Cinema & TV

Isabella Scherer fala sobre Paloma, personagem que, na segunda fase de “Bom Sucesso”, será vivida por Grazi Massafera

Aos 23 anos, a filha do campeão olímpico de natação Xuxa e namorada de Fiuk, se divide entre a carreira de atriz e estar à frente da label Serê, cujos looks são comercializados na internet

Publicado em 22/07/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Com Domênica Soares

Isabella Scherer após o sucesso em “Malhação – Viva a Diferença” e a participação na série “Psi”, na HBO, volta às telinhas, interpretando a versão mais nova de Grazi Massafera, na próxima trama das 19h da Globo, “Bom Sucesso”, que tem estreia dia 29. Isabella conta que está animada com a oportunidade, porque nunca tinha interpretado uma personagem, cujo tempo passará e terá continuidade com outra atriz. Segundo ela, Paloma, sua nova personagem, é uma pessoa muito intensa, que sente tudo à flor da pele e é apaixonada pela vida. Na novela, ela irá se apaixonar e enfrentar uma gravidez inesperada. “ É um desafio e uma responsabilidade muito grande em atuar nesses flashbacks de momentos importantes da vida da protagonista. Eu estou amando e a Grazi me deu várias dicas de como conduzir a personagem”, afirma.

Isabella Scherer (Foto: João Paulo Santos)

Na vida real, Isabella também vive um momento especial. A namorada do cantor e ator Fiuk conta que alia a carreira de atriz ao de empreendedora de uma marca de roupas. “Desde a adolescência sonhava em um dia poder atuar. No entanto, estava totalmente envolvida com a natação e treinava profissionalmente”, revela Isa, que é filha do campeão olímpico de natação Fernando Scherer, o Xuxa. “Eu achei que fosse ser uma nadadora olímpica, já participava de competições e, por isso, minha rotina era cansativa, tinha que me dedicar muito, treinava de segunda a sábado e não conseguia arrumar um tempo para fazer teatro. Minha vida se dividia entre escola e carreira de atleta”.

Foi aos 14 anos que ela decidiu abrir mão da natação e seguir outros sonhos. Isabella começou a estudar teatro e, quando decidiu escolher uma faculdade, optou por moda. Desde então, as duas áreas sempre foram prioridades em sua vida. “Amo moda e teatro. A moda sempre fez parte de mim e, desde pequena, já visitava o closet da minha avó, olhava as roupas e montava looks e isso foi ganhando força”, lembra a atriz que comentou também que não consegue abrir mão de uma profissão para exercer a outra. 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Além de falar sobre sua trajetória, batemos um papo relacionado à TV, mercado de trabalho e internet. Quando a indagamos sobre como é começar uma carreira profissional tão jovem, Isa comenta que segue suas intuições, com respeito a cada processo de conquista dos espaços: “O mercado está cada vez mais aberto para os jovens, mas sempre temos que ser muito conscientes para conquistar nosso lugar no mundo”. Além disso, ela diz que acha essencial a ligação entre a TV com a internet para que o mercado audiovisual cresça cada vez mais: “A área era muito monopolizada e, então, ficava mais difícil chegar no lugar desejado. Agora existem muitas possibilidades de entrada e eu começo a enxergar também que com maior concorrência, os produtos vão ganhando mais qualidade e, dessa forma, só há crescimento de mercado e oportunidades”.

Sobre sua relação com a moda, sabemos que enquanto a novela está sendo gravada, a atriz concilia suas responsabilidades artísticas com a Serê, sua marca de roupa online, cujo nome foi inspirado na palavra serendipity, que significa a feliz descoberta de algo ao acaso. Conta que a iniciativa foi totalmente sua. “Por mais que não tenha que lidar com pessoas opinando todo tempo no meu trabalho, eu sou minha própria chefe e tenho que aprender e me virar sozinha”, afirma. Ela ressalta que, até bem pouco antes do lançamento da label, as pessoas não a levavam a sério. “Muitos achavam que eu fosse abrir algo de brincadeira, vender algumas roupinhas no Instagram e não acreditaram que conseguiria abrir uma empresa real”, frisa. 

Isabella Scherer volta às telinhas na nova trama da 19h (Foto: João Paulo Santos)

A empreendedora relata que tudo foi uma grande realização, porque até dar o start no seu negócio demorou uns dois anos, e que se sentir segura e iniciar, é um grande passo. Além disso, pontua também que no mundo dos negócios ainda vive-se em um contexto muito machista: “Ainda é complicado uma mulher ser respeitada como empresária e o ambiente ainda tem alguns padrões de gênero estabelecidos”. No entanto, ressalta as facilidades da tecnologia com relação ao vender moda. “Com o crescimento da internet e de e-commerce, a questão das vendas está um pouco mais fácil, porque não existem muitos custos, como, por exemplo, funcionário, aluguel entre outros pontos”, afirma.

Isabella disse ainda que a internet também contribui para a maior disseminação das informações e conquista de conhecimento. “As pessoas conseguem ter mais voz e um espaço para se expressar. Antes tudo ficava meio que restrito e muitas questões não eram tão visíveis, como, por exemplo, as injustiças. Hoje em dia, a comunicação é maior e isso é bom, porque milhões de pessoas podem ser atingidas com um bom conteúdo”, reflete. 

A atriz conclui dizendo que seu maior sonho é realizar totalmente a trajetória que traçou. “Daqui um ano posso ter outro sonho. E vou procurar realizá-lo sempre da melhor forma”, avisa.

Pesquisas relacionadas