Cinema & TV

Giovanna Rispoli sobre viver Milena em ‘Malhação’: “A falta de acessibilidade para os surdos ainda é grande”

Para construir a personagem, a atriz faz aulas de libras e convive diretamente com seu professor. "O meu professor de libras, Bruno Hassib, tem sido fundamental para esta construção. Ele é surdo e é através dos ensinamentos que estou conectada com a realidade. Uma ajuda fundamental para a construção do perfil de Milena", afirma.

Publicado em 19/08/2019 | Por Heloisa Tolipan

*Por Karina Kuperman

Giovanna Rispoli está vivendo uma das personagens mais desafiadoras de sua carreira. No ar como Milena, em “Malhação”, ela sabe a importância de representar e ser porta-voz de um assunto tão especial como a deficiência auditiva. “Tem sido um grande desafio, mas que deixará o aprendizado para a vida inteira. Além da língua de sinais, que eu aprendo um pouco mais a cada dia, todo o universo dos surdos é algo totalmente novo para mim e que tenho estudado a fundo. É um trabalho incrível, delicado e bonito e eu tenho sentido muito prazer em poder conhecer”, destaca. Para construir Milena, ela fez aulas de libras e convive diretamente com seu professor. “O meu professor de libras, Bruno Hassib, tem sido fundamental para esta construção. Ele é surdo e é através dos ensinamentos que estou conectada com a realidade. Uma ajuda fundamental para a construção do perfil de Milena”, afirma.

Giovanna precisou aprender libras para interpretar Milena (Foto: Reprodução/GShow)

Sua personagem fala de representatividade para uma grande parcela da população. Como será que isso reflete na vida de Giovanna? “Tenho adorado fazer parte deste universo da ‘Malhação’. A novela tem um público muito presente e participativo nas redes sociais, que é onde eu mais estou ligada, então tem sido ótimo! Tenho tido também muito contato com os surdos que me mandam muitas mensagens pelo direct e está sendo muito importante esta interação com eles”, revela, acrescentando: “As novas gerações que estão levantando tantas bandeiras podem, agora, também olhar para esta causa tão importante e apoiar. A falta de acessibilidade para os surdos ainda é muito grande, então talvez de alguma maneira a Milena possa ajudar para melhorar o conhecimento da sociedade sobre o universo da surdez”, torce.

(Foto: Reprodução/Instagram)

Ela, que já havia feito sucesso em tramas como “Boogie Oogie” e “Totalmente demais“, da Globo, estava dedicada às séries antes dos testes da trama teen. “Fui chamada pela casa para fazer os workshops. É, na verdade, um processo seletivo e, na medida que você vai participando do workshop, acho que vão identificando os personagens e passando para outras fases até terem as definições. A gente não tem ideia de personagens, enredo, nada, vamos sendo testados para vários perfis e possibilidades na trama. Em relação à Netflix eu fiz uma participação em ‘O Mecanismo’, foi bacana”, conta.

Giovanna estava na Netflix antes de “Malhação” (Foto: Reprodução/Instagram)

Além de “Malhação“, Giovanna também pode ser vista em “Carcereiros”. Na série, ela vive a jovem Lívia, filha de um agente penitenciário, interpretado por Rodrigo Lombardi. Como é estar no ar com dois produtos tão diferentes? “Eu adorei ter vivido esta experiência, ainda mais com personagens tão marcantes. Os últimos episódios de ‘Carcereiros‘ foram maravilhosos e a repercussão foi grande. Vou guardar para sempre as cenas incríveis da Lívia, que eu senti muito orgulho de interpretar”, comemora ela, que precisou aprender jiu-jitsu para a composição da personagem. “Foi bem intenso, me trouxe mais um conhecimento e foi, além de tudo, algo que me ajudou também na questão da disciplina e que eu gostei muito”, elogia.

Giovanna e Rodrigo Lombardi são Lívia e Adriano em “Carcereiros” (Foto: Reprodução/Instagram)

Em “Carcereiros“, as cenas de Giovanna foram pesadas, com direito a takes de sequestro. “Foram cenas bem marcantes e intensas, tive todo um preparo e um apoio. A entrega foi total”, garante. Além dessas situações de violência, sua personagem passa por algo que muitos adolescentes também vivem: a relação com um pai rígido que não a deixa namorar.

Cena de “Carcereiros” (Foto: Reprodução/Instagram)

 

Pesquisas relacionadas