Cinema & TV

Em sua primeira vilã da carreira, Bruna Marquezine conta dos desafios de Catarina de “Deus Salve o Rei” e dispara: “Eu quase não me sentia capaz”

No novela das 19h da Globo a atriz interpreta uma princesa que não poupa esforços para conquistar seus objetivos. "Está sendo um grande desafio. Eu nunca pensei que fosse tão difícil e a cada dia eu tenho a sensação de uma nova conquista"

Publicado em 16/01/2018 | Por Julia Pimentel

Na primeira produção com tantos efeitos visuais e conceitos inovadores da Globo, Bruna Marquezine também vive um momento especial e desafiador: a Catarina, de “Deus Salve o Rei”. Na trama das 19h, Bruna faz sua estreia como vilã e, já de cara, não esconde as dificuldades do novo trabalho. No lançamento da novela, que ocorreu no cenário da produção nos Estúdios Globo, no Rio, a atriz contou de seu processo de preparação, da intensidade da personagem e do projeto e de seu amadurecimento na carreira. Afinal, aos 22 anos, Bruna Marquezine é um dos principais exemplos de artistas da nova geração que cresceram aos olhos atentos do Brasil – e isto tem seu lado positivo e negativo, como ela contou.

Leia também: Ambientada na Era Medieval, “Deus Salve o Rei” estreia em janeiro na Globo com elenco estelar e destaque para computação gráfica e figurino: “Muito simbólico”, disse diretor

Neste amadurecimento profissional, Bruna estreia como vilã após tantas mocinhas apaixonadas e sofridas. Na carreira, o grande desafio do momento da atriz é dar vida à Catarina, uma princesa de um reino medieval que não poupa esforços para conquistar seus objetivos. “Fazer uma vilã em uma história de época está sendo mais especial, porque existe uma magia. É um conto e nós temos permissão para ir um pouco além. É um papel que possibilita criar muito e explorar lugares tão diferentes. A Catarina tem muitas cores e uma postura diferente com cada personagem. Na história, ela é uma mulher muito dissimulada, que sabe a hora de agir e falar, e bastante determinada. Isso faz dela muito calculista”, detalhou a personagem que também está garantindo um lado divertido e prazeroso à Bruna. “Está sendo um grande desafio. Eu nunca pensei que fosse tão difícil e a cada dia eu tenho a sensação de uma nova conquista. Catarina é malvada de verdade e isso acaba exigindo uma entrega e energia enormes. E isso faz ficar desgastante, mas, ao mesmo tempo, prazeroso”, contou.

A Catarina será a primeira vilã de Bruna Marquezine (Foto: AgNews)

Para alcançar a fórmula de Catarina, Bruna contou que percorreu um caminho tenso e intenso e que, por muitas vezes, achou que não seria capaz de honrar com a oportunidade. No entanto, a atriz destacou a importância e a entrega na preparação para que o resultado fosse o que já estamos acompanhando em “Deus Salve o Rei”. “Algumas vezes, eu até dividi com os diretores que eu quase não me sentia capaz de dar vida à Catarina porque ela é muito desafiadora. Mas, se eu fui abençoada com este papel, é porque eu posso e, para isso, eu estou trabalhando muito e me doando ao máximo”, argumentou a atriz que ressaltou a entrega coletiva dos bastidores. “Como é um cenário muito distante da nossa realidade, a gente precisa mergulhar completamente nessa história. Não dá para tirar um final de semana de folga e voltar depois, porque senão este universo fica para trás. Se o elenco não estiver alinhado como um todo, seja na forma de falar, de fazer ou se comportar, o público não vai acreditar no que estamos contando”, explicou.

Na trama, os efeitos visuais são fortes engrenagens para o sucesso da trama. Com a maior equipe de computação gráfica da Globo, a novela se destaca ainda pela cenografia, figurino e fotografia da história ambientada na Era Medieval. No entanto, com tantos ingredientes externos, Bruna destacou o trabalho de concentração no básico: o texto. “No início desse projeto, a direção nos passou que não teríamos nenhuma referência e que o nosso trabalho seria todo baseado no texto do Daniel (Adjafre), que já é muito rico de informações. Foi isso o que a gente fez. Nós criamos o nosso universo do zero sem buscar influências externas”, comentou a atriz que, por isso, não buscou traçar paralelos entre sua personalidade e a Catarina. “Eu acho que a gente sempre consegue identificar algumas características, mas, pela primeira vez, eu me propus a criar uma personagem do zero. Eu quis fazer sem pensar em o que de Bruna eu poderia emprestar à Catarina – porque este costuma ser o caminho mais fácil. Mas, nesta novela, eu saí totalmente da minha zona de conforto e fazer isso é difícil”, contou.

Bruna Marquezine e Marcos Nanini no lançamento da novela no Rio (Foto: AgNews)

O fato é que, com toda esta ambientação que cerca “Deus Salve o Rei”, o clima nos bastidores já saiu dos portões dos Estúdios Globo. Na internet, os personagens e a atmosfera medieval da novela já conquistaram o público e, desde já, existem torcidas e perfis nas redes dedicados à história. “A Globo nunca foi de dividir muito os bastidores das novelas antes de estrear. Porém, agora eu acho que a emissora entendeu a dimensão da internet e nós estamos contando o que acontece por trás das câmeras antes mesmo da novela ir ao ar. E isso está sendo ótimo porque nós já estamos conquistando um público”, apontou.

Bruna Marquezine, Rômulo Estrela, Marina Ruy Barbosa e Tatá Werneck no lançamento da novela (Foto: AgNews)

Aliás, parte desta torcida está relacionada, claro, à Bruna Marquezine. Desde a divulgação da foto da atriz com José Fidalgo, seu par romântico na trama, se beijando em um rio, as hashtags de Catarina e Constantino espalharam na rede. Sobre o casal da ficção, Bruna confessou estar animada com a repercussão e adiantou que este será um casal intenso em “Deus Salve o Rei”. “Eu fico muito animada de ver que as pessoas estão acreditando nela como casal com o Zé (José Fidalgo) porque é isso o que a gente quer. Nossa história tem que tocar o telespectador de alguma maneira, e é especial quando isso acontece”, comemorou Bruna que comentou sobre os personagens. “O que acontece entre a Catarina e o Constantino é um encontro muito potente de fogo e paixão e eles são muito parecidos. Os dois têm uma obsessão pelo poder e querem sempre conquistar mais e mais. Então, eles se unem por essa atração e porque se tornam aliados em um objetivo comum. Porém, são dois personagens muito perigosos e a Catarina sabe que o Constantino pode trai-la. Assim como ele sabe que a qualquer momento ela pode mandar mata-lo”, adiantou.

E por falar em internet, este é um assunto que nunca escapa das entrevistas com a atriz. Aos 22 anos, Bruna Marquezine é um dos maiores fenômenos virtuais. No Instagram, a atriz acumula quase 24 milhões de seguidores e centenas de seguidores que repostam suas publicações a todo tempo. Mas, de maneira discreta, Bruna contou que não quer mais ser um exemplo de perfeição com fotos super produzidas – pelo menos não a todo momento. “Nessa era de Instagram, a gente divide muito da nossa vida perfeita e linda nas fotos. Por muito tempo, inclusive, eu me cobrei para ser esse espelho. Mas, em um momento, eu entendi que eu nunca conseguiria passar uma imagem de perfeição e que era legal falar das nossas dores e do que nos incomoda. Para mim, nós podemos aprender muito mais com exemplos de sinceridade do que com perfeição. Afinal, nunca alcançaremos”, analisou a atriz que, como consequência, garantiu se incomodar bem menos com os comentários negativos. “Se a gente se prender às criticas, sejam elas positivas ou negativas, nós nos afastamos do que somos. A gente não pode dar muito ouvido ao que falam de nós porque senão criamos uma imagem a partir do olhar do outro. Eu entendi isso há pouco tempo e passei a buscar dentro de mim o que eu sou e o que me agrada”, defendeu.

Ricardo Pereira, Marina Ruy Barbosa, Rômulo Estrela, Tatá Werneck, Bruna Marquezine e José Fidalgo (Foto: Divulgação/GShow)

Inclusive, esta postura de Bruna Marquezine também é resultado de sua recente entrega à moda. Além de atriz, ela passou a ser referência fashion para muitas pessoas. “Essa é uma extensão do meu trabalho e, por mais que não seja uma obrigação, é uma realidade. Então, eu comecei a me divertir com a moda porque isto para mim é arte e arte me fascina. Hoje, moda é expressão da minha personalidade e uma chance de eu descobrir novas versões de mim mesma”, afirmou. Afinal, para ela, a moda cumpre uma função muito maior do que símbolo de tendência. “Enquanto estamos todos em uma zona de conforto em que escolhemos uma roupa porque todos usam, a gente passa a deixar de inspirar quem quer inovar e não tem referência. E hoje nós estamos vivendo em uma sociedade em que todas as pessoas estão buscando uma representação para seguir em diferentes maneiras. Então, para mim, o mais legal é saber que eu inspirei pelo menos uma menina a usar algo que lhe deu na telha e não achava que podia”, apontou.

Para tudo isso, Bruna Marquezine contou que vem trabalhando um lado que não aparece nas fotos do Instagram e nem nos milhares de likes que costuma receber. Preocupada com sua saúde espiritual, a atriz destacou a importância do cuidado com a alma e da manutenção da fé de cada um. “Eu sou uma pessoa de muita fé, independente da religião. O autoconhecimento também é fundamental porque, para mim, é impossível a gente evoluir como ser humano sem ter momentos de meditação e análise. E é isso o que eu tenho buscado: cuidar de mim de verdade. Hoje, nós vivemos em um mundo de muitas aparências”, disse Bruna que acrescentou: “Às vezes é meio cruel nós sermos cobrados por tantas questões. Nesse mundo doido que a gente vive, eu esqueço que tenho só 22 anos e que eu tenho que me permitir ter essa idade”.

 

Pesquisas relacionadas