodas de conversa pelo país. Uma das tramas que tem levantado curiosidade é a de Agno, personagem de Malvino Salvador, um ex-boxeador que vive um casamento de 20 anos com Lyria (Deborah Evelyn) e, segundo especula-se, se encanta pelo lutador Rocky, vivido por Caio Castro.

“Tem alguma coisa em relação à sexualidade dele. Mas não está muito definido se ele é gay, se ele é bi. Não sei o que ele é, até porque o Walcyr (Carrasco, autor da trama) não fechou essa questão ainda e disse para a gente não se ater a isso”, contou. “Mas a situação dele é a seguinte: ele está casado há vinte anos, não tem mais atração pela mulher, sustenta a família e não quer mais isso”, adiantou. “O mais importante é entender que a novela é um produto aberto. Nem tudo que foi idealizado pelo autor no início é o que vai se concretizar lá na frente. Por isso tento me fixar nas cenas que vão chegando”, disse.

Os personagens de Caio Castro e Malvino Salvador devem envolver-se amorosamente na trama das 21h (Foto: Divulgação/TV Globo)

O futuro de Agno, portanto, é incerto. “Pode ser, sim, que haja esse romance com o personagem de Caio, mas ainda não apareceram essas cenas que possivelmente possam vir a se concretizar. O que vier é lucro”, garantiu ele, que não se importaria em protagonizar um beijo gay. “O que importa mesmo é fazer um personagem que se comunique com o público da maneira mais bonita e verdadeira possível. O que vier, a gente faz. É normal, dramaturgia. É o nosso trabalho”. Trabalho, aliás, que desempenha papéis em lutas da sociedade. O mais importante é conseguir sensibilizar quem não tem ideia do tamanho do sofrimento das pessoas que passam esse tipo de preconceito”, alertou.

E, se na trama o personagem não aguenta mais a esposa, nos bastidores a amizade é enorme: “Estou me divertindo muito com os meus parceiros de cena e amando a forma como a direção está conduzindo a história do personagem. Estou curtindo demais, conseguindo acompanhar e a novela está incrível”, elogiou.

Pesquisas relacionadas